Com mais posse de bola, Carille mostra nova tendência para o Corinthians em 2019

Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia a dia do clube em busca de informações e números do Timão.

ver detalhes

Com mais posse de bola, Carille mostra nova tendência para o Corinthians em 2019

Coluna do Rafael Bianco

Opinião de Rafael Bianco

3.8 mil visualizações 45 comentários Comunicar erro

Com mais posse de bola, Carille mostra nova tendência para o Corinthians em 2019

Carille comanda treino no CT Joaquim Grava durante preparação do time para o Campeonato Paulista

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

No primeiro jogo da temporada, contra o São Caetano, o Corinthians terminou com 72% de posse de bola, mas mesmo assim não foi capaz de criar jogadas que pudessem de fato demonstrar perigo para a meta do time adversário. O gol de empate saiu apenas em um escanteio, que é uma jogada com a bola parada, sem influência direta do toque de bola.

Talvez de nada adiante ter a bola se o time não consegue finalizar de forma eficiente. Na partida de estreia do Campeonato Paulista, por exemplo, o Corinthians chutou 13 vezes, mas somente um foi no gol.

Observando o retrospecto do Corinthians nos últimos anos, o próprio time comandado por Fábio Carille criou o costume de se defender muito bem e oferecer a bola ao adversário, conseguindo então, oportunidades de jogadas rápidas e contra-ataques.

Nos últimos anos, tirando o time do Campeonato Brasileiro de 2015, no qual a equipe conseguia ficar com a bola e triangular com altíssima eficiência, o Corinthians conquistou dois campeonatos paulista e outro brasileiro justamente sem a posse de bola, mas com um setor defensivo muito entrosado e que permitia poucas chances aos adversários. A diferença estava no fato de que o ataque era eficiente.

Em 2017, por exemplo, a equipe campeã com Fábio Carille, costumeiramente perdia pontos no campeonato justamente quando tinha a posse de bola.

Contra o Palmeiras, na 13° rodada, por exemplo, o time ficou com ela apenas 39% do tempo, mas ainda assim venceu por 2 a 0.

Dois jogos depois, contra o Avaí, o Corinthians teve 67% de posse de bola, mas não conseguiu furar a retranca do adversário e o jogo acabou empatado em 0 a 0.

Carille já ressaltou que volta ao time, em 2019, com a prioridade de arrumar o setor defensivo e manter o alto padrão que o Corinthians estava acostumado nos últimos anos, sofrendo poucos gols. No amistoso contra o Santos, por exemplo ficou nítida a organização tática na hora de se defender.

Fábio Carille não abre mão das duas linhas de quadro na hora de se defender

Fábio Carille não abre mão das duas linhas de quadro na hora de se defender

Rodrigo Vessoni

Mantendo a excelente tática defensiva, o Corinthians ainda assim precisa marcar gols para vencer as partidas. A esperança da equipe para os bons resultados acaba sendo, então, nas novas contratações do Corinthians esse ano, para que consigam transformar o tempo que o time fica com a bola em possibilidades reais de gol.

Entre os nomes que chegam com o poder de decidir, podemos destacar a possibilidade de uma jogada individual de André Luis e Sornoza pelas laterais, uma chegada por trás de Ramiro ou até mesmo um bom chute de Gustavo ou Boselli, além dos outros nomes que já estavam no Timão e podem auxiliar também, como Jadson e Pedrinho.

Vamos ver qual vai ser a postura adotada pelo time no confronto desta quarta-feira, quando enfrenta o Guarani, fora de casa, pela segunda rodada do Paulistão, já que Fábio Carille decidiu manter a mesma equipe da estreia, colocando apenas Léo Santos no lugar de Marllon.

Aperfeiçoando o que dá certo no setor defensivo e inovando no ataque, o Corinthians, que ainda deve contar com a chegada de mais algum reforço, tem tudo para ser uma das equipes que podem se destacar esse ano no Brasil.

O Timão disputa em 2019 o Campeonato Paulista, o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Sul-Americana, e se conseguir corresponder às expectativas, tem tudo para figurar entre os principais concorrentes dessas competições.

Veja mais em: Fábio Carille.

Coluna do Rafael Bianco

Por Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia-a-dia do clube em busca de informações e números do Timão.

O que você achou do post do Rafael Bianco?