Tiago Nunes fez com Cássio aquilo que nem Tite conseguiu fazer

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Faço jornalismo há 1 ano pois sou Corinthiano há 19. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Tiago Nunes fez com Cássio aquilo que nem Tite conseguiu fazer

Coluna do Luis Fabiani

Análise de Luis Fabiani

29 mil visualizações 100 comentários Comunicar erro

Tiago Nunes fez com Cássio aquilo que nem Tite conseguiu fazer

Cássio parece cada vez mais adaptado ao estilo de Tiago Nunes

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Tiago Nunes instaurou um novo estilo de jogo dentro do Corinthians. Equipe agressiva, intensa e que gosta de ter a bola sob seu domínio a todo tempo. Não à toa, venceu o Botafogo-SP tendo 65% de posse de bola, sendo 30% no último terço do gramado, região mais próxima do gol adversário.

Times que adotam essa postura costumam evitar lançamentos diretos para o ataque, pois entendem que a chance de entregar a bola ao adversário nessas situações é altíssima. Sendo assim, cada vez mais é necessária a utilização dos pés pelos goleiros, mesmo que arriscada em muitos casos.

Cássio, titular absoluto desde 2012 (exceto 2016), sempre teve a saída de bola como seu ponto mais fraco. Cansamos de ver a bola ser recuada para ele e afastada para a lateral através de um chute sem qualquer mecânica. A combinação Tiago Nunes + Cássio poderia dar muito errado. Ainda mais pela titularidade corretamente incontestável do arqueiro.

O último treinador que assumiu o Timão com uma ideia de propor jogo foi Tite, em 2015. Um time que conquistou o Campeonato Brasileiro superando todas as marcas possíveis. A equipe teve uma média alta de posse de bola ao longo do campeonato, mas pouco vimos o goleiro Cássio arriscando jogadas com seus pés. Tite queria um goleiro participando da origem das jogadas, mas se adaptou às deficiências de Cássio. Na seleção, utilizando o mesmo 4-1-4-1 do hexa alvinegro, é recorrente a participação com bola dos goleiros Alisson e Ederson.

A diferença de Cássio entre 2015 e 2020 é tão grande que os números podem acabar com qualquer incerteza.

No Brasileirão de 2015, o goleiro do Timão teve uma média de 10,5 passes por jogo.

Nas primeiras 3 partidas de Tiago Nunes, Cássio atingiu a incrível média de 22,6 passes por partida.

Os números assustam. Mas será que assustam negativamente? Talvez nosso goleiro não fosse essa aberração com os pés que muitos falavam. Cássio só precisava de um período de adaptação e treinos específicos para corrigir esse defeito. Seu único defeito. Ou ex-defeito?

Veja mais em: Cássio e Tiago Nunes.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Faço jornalismo há 1 ano pois sou Corinthiano há 19. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

O que você achou do post do Luis Fabiani?