Davi

37 anos , de São Paulo

Davi S

Torcedor do site número: 6.788, cadastrado desde 26/03/2012

Aqui é Corinthians

male

Estatísticas no Meu Timão

Última atividade no site em 05/11/2018 às 19h36

Ranking do Fórum

2.043º lugar

Ver Ranking

Ranking de comentários

1.325º lugar

Ver Ranking

720 Comentários

95% de aprovação

742 Posts

60% de aprovação

196 Tópicos

137.165 Visualizações

4.730 Views por tópico

Atividades do Davi no Meu Timão

Última interação no site em 11/10/2018 às 02h03

  • Davi

    Davi postou em Notícias, no tópico "Roger Waters irritou palmeirenses com frase 'fuck the pigs'"

    há 1 mês

    Roger Waters irritou palmeirenses com frase

    Era pouco mais de 23h quando as primeiras mensagens começaram a explodir nos meus grupos de WhatsApp e em redes sociais dos meus amigos palmeirenses. 'E essa baixaria rolando agora no Allianz Parque? É uma vergonha. Fecha logo essa cantina, pô'. Junto, uma imagem anexada do telão do show de Roger Waters com a frase 'Fuck the Pigs' (#[email protected]% os porcos, em tradução livre) - parte da torcida Alviverde se ofendeu com a mensagem do icônico vocalista, um combatente histórico do fascismo e de líderes fascistas.

    Quem estava no show afirma que, após a faixa ser mostrada no telão, gritos de 'Vai, Corinthians' foram ouvidos. Aí, a coisa ficou pior. Nem precisa gostar muito de futebol para saber que a torcida do Palmeiras abraçou o porco como mascote, ao lado do periquito, desde a década de 1980.

    Mas, para o ex-Pink Floyd, os porcos não são os palmeirenses, e sim as pessoas que estão no topo da sociedade e concentram riqueza e poder. 'Eu lá quero saber se o Roger Waters usa o porco para xingar quem quer que seja? Ele está em nossa casa e lá tem que nos respeitar', foi a resposta que recebi após tentar explicar a confusão

    DEIXEM SUAS RISADAS KKKKK

    Fonte: https://www.terra.com.br/diversao/roger-waters-irritou-torcedores-do-palmeiras-com-a-frase-fuck-the-pigs https://www.terra.com.br/diversao/roger-waters-irritou-torcedores-do-palmeiras-com-a-frase-fuck-the-pigs terra.com.br , 02154c0d9ca8bc5f4db087905bec153bzto78cpo.html

    detalhes do post
  • Davi

    Davi postou em Mercado da bola, no tópico "Corinthians entra na briga com Santos para comprar Dodô"

    há 3 meses

    Corinthians entra na briga com Santos para comprar Dodô

    O Santos ganhou um concorrente pelo lateral-esquerdo Dodô. Conforme divulgado pelo Diário do Peixe e confirmado por A Tribuna On-line, o Corinthians está interessado pelo ala, que está emprestado ao Peixe, mas pertence à italiana Sampdoria.

    Quem confirmou para A Tribuna On-line que o Timão quer o ala foi Walter Sabatini, diretor técnico da Sampdoria. Ele afirmou que o Corinthians pode fechar com o atleta se o Santos não exercer sua opção de compra, que está fixada em 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 7 milhões). O vínculo do jogador com o Alvinegro Praiano vai até o final desta temporada, período limite para que os santistas paguem o montante citado.

    Vale ressaltar que Dodô foi revelado pelo próprio clube do Parque São Jorge. Entretanto, sem espaço, ele passou pelo Bahia antes de ir para a Itália. Lá, ele atuou pela Inter de Milão e Roma.

    Negativa

    Para assegurar a permanência de Dodô, o Santos cogitou uma troca do ala pelo meia Léo Cittadini. Entretanto, esta possibilidade foi descartada por Sabatini

    detalhes do post
  • Davi

    Davi postou em Notícias, no tópico "Arena do Corinthians vai ganhar câmpus universitário no próximo ano"

    há 3 meses

    Arena do Corinthians vai ganhar câmpus universitário no próximo ano

    Um projeto que teve início há mais de um ano começa a sair do papel e a Arena Corinthians vai ter uma universidade no ano que vem. O clube firmou uma parceria com a Universidade Brasil e a instituição de ensino passará a ministrar cursos no local, dando maior movimentação ao estádio alvinegro.

    Em junho do ano passado, a universidade e o Corinthians acertaram um acordo de patrocínio na camisa e também uma parceria para doação de bolsas de estudo e a implantação de uma universidade na arena. Após algumas reuniões entre o reitor da instituição, Fernando Costa, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e o diretor de marketing, Luís Paulo Rosenberg, ficou encaminhado o início do projeto no local.

