Dupla deve recusar Libertadores e permanecer treinando no Corinthians

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Dupla deve recusar Libertadores e permanecer treinando no Corinthians

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

101 mil visualizações 328 comentários Comunicar erro

Dupla deve recusar Libertadores e permanecer treinando no Corinthians

Mendoza não fez ainda nenhuma partida pelo Timão em 2017

Foto: Daniel Augusto Jr. - Agência Corinthians

A oferta do Jorge Wilstermann, da Bolívia, pelo atacante Stiven Mendoza e pelo volante Cristian Baroni deve ser recusada pelos atletas.

O Corinthians recebeu um contato informal da equipe boliviana confirmando o interesse pelos dois jogadores, que não estão sendo utilizados pelo técnico Fabio Carille.

Mendoza voltou este ano de empréstimo no New York City, e não entrou em campo sequer uma vez. O contrato do jogador vai até dezembro de 2018.

Só este ano, o atacante já recusou propostas formais do Bahia, Goiás e Ponte Preta, preferindo ficar encostado, apenas treinando no CT.

Já o caso de Cristian é mais complexo ainda. O volante está afastado do elenco, treinando em horários separados, após uma entrevista que irritou a diretoria e a comissão técnica.

O veterano jogador tem um dos maiores salários do atual elenco e contrato válido até dezembro deste ano.

A própria diretoria do Timão trata o assunto com cautela, pelo histórico dos atletas. Tanto Mendoza quanto Cristian já se mostraram reticentes a aceitarem qualquer oferta que os tire da “zona de conforto”.

Mesmo com o charme e a vitrine da Libertadores da América (o Jorge Wilstermann disputará as oitavas de final da competição), Cristian e Mendoza devem fazer a escolha de continuarem apenas treinando no Timão.

Veja mais em: Cristian, Mendoza e Mercado da bola.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?