Corinthians x São Paulo

Pelo Campeonato Paulista, o Corinthians vai empatando contra o São Paulo

Acompanhe ao vivo
Nosso craque é o 12!

Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

ver detalhes

Nosso craque é o 12!

Nosso craque é o 12!

Cássio defendeu três dos últimos doze pênaltis cobrados contra sua meta

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

4.7 mil visualizações 54 comentários Comunicar erro

Uma expressão usual no futebol é fazer referência ao craque do time como o camisa 10. Muitas vezes essa expressão traduz a realidade, mas no nosso caso o craque é o 12.

A ideia aqui é falar do Cássio de uma maneira um pouco diferente da que tem sido feita ultimamente. Menos foco nos excelentes números do goleirão e de olho na emoção do torcedor corinthiano que tem Cássio defendendo suas redes.

Os números do goleiro falam por si só: são mais de 400 jogos com a camisa corinthiana; 49 defesas consideradas difíceis nos últimos 12 meses; está no top 15 de quem mais jogou pelo Corinthians; pode se tornar o jogador mais vitorioso da história do clube com nove conquistas, caso a equipe ganhe o Paulista; defendeu 17 pênaltis com o manto... e esses números não param de crescer.

Cássio é extremamente merecedor de cada marca que atingiu pelo clube e de todas que ainda vai atingir. Ele faz por merecer cada elogio, cada comentário sobre suas boas atuações e cada homenagem que recebe. Mas hoje quero destacar o Cássio aos olhos do torcedor, e não das estatísticas.

Passando para a visão de quem está nas arquibancadas, as estatísticas ficam de lado e o que entra em campo são as emoções.

Com certeza todos torcedores ficam nervosos na cobrança de pênaltis, mas o coritnhiano fica menos porque tem Cássio no gol. O camisa 12 diminui grande parte da angústia da Fiel por ficar embaixo da trave cuidando da meta corinthiana. Durante o jogo, Cássio é sempre muito importante, mas na hora dos pênaltis o goleiro se supera na importância que tem para a equipe - e também para a Fiel.

No último jogo alvinegro, contra o Santos, os pênaltis foram necessários para decidir quem ficaria com a vaga na final do Paulista. E o torcedor corinthiano? Apreensivo, com certeza, mas seguro por ter Cássio no gol. Os pênaltis se iniciaram e por volta da terceira cobrança meu irmão Henrique, mais um pequeno Fiel, disse: “Nos pênaltis a gente (torcedor do Corinthians) fica mais nervoso quando os jogadores vão cobrar do que quando o Cássio vai pra defender”. Meu irmão foi capaz de perceber a segurança do goleiro alvinegro e se sentir mais tranquilo e confiante quando o adversário vai fazer sua cobrança.

Parece que muitos de nós ficam mais tranquilos quando o Cássio vai defender do que quando um jogador corinthiano vai bater o pênalti. Mas isso não quer dizer que nossos jogadores não nos trazem confiança, e sim que nosso goleiro é mais preparado que os arqueiros adversários. Isso é mérito total de Cássio (e dos preparadores de goleiro, obviamente). Essa tranquilidade que sentimos parece com a que outro excelente goleiro corinthiano já nos passou. Impossível não lembrar da frieza de Dida nos pênaltis.

Dos 12 pênaltis cobrados contra o Corinthians nessa temporada, Cássio defendeu três (outros dois foram cobrados para fora), ou seja, na média, a cada quatro pênaltis cobrados por adversários, em um deles a Fiel pode soltar o grito exaltando o arqueiro corinthiano. A verdade é que a Fiel fica mais tranquila com Cássio no gol.

Amanhã se inicia a grande Final do Paulista e se ao final dos dois jogos o placar ficar igualado, o título de campeão será decidido nos pênaltis. Tomara que não seja necessário, mas se isso acontecer, a esperança da Fiel é que Cássio brilhe mais uma vez, assim como tem feito, assim como fez na Final do Paulista de 2018.

Veja mais em: Cássio.

Coluna da Julia Raya

Por Julia Raya

Estagiária do Meu Timão e estudante de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo-SP. Tem 17 anos e é corinthiana há 18. Sempre viveu com o Corinthians e agora trabalha com ele também.

O que você achou do post da Julia Raya?

  • 1000 caracteres restantes