Ídolo da torcida, Ralf pode reforçar rival no ano que vem

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Ídolo da torcida, Ralf pode reforçar rival no ano que vem

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

39 mil visualizações 314 comentários Comunicar erro

Ídolo da torcida, Ralf pode reforçar rival no ano que vem

Ralf pode jogar no Atlético Mineiro em 2016

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

O volante Ralf deixou clara mais uma vez a insatisfação com sua situação no clube após a vitória do Corinthians sobre o Goiás em Itaquera.

Como a coluna adiantou no último dia 5 de outubro, o jogador quer dois anos de contrato, enquanto a diretoria oferece apenas um.

Ralf disse no gramado de Itaquera que a situação não mudou, e ainda falou em reajuste salarial para ficar no clube.

A diretoria do Corinthians continuará com a proposta de um ano, e nem pensa em reajuste salarial para o atleta de 31 anos de idade.

Mas enquanto os dirigentes corinthianos travam uma batalha fria sem ceder um só milímetro para concretizar a renovação, os empresários de Ralf recebem consultas de outros clubes brasileiros interessados em contar com o volante.

Pelo menos dois clubes brasileiros já procuraram os empresários do jogador: Cruzeiro e Atlético Mineiro. As conversas aconteceram para saberem o quanto ele gostaria de ganhar e quanto tempo de contrato ele gostaria de assinar.

Os representantes de Ralf, Alisson Garcia e André Costa, ainda cobram na justiça uma dívida antiga com o Corinthians e sentem na demora dos dirigentes um indício de que uma situação pode estar influenciando a outra.

A diretoria do Timão conta com a vontade de Ralf, que é permanecer, como trunfo para não ceder na negociação.

Mas os empresários já abrem outras possibilidades para o futuro da carreira do jogador.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?