Por que eu escalaria Cauê como titular contra o Bragantino

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Por que eu escalaria Cauê como titular contra o Bragantino

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

6.3 mil visualizações 57 comentários Comunicar erro

Por que eu escalaria Cauê como titular contra o Bragantino

É hora do Corinthians usar a base. E isso não significa colocá-los em campo nos minutos finais das partidas

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

É nítida a carência do Corinthians no comando do ataque. Jô, contratado a peso de ouro, não chegou perto de mostrar aquilo que consegue fazer. E além disso, não dá sinais de que irá se recuperar fisicamente a ponto de voltar a ser o que foi em 2017. O descontrole físico, e até emocional em alguns momentos, fez com que o camisa 77 amargurasse o banco de reservas do clube por uma sequência de jogos.

Buscando uma equipe mais móvel e veloz, então, Vagner Mancini oportunizou o comando de ataque a Léo Natel. Ainda que expandisse os recursos da equipe (o Corinthians se tornou um time mais rápido), sua limitação técnica impediu que a titularidade durasse mais. Hoje, 28/02, não há um titular consolidado na referência do ataque alvinegro. Surge, assim, um coro coletivo por mais oportunidades para Cauê Santos, atacante do sub-20 do Corinthians.

Eu, como entusiasta da base, não tardaria para testá-lo na titularidade. Quem o acompanhou nas categorias inferiores entende o que estou falando. Em 2020, ainda com 17 anos, destoava em relação aos mais velhos jogadores da categoria. Vencia toda e qualquer disputa contra defensores adversários, seja através do físico ou da técnica. Parecia um profissional em meio a amadores.

Cauê é um jogador peculiar. É interessante a Vagner Mancini, já que une o físico que falta ao Jô com a inteligência tática que falta ao Léo Natel. É do tipo de jogador que consegue se moldar a qualquer cenário oferecido pelas condições das partidas. Com um Corinthians retraído, é uma flecha para correr nas costas dos zagueiros e gerar contra-ataques. Em cenários que tiver a posse, oferece ótimo pivô e jogo aéreo.

O Bragantino, adversário do Corinthians nesta noite, é um time que joga com um bloco alto de marcação e cede espaços para as transições adversárias. Imaginando um time que tenha Cantillo, Cazares e Cauê como titulares, dá pra projetar um Corinthians bastante vertical, que precisaria de poucos toques na bola para chegar ao gol adversário. É por isso que, ao meu ver, é hora de testar Cauê como titular.

É hora do Corinthians usar a base. E isso não significa colocá-los em campo nos minutos finais das partidas.

Veja mais em: Cauê e Vagner Mancini.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie e entusiasta das categorias de base do Corinthians. Desde 2020, estagiário do Meu Timão.

O que você achou do post do Luis Fabiani?

x