Em meio ao caos, o corinthiano ganhou um motivo para se animar

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Em meio ao caos, o corinthiano ganhou um motivo para se animar

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

27 mil visualizações 98 comentários Comunicar erro

Em meio ao caos, o corinthiano ganhou um motivo para se animar

Gustavo e Lucas Piton durante comemoração do gol do atacante corinthiano

Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

A entrada de Lucas Piton no time titular é digna de elogios. Suas exibições recentes, somadas às do começo do ano levantam ao corinthiano o seguinte questionamento: por que o Piton não foi titular até setembro?

Nos jogos contra Coritiba, Fortaleza e São Paulo, o Corinthians sofreu gols na mesma área do gramado. O espaço entre o zagueiro Danilo Avelar e Sidcley era muito bem aproveitado pelos adversários, que o preenchiam a todo o tempo. A defesa do Corinthians, naturalmente frágil com Tiago Nunes, passou a ser ainda mais exposta, já que o dono da ala esquerda muito se desprendia da linha de quatro formada na defesa.

Espaço no lado esquerdo foi a maior fragilidade do Corinthians com Sidcley em campo

Espaço no lado esquerdo foi a maior fragilidade do Corinthians com Sidcley em campo

Reprodução

Assim, portanto, mesmo em situações que não levaram a gols adversários, a defesa do Corinthians parecia mais fragilizada. Um problema nem tanto individual, mas sim coletivo.

Talvez por isso, a troca na titularidade na ala esquerda seja ainda mais justificável. O problema citado acima torna-se menos visível com a entrada do Lucas Piton, já que agora a última linha de defesa do Corinthians raramente é desmontada.

Piton ocupando o espaço anteriormente vazio

Piton ocupando o espaço anteriormente vazio

Premiere

O que mais impressiona é a maturidade na tomada de decisão do Lucas Piton. Estamos falando de um atleta que ainda não completou 20 anos. Num ato de afobação, seria normal ver atletas de sua idade buscando maior proximidade ao adversário, prendendo-se numa ideia de marcação individual.

Aí que viria a empolgação da torcida. Um lateral de somente 19 anos atua com mais maturidade que um de 27. E seu ótimo posicionamento defensivo não compromete no ataque. É mais do que comum vermos sua chegada na linha de fundo seguida de um cruzamento certeiro com o pé esquerdo.

O ponta que jogar do mesmo lado que um jogador como Piton tende a crescer. Janderson e Gustavo Silva, atacantes de técnica pouco apurada, jogaram melhor quando Lucas Piton esteve em campo. Como Lucas foi meia em boa parte do seu período na base, é comum vê-lo centralizando as jogadas, abrindo o corredor para a velocidade do ponta.

A defesa, que tendia a ser seu maior problema, já é provadamente uma de suas virtudes. E com toda a maturidade mostrada acima, relembro: estamos falando de um jogador de 19 anos de idade.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

O que você achou do post do Luis Fabiani?