La Bombonera: emocional será fundamental para classificação na Argentina

Jorge Freitas

Colunista esportivo do portal 'No Ângulo', este internacionalista é mais um louco do bando e busca analisar o Timão com comprometimento com a realidade e as necessidades do maior clube do planeta.

ver detalhes

La Bombonera: emocional será fundamental para classificação na Argentina

Coluna do Jorge Freitas

Opinião de Jorge Freitas

4.4 mil visualizações 63 comentários Comunicar erro

La Bombonera: emocional será fundamental para classificação na Argentina

La Bombonera será palco do jogo de volta pelas oitavas-de-final da Libertadores

Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

O Corinthians até tentou, mas não conseguiu largar com a vitória no primeiro duelo das oitavas-de-final da Copa Libertadores. Com pênalti perdido e chances desperdiçadas quase que na pequena área, o Timão vai agora à Argentina precisando de uma vitória simples nos 90 minutos ou nos pênaltis para avançar à próxima fase da competição.

Se ontem o grande problema foi a quantidade de desfalques importantes, que fizeram a diferença não somente na formação do time titular, mas também na reposição de peças durante o jogo, para a próxima semana será preciso trabalhar com total atenção no controle emocional dos jogadores para que não corram o risco de serem expulsos e prejudicarem o time num jogo que certamente acontecerá num clima hostil de uma Bombonera lotada.

Jogar no estádio do Boca é sempre complicado, mas o Corinthians não se sai tão mal quando vai para lá. Desde o fatídico gol de Romarinho, foram três jogos, com dois empates e uma derrota pelo placar mínimo. Tais confrontos deixaram claro que não se pode correr o risco de jogar um minuto sequer com um jogador a menos num estádio que parece um caldeirão.

E o Corinthians, infelizmente, tem se especializado em ter jogadores expulsos quando o assunto é mata-mata da Conmebol Libertadores. É assim desde o fatídico episódio do "pega-pega" contra o River Plate, em 2003 e ocorreu também nas oitavas, contra o Guarani em 2015, Nacional, 2016 e Colo-Colo, em 2018.

Nessa edição, inclusive, no próprio jogo contra os argentinos pela fase de grupos, tivemos um momento de descontrole emocional que custou não somente mais de 20 minutos com um homem a menos, como também mais um desfalque importante para o jogo de ontem (Cantillo tomou vermelho e foi suspenso por dois jogos, contra Always Ready e Boca Juniores).

Conhecemos a catimba argentina, já fomos vítimas dela, e temos um time com jogadores jovens, que por vezes se descontrolam e prejudicam o bom jogo da equipe. Mas outro ponto preocupante é que grande parte das expulsões que comprometeram a classificação do Corinthians nas últimas edições foram de jogadores experientes, como Fábio Santos, Jadson, Fagner e Danilo Avelar.

Serão dias para que Vitor Pereira, o melhor técnico que o Corinthians teve desde Tite, trabalhe bastante o emocional da equipe.

Veja mais em: Libertadores da América e Corinthians x Boca Juniors.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Jorge Freitas

Por Jorge Freitas

Colunista esportivo do portal 'No Ângulo', este internacionalista é mais um louco do bando e busca analisar o Timão com comprometimento com a realidade e as necessidades do maior clube do planeta.

O que você achou do post do Jorge Freitas?

x