A injustiça do Corinthians com Walter

Mayara Munhoz

Editora do Meu Timão. Vive Corinthians 24 horas por dia.

ver detalhes

A injustiça do Corinthians com Walter

Coluna da Mayara Munhoz

Opinião de Mayara Munhoz

134 mil visualizações 266 comentários Comunicar erro

A injustiça do Corinthians com Walter

Walter foi titular nos últimos quatro jogos do Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Uma das palavras que mais ouvimos o ex-técnico Tite dizer nos últimos anos foi merecimento. Engraçado que, um dos assuntos mais comentados do Corinthians nesta semana, seja justamente a falta dessa filosofia.

Segundo o dicionário, merecimento é "aquilo que torna alguém ou algo digno ou passível de receber prêmio ou castigo". Então, o que é preciso para um jogador se tornar digno da posição de titular?

Três anos treinando em alto nível todos os dias, evoluindo e demonstrando qualidade inquestionável. Quase 50 jogos disputados e um aproveitamento de quase 60% em campo. Nenhum cartão amarelo. Nenhum cartão vermelho.

Acima disso, números impressionantes em sua função. Um goleiro que tem uma média de 0.76 gol por jogo. Tem média de 75,8% de chutes defendidos, de 87,5% de disputas ganhas e 65,99% de precisão de passes no Brasileirão deste ano.

Os números acima, claro, não é segredo para ninguém, são referentes ao goleiro Walter. Titular do Corinthians nos últimos quatro jogos, deve perder a vaga na próxima partida, contra o Santa Cruz. Porque jogou mal? Porque falhou em algum gol? Porque não está rendendo?

Não. Nenhuma das respostas acima. Porque o seu concorrente na posição é Cássio, goleiro campeão de quase tudo no Corinthians, e com uma história invejável. Mas que, dentro de campo, não vem apresentando a sua melhor forma. E mais do que isso: não vem atuando melhor que Walter.

Por isso, voltamos a questão inicial deste texto: o que é preciso para um jogador se tornar digno da posição de titular? O retorno de Cássio ao time titular será uma das ações mais injustas vistas dentro do Corinthians nos últimos tempos.

Com o clube em um momento tão instável, Walter é sinônimo de confiança. A torcida gosta. Os jogadores gostam. Os adversários não gostam. É uma esperança de algo certo em um time e, principalmente em um clube, onde tudo está tão errado.

Então, que se lembre da filosofia de Tite. Que se faça valer o merecimento. E que Walter fique! Agora é a hora dele!

Coluna da Mayara Munhoz

Por Mayara Munhoz

Editora do Meu Timão. Acompanha tudo que acontece no Corinthians, 24 horas por dia, há mais de dois anos e meio. Escreve mais com o coração do que com a razão.

O que você achou do post da Mayara Munhoz?