    A universidade vai funcionar no setor Leste e a entrada dos alunos deverá ser próximo do estacionamento E3. O espaço foi escolhido pela proximidade com a estação de metrô Corinthians – Itaquera. A entrada será exclusiva para a unidade e não terá ligação com o setor por onde entram os torcedores. Serão 35 salas para aulas presenciais, em um total de 93 cursos.

    Para evitar que o barulho da torcida em dia de jogos atrapalhe as aulas, as salas terão isolamento acústico. Além disso, em dias de grandes partidas, os alunos terão atividades complementares, que serão feitas com os torcedores no estádio.

    O número exato de estudantes ainda não está definido, pois depende do interesse na busca por vagas. Entretanto, a ideia é atender cerca de três mil.

    Além do câmpus na Arena Corinthians, também está previsto uma unidade no Parque São Jorge, mas lá seria apenas um suporte para EAD (ensino a distância). A Universidade Brasil exibe sua marca no ombro da camisa alvinegra desde junho do ano passado.

    Clube e instituição não falam em valores, mas o acordo garante porcentagem do faturamento das unidades da Arena e do Parque São Jorge para o Corinthians. A diretoria alvinegra admite que o ganho não será substancial e a iniciativa é uma questão mercadológica e ação de marketing. Além disso, o clube ganhará de outras formas, como no estacionamento, venda de produtos nas lanchonetes, etc.

    Em entrevista ao Estado, o reitor da universidade, Fernando Costa, diz que o Corinthians inicia uma nova era. “O esporte tem que ser aliado ao estudo, como é nos Estados Unidos, e podemos fazer algo assim em Itaquera. Todos vão ganhar com isso. Além do mais, ter uma universidade dentro da arena é um sonho antigo do Andrés”, contou Fernando.

    O namoro entre clube e universidade começou logo depois de assinarem o contrato de patrocínio. Ainda com Roberto de Andrade como presidente, Andrés – que na época nem admitia ser candidato – já conversava com Fernando para acelerar o início do projeto. O Corinthians diz que dará detalhes do acordo quando tudo estiver melhor concretizado. “A negociação ainda está em andamento e é prematuro nos posicionarmos”, disse Rosenberg.

    NOVAS RECEITAS – A universidade é mais uma forma encontrada pela diretoria para conseguir dar “vida” à Arena em dias que não há jogos e, consequentemente, obter rendas além dos jogos e do tour que os torcedores podem fazer no local.

    Em maio, o Estado divulgou que o clube negociava uma parceria para a construção de quadras de futebol de salão e de basquete e pistas de skate e de corrida e já existia até um projeto de como ficaria a arena.

    Segundo os dirigentes, o valor total da dívida para pagar a Arena está hoje na casa dos R$ 1,2 bilhão e o financiamento para a Caixa Econômica Federal está sendo pago normalmente, mas há pendências com o BNDES e com a Odebrecht, construtora responsável pela construção da casa alvinegra.

    BOLSAS DE ESTUDO – Além da implantação de uma unidade na Arena e no Parque São Jorge e do patrocínio na camisa, a Universidade Brasil também fez uma parceria com o Corinthians para dar bolsas de estudo de acordo com o que o time faz em campo. Gols, vitórias, lideranças e títulos se convertem em oportunidades de estudo para jovens que não têm condições financeiras de pagar por uma faculdade particular.

    É o caso, por exemplo, de Gabriel Fortunato fontes Passos, de 20 anos. O jovem nascido em Itaquera ganhou a bolsa de estudo do atacante Jô, artilheiro do Brasileirão do ano passado, e pôde realizar o sonho de estudar Enfermagem. “Tivemos uma cerimônia no CT, conhecemos os jogadores e foi uma experiência única. Quando falo que sou bolsista do Corinthians, todo mundo me olha fascinado”, disse o jovem, que está no segundo semestre do curso.

    Mesmo período que Crislane Beatriz das Neves Luz faz no curso de Direito. Corintiana, ela disse que seu amor pelo clube só aumentou. “É uma oportunidade para os jovens que não têm condições e uma forma de incentivar a educação. O clube ganha com a imagem e faz a gente amar ainda mais o nosso time”, conta a jovem de 17 anos.

