A linha sucessória de Guilherme Arana no Corinthians

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

A linha sucessória de Guilherme Arana no Corinthians

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

8.2 mil visualizações 69 comentários Comunicar erro

A linha sucessória de Guilherme Arana no Corinthians

O legado de Guilherme Arana no Corinthians segue ativo

Foto: Agência Corinthians

O legado de Guilherme Arana no Corinthians não se limita aos três grandes títulos que por aqui conquistou. Nem nas famigeradas canetas e assistências que distribuiu em seus três anos no elenco profissional do alvinegro. Hoje, dá pra dizer que Arana foi o pontapé inicial de uma grande safra de laterais esquerdos formados no Corinthians.

Não parece ser por acaso. Desde a promoção definitiva de Arana ao elenco profissional, nomes extremamente elogiados tomaram conta de sua posição nas categorias inferiores do alvinegro. A começar por Guilherme Romão, destaque absoluto nas Copinhas que disputou. Não se firmou no profissional, mas teve sua titularidade pedida em coro no início de 2018, quando tinha Juninho Capixaba como principal concorrente.

Na sequência, um nome que o torcedor alvinegro terá mais facilidade para se lembrar: Carlos Augusto. O lateral de forte imposição física tardou para ser titular regularmente de sua posição. Amargou injustamente o banco por muito tempo, sendo preterido pelo então contestadíssimo Danilo Avelar.

Em 2020, em meio ao caos técnico do Corinthians, Carlos mostrou seu valor na curta sequência que teve. Foi vendido por cifras milionárias para o Monza (ITA). Não me espantaria vê-lo em clubes maiores do continente europeu em um breve futuro. O lateral tem um potencial imenso.

A outra "boa notícia" deste ano foi a afirmação de Lucas Piton no elenco profissional. Desbancou o experiente Sidcley na corrida pela titularidade e hoje talvez seja o nome menos contestado do inconsistente Corinthians de 2020. Dá para imaginar um futuro brilhante para o garoto. É técnico, inteligente e parece estar aprimorando suas deficiências defensivas.

E para finalizar, dois nomes que talvez parte da torcida não conheça. Lucas Pires e Reginaldo seguem provando valor no Sub-20 do Corinthians. Um mais incisivo e outro mais construtor. Devem pintar no elenco profissional nos próximos meses.

O ponto é que a uma sequência tão positiva talvez não seja por acaso. Em um clube financeiramente colapsado, a base torna-se uma solução. E que venham nomes cada vez melhores em todos os setores do campo

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians e Base do Corinthians.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie e entusiasta das categorias de base do Corinthians. Desde 2020, estagiário do Meu Timão.

O que você achou do post do Luis Fabiani?

x