FIFA: Obrigado a Cássio e coragem marcam conquista

FIFA: Obrigado a Cássio e coragem marcam conquista

FIFA: Obrigado a Cássio e coragem marcam conquista

FIFA: Obrigado a Cássio e coragem marcam conquista

O goleiro Cássio começou a compreender neste domingo um pouco da rotina que Basílio viveu no dia 13 de outubro de 1977, quando marcou o histórico gol na final do Campeonato Paulista que encerrou o jejum de 23 anos sem conquistas do clube. Ainda no gramado do Estádio Internacional de Yokohama, o goleiro ouviu inúmeras vezes a frase mais recorrentemente dita ao libertador da Fiel há 35 anos.

'Eu só agradeci ao Cássio, não fiz nada além disso. No vestiário, foi a mesma coisa. Ele foi fundamental', disse o zagueiro Paulo André. 'Eu corri um pouquinho também, mas, depois da defesa no chute do Fernando Torres, fui lá e falei: ?Obrigado, obrigado?. Foi excepcional.'
Douglas também reverenciou o camisa 12, eleito o melhor atleta da Copa do Mundo de Clubes da FIFA. 'Sem dúvida, foram defesas espetaculares. Vai ficar para a história realmente. É um jogador que tem uma tranquilidade incrível, foi o diferencial da equipe', elogiou o meia.

Cássio procurou lidar com o sucesso com a mesma calma demonstrada em campo. Por outro lado, quem demonstrou maior emoção foi o preparador de goleiros do Corinthians, Mauri Costa Lima, que recordou os momentos de irritação de seu pupilo nos treinos. 'Eu sou chato, ele fica um pouco chateado por eu cobrar, querer que ele adquira o máximo. Todo o trabalho que a gente faz, 20 ou 30 minutos antes de o treino começar, faz somar. Ele é merecedor, trabalhou para isso', afirmou o preparador.

O tom de Mauri não era o de quem quer roubar os méritos do craque do Mundial. Ele só tentava valorizar o esforço de um jogador que lutou para alcançar o sucesso no clube do Parque São Jorge. 'O Cássio é uma pessoa normal, tem seus erros e acertos. Talvez a gente tenha mais erro do que acerto, mas, no momento crucial, ele acertou. Foi um goleiro perfeito que nos ajudou muito. Fico feliz demais por ele', concluiu o preparador.

Mudança radical
E para chegar a este ponto, nada foi fácil para o goleirão de 1,95 metro. Foi sem fazer barulho que ele chegou ao clube pouco após a conquista do Brasileiro de 2011. Um ano depois, ele venceu o duelo com o consagrado Petr Cech e ganhou o Mundial como o craque da competição.

'É o melhor ano da minha vida, com certeza', resumiu o gaúcho, que estava encostado no holandês PSV até ser contratado pelo Timão. Seu empresário, Carlos Leite, tem ótima relação com a diretoria do clube alvinegro e indicou o jogador.

Tudo acabou saindo melhor do que o esperado. Cássio ganhou a posição de Julio Cesar durante a Copa Libertadores, fez uma defesa inesquecível contra Diego Souza no confronto das quartas de final com o Vasco e conseguiu se superar no Japão, ganhando até elogios do próprio Cech. 'Para falar a verdade, eu não imaginava que seria assim. Passei por um momento difícil na Holanda, não jogava. Você olha para trás e vê o que passou, é bem gratificante', disse o goleiro de 25 anos, grato à família pelo apoio nos momentos mais complicados.

Coragem
Mas não foi apenas Cássio que recebeu elogios neste domingo. Graças à grande atuação coletiva, todo o elenco mereceu críticas positivas do treinador da equipe. Para Tite, a atitude de seus comandados no Estádio Internacional de Yokohama foi fundamental para a vitória sobre o campenao europeu.

'O time teve coragem, grandeza. É preciso ter coragem para ficar com a bola no pé, para não deixar a bola queimar?, explica. 'É preciso ter coragem também para marcar corretamente. O time foi a cara do Corinthians', comemorou o treinador.

O comportamento tem a ver com a personalidade dos atletas, mas tem também muito a ver com orientações claras do treinador. Na sexta-feira, quando o desempenho nas semifinais apontava um claro favoritismo do Chelsea, Tite teve uma reunião com o grupo.

'Ele nos chamou e inverteu a situação. Falou: ?Nós vamos para dentro dos caras. Ali, senti que o time começou a ganhar coragem', disse o zagueiro Paulo André, usando uma palavra que foi bastante repetida na comemoração. 'Não dá para desmerecer, os caras são bons. Mas o cara, para vestir esta camisa, não pode ter medo. Estamos representando uma grande nação', resumiu Emerson.

Fonte: FIFA

Veja Mais:

  • Paulo Roberto e Danilo treinaram com bola nesta terça e estão à disposição para pegar Grêmio

    Volta de Paulo Roberto, susto de Pedrinho e possível escalação: o treino do Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians/Audax fez nova vítima da Libertadores feminina: Santa Fe

    Corinthians/Audax vence 'bicho papão' e se classifica com melhor campanha da Libertadores feminina

    ver detalhes
  • Em reedição da final de 2016, Corinthians e Sorocaba se enfrentam pelo título da LPF

    De virada, Corinthians/Unip vence Sorocaba e sai na frente na final da Liga Paulista

    ver detalhes
  • Gabriel está de volta ao Corinthians após cumprir suspensão

    Trio volta, e Corinthians relaciona 24 jogadores para enfrentar Grêmio; veja lista

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes