Quais jogadores do Sub-20 devem ser utilizados no profissional em 2021?

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Quais jogadores do Sub-20 devem ser utilizados no profissional em 2021?

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

3.8 mil visualizações 29 comentários Comunicar erro

Quais jogadores do Sub-20 devem ser utilizados no profissional em 2021?

Elenco do Sub-20 durante goleada sobre o Sport, pelo Campeonato Brasileiro Sub-20

Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

O Corinthians Sub-20 vive um ótimo ano nas competições que disputa. Briga pela primeira posição do Brasileirão e lidera seu grupo no Campeonato Paulista. O Timãozinho faz jus às peças que tem. E vou tentar apresentá-las a vocês aqui nessa coluna.

Primeiro, gostaria de deixar claro que esse é um conteúdo opinativo. Nada do que for dito aqui se trata de uma verdade absoluta, e posso estar equivocado em qualquer avaliação que fizer. Podem concordar e discordar a vontade.

A ideia aqui será de dividir os jogadores em duas "prateleiras", de acordo com o quão aptos estariam para atuar em nível profissional já em 2021. Até por que não basta ter talento para se firmar em alto nível. Aspectos emocionais, físicos e psicológicos, além da concorrência na posição no elenco de cima, tem de ser levados em conta com a mesma importância.

PRIMEIRA PRATELEIRA - JÁ ÚTEIS AO PROFISSIONAL

Jogadores selecionados: Daniel Marcos (LD), Reginaldo (LE), Vitinho (MEI) e Cauê (ATA).

O lateral Daniel Marcos é daqueles jogadores que poderiam estar no profissional há um certo tempo. É forte fisicamente, apoia MUITO bem e é um ótimo cruzador. Tem passagens por seleções de base e supriu muito bem a saída do ótimo Igor Marques (hoje no Sub-23). Como a lateral-direita não é um problema para o elenco do Corinthians, Daniel teria bastante tempo para amadurecer na categoria. Seria uma boa reposição para Fagner a curto e longo prazo.

O Reginaldo, recém-chegado do ABC, lembra bastante o já consolidado Lucas Piton. É um jogador mais cerebral, construtor e de ótimo apoio. Como já foi profissional no ABC-RN, é mais maduro que seus colegas de Sub-20. Em apenas 15 jogos, já virou protagonista da equipe de Dyego Coelho.

Dessa primeira "prateleira", talvez o nome mais conhecido seja o de Vitinho. Além das várias lesões, o meia demorou pra de fato encontrar sua posição ideal. Com Coelho, vem atuando quase como um segundo volante, especializando-se como um ritmista e como um ótimo lançador. Toda a criação da equipe passa pelos seus pés.

Hoje, Vitinho é dez e faixa no Sub-20. Em categorias inferiores, chegou, inclusive, a ofuscar Vinícius Jr na Seleção Brasileira. Era o grande nome do Brasil na disputa do Sul-Americano Sub-15 e quase foi jogar no Manchester City no mesmo ano.

E por último, além de ser o mais novo dos quatro, é o que vejo sendo mais útil ao profissional ainda em 2020. Cauê, em seu primeiro ano no Sub-20, já se consolida como um dos artilheiros do Brasileirão da categoria. É rápido, forte, alto e finaliza muito bem. Essa facilidade pra se impor fisicamente já o consolida como um centroavante moderno. Sem Boselli para o ano que vem, Jô pode ter Cauê como sua reposição imediata.

2ª PRATELEIRA DE OLHO PRO FUTURO! Jogadores talentosos, mas que ainda necessitam maior maturação para o profissional

Matheus Donelli, Ronald, Belezi, Du, Adson e Matheus Araújo e Lucas Pires.

Donelli é um dos nomes mais conhecidos dentre todos os jogadores de base no Brasil. Ganhou evidência ao ser premiado como o melhor goleiro do Mundial Sub-17 de 2019. É ágil e usa bem os pés. Ainda precisa desenvolver em outros aspectos. Mas pra isso que serve a base. O goleiro é figura constante nos treinos da equipe profissional.

Ronald está desde cedo no Corinthians. Já disputou três Copinhas, sendo titular em todas elas. Quando subiu, ainda cru, mostrava sérios problemas na saída de bola. Com os trabalhos de Eduardo Barroca e Dyego Coelho, desenvolveu a ponto de se tornar um dos pilares do time. Ainda precisa melhorar sua velocidade, já que não é um zagueiro rápido e por vezes compromete jogando em linha alta. Pode ser um bom nome para o Sub-23 ano que vem.

Lucas Belezi já está na história do Corinthians. Foi o jogador mais novo a disputar uma partida no time profissional na história do clube (com 16 anos, um mês e 21 dias!). Se mostra como um zagueiro completo, equilibrando sua boa saída com a capacidade de "zagueirar" de fato. Ainda é novo, e requer mais tempo na base para subir pronto ao profissional. Em 2020, alternou entre as categorias Sub-17 e Sub-20.

Agora, um espaço para uma opinião pessoal bem forte: o volante Du é o jogador que eu mais gosto de ver jogar no time Sub-20 do Corinthians. É inteligentíssimo, tem ótimos gestos técnicos e é um dos grandes pilares da equipe. Sai da zona de pressão como poucos. Em 2019, revezava a titularidade com Xavier. Foi muito bem moldado por Barroca e Coelho, quando subiu do Sub-17 para o Sub-20. Ainda precisa melhorar sua parte defensiva para subir ao time de cima. Sub-23 pra já! Se bem lapidado, será um excelente jogador.

Adson, meia atacante, é talento PURO. E puro mesmo. Mesmo muito franzino, é um dos melhores jogadores da equipe de Dyego Coelho. Dribla bem, finaliza muito bem, arma muito bem, mas esbarra demais na parte física. Se tiver esse problema bem administrado, será excelente. Como é de 2000, estoura a idade do Sub-20 em janeiro. Corinthians NÃO PODE se desfazer do jogador de jeito nenhum. E basta assistir um jogo do Adson para começar a compará-lo com Pedrinho. Dá uma olhada nesse vídeo que vocês vão me entender

Lucas Pires é um tradicional ala. Dribla como um ponta e ultrapassa como um lateral. Coelho já o utilizou nessas duas posições e como volante. Precisa melhorar a parte defensiva se quiser ser alçado logo ao profissional. Tem boa técnica, idade e maturidade física. Ainda possui mais um ano no Sub-20.

E pra finalizar, Matheus Araújo. Um meia moderno, que pisa sempre na área para finalizar. Bom passe, bom chute, boa visão, mas também esbarra na parte física. Também já estreou nos profissionais e é presença constante nas seleções de base. Como é de 2002, ainda tem mais um bom tempo na categoria. É o tipo do jogador que requer tempo para justificar a alcunha de joia. Já tá se destacando no Sub-20, mesmo com somente 18 anos.

Apesar de ter elogiado bastante os jogadores, na base é mais importante notar as deficiências. Como escrevi em outro momento, as etapas de formação dos jogadores são bastante específicas e devem ser respeitadas para obter êxito.

Veja mais em: Corinthians Sub-20.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie e entusiasta das categorias de base do Corinthians. Desde 2020, estagiário do Meu Timão.

O que você achou do post do Luis Fabiani?

x