    O Corinthians indicou a instituição Eny Vieira Machado para receber as bolsas. Os jovens que estudam no local e se destacam no ensino médio são indicados para ter acesso à oportunidade de fazer um curso superior. Os escolhidos podem conhecer o CT Joaquim Grava e a Arena e recebem um certificado das mãos de algum atleta ou da comissão técnica do clube.

    detalhes do post
  • Davi

    Davi comentou na notícia: "Grana da venda de Rodriguinho é reivindicada por faculdade que acusa Corinthians de calote"

    há 3 meses

    O Corinthians foi condenado, na última semana, a pagar cerca de R$ 2,7 milhões para a Faculdade UNISANTANA por ter descumprido acordo firmado entre as partes.
    A entidade pedia a reintegração de posse, ou seja, que voltasse a utilizar as dependências do clube para ministrar suas aulas de Educação Física.
    Por decisão unilateral, os dirigentes alvinegros expulsaram a UNISANTANA do Parque São Jorge, rasgando o contrato existente, para que empresas? Parceiras? De alguns conselheiros ocupassem seu lugar, entre elas uma daquelas igrejas praticantes de estelionato religioso.
    Como prêmio pela irresponsabilidade, o Timão foi condenado a pagar R$ 775.734,83 por danos emergentes, R$ 1.677.720,39 a título de lucros cessantes, 100 salários mínimos por danos morais, todos estes valores acrescidos de 1% ao mês de juros de mora desde a citação, em 2008, além de 10 % sobre o valor total como custas advocatícias.
    O processo é o de nº 008.08.102985-0

    detalhes do comentário
  • Davi

    Davi comentou na notícia: "Grana da venda de Rodriguinho é reivindicada por faculdade que acusa Corinthians de calote"

    há 3 meses

    Em 2008, em aparente manobra de favorecimento à Faculdade Drummond, que tem como proprietário o ex-conselheiro alvinegro Osmar Basílio, o presidente Andrés Sanchez, com anuência do então vice de esportes terrestres, Felipe Ezabella e do vice jurídico, Sérgio Alvarenga, expulsaram a Unisantana, que mantinha, há algum tempo, parceria com o Corinthians.

    A quebra de acordo foi unilateral.

    Na sequência, o clube fechou acordo com a Drummond, concorrente do ex-parceiro.

    O caso foi parar na Justiça e entre idas e vindas o Corinthians foi condenado a pagar R$ 3,5 milhões em indenização.

    Protelado por conta de recursos, o pagamento terá agora, já em fase de execução, que ser realizado em 15 dias, segundo despacho da 3ª Vara Civil:

    ? Trata-se de cumprimento da sentença. Intime(m)-se o(a)(s) devedor(a)(s), por meio de seu advogado constituído, para pagar a dívida (R$ 3.542.810,32), no prazo de 15 dias, sob as penas da lei?

    detalhes do comentário
  • Davi

    Davi comentou na notícia: "Corinthians negocia com volante do Bahia como possível contratação para 2018 WhatsAppTelegramFacebookTwitterEmail"

    há 12 meses

    Fernando Garcia fotebol clube. O que esses caras ganham dinheiro em cima do Corinthians...se gritar pega ladrão...

    detalhes do comentário
  • Davi

    Davi comentou no post: "Triunfo sobre o Avaí e lições da campanha de 2017 WhatsAppTelegramFacebookTwitterEmail"

    há 1 ano

    Ótimo texto. De arrepiar. Meus Parabéns e vai Corinthians

    detalhes do comentário
  • Davi

    Davi postou em Notícias, no tópico "Citadine é delatado na Lava Jato pela Andrade Gutierrez"

    há 2 anos



    Andrade Gutierrez diz que subornou o Tribunal de Contas de SP

    Ricardo Nogueira -23.jun.2016/Folhapress

    São Paulo, SP, Brasil, 23-06-2016,16H00, OBRAS MONOTRILHO LINHA 15, COTIDIANO: funcionários trabalham na linha 15 do Monotrilho, na estacao Tolstoi, na zona leste da capital. Corrego que havia sido descoberto impedia a continuidade da obra. (Foto: Ricardo Nogueira/Folhapress) ***exclusivo Folha***

    Obras na linha 15 do monotrilho, na zona leste da capital

    Um executivo e um ex-diretor da Andrade Gutierrez afirmaram, em negociação de acordo de delação com a Operação Lava Jato, que a empreiteira pagava propina para que o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo não apontasse problemas em licitações e contratos de obras, sobretudo os do Metrô.

    O órgão é responsável por decidir se as licitações e contratos do governo paulista são regulares ou não.

    Um dos relatos diz que a empresa pagava o correspondente a 1% do valor do contrato que estava sob análise do tribunal para Eduardo Bittencourt Carvalho, ex-conselheiro do órgão.

    O valor era entregue em dinheiro vivo para representantes do conselheiro, segundo um candidato a delator.

