Entenda por que a sequência para Davó é um golaço de Vagner Mancini

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Entenda por que a sequência para Davó é um golaço de Vagner Mancini

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

26 mil visualizações 70 comentários Comunicar erro

Entenda por que a sequência para Davó é um golaço de Vagner Mancini

Titularidade de Davó é um enorme acerto com assinatura de Vagner Mancini

Foto: Luis Fabiani / Meu Timão

A marca de somente um jogo em sete meses é o perfeito resumo para o início da jornada de Matheus Davó no Corinthians. O atacante atuou por míseros nove minutos contra o Oeste, pelo Campeonato Paulista. Com a chegada de Vagner Mancini ao Corinthians, o atacante ganhou status de titular e já acumula quatro partidas consecutivas entre os 11. E explico o motivo de essa sequência ser um golaço do recém-chegado treinador.

Não, Davó não é um suprassumo técnico. Não soluciona problemas do Corinthians e ainda se mostra cru em algumas situações. Em um mundo ideal não seria titular como vem sendo.

O acerto na escolha de Mancini se justifica fora das quatro linhas. É uma verdadeira aula de como aproveitar o seu elenco.

A medida por exemplo, não compete aos recentes trabalhos de Carille no Corinthians. Em sua segunda passagem, deixou o meia Araos sem atuar por nove meses. É uma medida totalmente nociva a um atleta jovem como o chileno. É quase um ano de sua carreira jogado no lixo. Não houve ganho técnico e seu valor de mercado despencou.

Com Tiago Nunes, o filme se repetiu com Carlos Augusto. Em sua primeira entrevista coletiva anunciou que o jovem lateral não estava nos planos. Qual ganho você tem com esse planejamento? Apenas desvaloriza o patrimônio do clube. Meses depois, Nunes revogou sua decisão, viu o lateral virar peça-chave na equipe e ser vendido por cifras milionárias à Europa.

Se não vai usar o jogador, então que o empreste para algum clube que ofereça as condições para ter seu potencial lapidado (não é o caso do Oeste, por exemplo). Ou então, justifique a existência do seu time Sub-23 dando rodagem para jogadores pouco aproveitados no elenco profissional.

Mancini acerta demais em dar sequência ao Davó por isso. O atacante provou que pode ser útil em 2020.

Um clube à beira de um colapso financeiro precisa saber olhar com mais carinho para seus ativos. Sejam eles vindos das categorias de base ou de times de menor expressão.

Veja mais em: Matheus Davó, Tiago Nunes, Fábio Carille e Vagner Mancini.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie e entusiasta das categorias de base do Corinthians. Desde 2020, estagiário do Meu Timão.

O que você achou do post do Luis Fabiani?

x