O menino que viu o Corinthians nascer

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

O menino que viu o Corinthians nascer

5.4 mil visualizações 51 comentários Comunicar erro

O menino que viu o Corinthians nascer

O pequeno profeta viu isso em 01/09/¹910

Foto: Danilo Augusto Jr. Agência Corinthians.

- Que friozinho.... Setembro começa assim. Não faz friozão, mas também não chegou o calor. Bem que minha mãe falou para eu vestir minha calça comprida. Mas é a única que tenho. Hoje é quinta-feira. Se ela sujar, não vai dar tempo de lavar até amanhã, dia de festinha na casa do Juca.

A gente que é pobre, mas tem colega que não é tão, aproveita as festas para encher o bandu de bolo.

Mas o importante é que o seu Rafael Perrone me deixou assistir a essa reunião. Sabe como é, estou sempre nos jogos do pessoal da fábrica, buscando e devolvendo as bolas que caem no terreno baldio. Sempre me dão alguma coisa. Um tostão, um lanche, um agrado. E me deixaram entrar. Sempre tem pão italiano com calabresa nesses encontros. E a fome não larga de mim.

Ah, agora eles estão falando o motivo dessa reunião. Vão fundar um time de futebol de verdade!

Quer dizer que a gente que não é da elite vai ter um time? Será que vão deixar? Espera. Estão escolhendo o nome.

Santos Dumont Futebol Clube? Não tem nada a ver com futebol. Sport Club Carlos Gomes? Não imagino alguém gritando no campo: “Carlos Gomes, Carlos Gomes!”

Espera aí. Acho que o seu Joaquim Ambrósio vai dar uma boa ideia. Ele deu um salto; seus olhos estão úmidos. Igual eu quando tomo bronca da mãe. A sombra dele na parede parece ter ficado gigante. Vai sugerir um nome: Corinthians? Isso, isso mesmo!

Sei que não fui chamado para dar palpite, estou aqui me aquecendo no lampião, comendo e xeretando, mas “Corinthians” é perfeito. A gente se sente importante falando “Corinthians”. Além disso, os estrangeiros do Corinthian Casuals mostraram como é que se joga bola.

Não sei se foi o sopro que saiu da minha boca, mas até o lampião tremeu quando falei “Corinthians”.

Vai ter time com nome de cidade, de planta, de gente, de bicho, mas “Corinthians” vai ser só nós. E se tiver outros depois, terão que explicar de onde é. Corinthians original, só o do Bom Retiro!

Nossa! Tá todo mundo me olhando. Ou falei besteira ou acertei em cheio.

“Está bem, garoto. Decidimos. Vai se chamar Corinthians”.

- Olha, minha mãe disse e até o padre concorda, que às vezes eu sou meio profeta. Não erro uma gravidez! Só de olhar a barriga da mulher já sei se é menino ou menina.

Tem mais. Lembra do Chiquinho Rebolo? Ele tem 8 anos, que nem eu. Ele faz cada desenho! Falei que ele vai ser um grande pintor e ele tremeu de emoção. Está acreditando. Quem sabe quando for gente grande não desenha o escudo do Corinthians.

Mas, como dizia, acho que eu vejo o futuro. Estou sentindo que com a raça que todo pobre tem para sobreviver e com a força desse nome “Corinthians”, o time vai ser o maior do Brasil. Talvez ganhe o mundo! E vai ter torcedor pobre, rico, novo, velho, gente diferente, mas todos iguais numa coisa. Vão ser loucos pelo time. Ele acabou de ser batizado, nem jogou ainda e só penso nele! Corinthians, Corinthians, Corinthians...

Deixa eu pegar mais querosene que a luz do lampião está tremendo tanto que acho que vai apagar.

Veja mais em: Títulos do Corinthians.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?