    Bittencourt foi afastado do tribunal pela Justiça no final de 2011 sob a acusação de enriquecimento ilícito: ele acumulou um patrimônio de R$ 50 milhões quando era conselheiro, incompatível com o salário que recebia,

    Segundo a acusação do Ministério Público aceita pela Justiça.

    Ele conseguiu voltar ao cargo em 2012 por decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) e aposentou-se em seguida.

    DIVISÃO DO SUBORNO

    Segundo o relato de um dos candidatos a delator nas novas negociações da Andrade com o Ministério Público Federal, Bittencourt afirmava que o dinheiro era dividido com os outros conselheiros, com uma exceção: Antonio Claudio Alvarenga.

    No entanto um ex-diretor do grupo que também negocia delação relata que todos os sete conselheiros teriam recebido suborno.

    A lista do ex-diretor tem os nomes dos seguintes conselheiros: Antonio Claudio Alvarenga, Antonio Roque Citadini, Edgard Camargo Rodrigues, Fulvio Julião Biazzi, Renato Martins Costa e Robson Marinho.

    Bittencourt refutou, por meio de seu advogado, Paulo Sérgio Santo André, que tenha recebido qualquer recurso ilícito. Segundo o advogado, as decisões eram colegiadas, e o conselheiro votou contra os interesses de grandes empreiteiras em vários julgamentos.

    A lista traz o quadro do TCE dos anos 1990 até 2012, quando houve mudanças na composição. Desses conselheiros, Citadini, Costa e Rodrigues continuam no tribunal.

    Robson Marinho foi afastado do cargo pela Justiça em agosto de 2014, sob acusação de ter recebido um suborno de cerca de US$ 3 milhões, em valores de 2013, da Alstom em conta na Suíça.

    A Andrade Gutierrez fez em maio do ano passado um acordo de leniência, uma espécie de delação para empresas, relatou uma série de crimes e aceitou pagar uma multa de R$ 1 bilhão, a segunda maior da Operação Lava Jato.

    Com a delação de outras empreiteiras, os procuradores descobriram que havia omissões e convocaram a empresa para fazer um complemento, chamado por eles de 'recall'. É esse complemento que está sob negociação.

    ATRÁS DA PROPINA

    A Andrade Gutierrez fez uma auditoria para checar o caminho do dinheiro que foi distribuído como propina e descobriu que os valores entregues a Bittencourt foram repassados a um operador financeiro. A auditoria, no entanto, não encontrou rastros de pagamentos que cheguem até os outros conselheiros.

    A Polícia Federal já apontou que a Andrade Gutierrez fez pagamentos suspeitos a empresas de fachada, usadas para repassar propina.

    O Tribunal de Contas paulista, formado por sete conselheiros nomeados pelo governador, é o segundo mais importante do país, só atrás do Tribunal de Contas da União.

    Não se sabe detalhes do suposto acordo entre a Andrade Gutierrez e Bittencourt, mas o fato é que o tribunal apontou problemas em obras da empresa para o Metrô. O TCE, porém, nunca provou o que era a maior preocupação das empreiteiras: a divisão das obras por meio de cartel.

    Citadini, por exemplo, acusou problemas em obras da linha 5 - lilás e no monotrilho. O preço da linha 5 teve um aumento de R$ 1,05 bilhão. O trecho feito pela Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa foi o que sofreu a maior elevação: passou de R$ 862 milhões para R$ 1,15 bilhão, aumento de R$ 284,4 milhões.

    Citadini pediu que a obra do monotrilho fosse paralisada porque não havia projeto básico, detalhamento de custos, e a concorrência feria a Lei das Licitações.

    Em janeiro do ano passado, o governo rompeu o contrato do monotrilho alegando que as empresas abandonaram a obra. Já a Andrade Gutierrez dizia que o governo atrasava pagamentos.

    O conselheiro Renato Martins Costa apontou problemas de suspeita de cartel no trecho da linha 2 feito pela Andrade, mas o contrato acabou sendo aprovado. No caso da linha 5, também há suspeita de cartel. A Folha registrou antes o resultado da licitação, e o Ministério Público aponta em ação que corre na Justiça um prejuízo de R$ 329 milhões causado pelo cartel.

    detalhes do post
  • Davi

    Davi comentou na notícia: "Comentário de Itamar no Meu Timão"

    há 2 anos

    É isso mesmo. Até em respeito a torcida faria um amistoso no respeito e cada um apitava um tempo e colocava no Facebook e fodaaaaaa-seeeee.

    detalhes do comentário
  • Davi

    Davi comentou na notícia: "Unidos, rivais peitam a Globo e acabam barrados pela Federação Paranaense"

    há 2 anos

    Se fosse eu ainda jogava pra federação largar de ser besta

    detalhes do comentário
`