Faltou simplicidade para golear o Wanderers e deixar o time 1000% para o Dérbi 

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

Faltou simplicidade para golear o Wanderers e deixar o time 1000% para o Dérbi 

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

6.4 mil visualizações 113 comentários Comunicar erro

Faltou simplicidade para golear o Wanderers e deixar o time 1000% para o Dérbi 

Corinthians entrou em campo nesta quinta pela Sul-Americana

Foto: Danilo Fernandes/Meu Timão

Júnior Urso recebe sem marcação e avança pelo meio. Vagner Love faz o facão, fica sem marcação e cara a cara com o goleiro. Urso resolve chutar e a bola sai fraca...defesa fácil.

Júnior Urso poderia ter acionado Vagner Love, que ficaria cara a cara com o goleiro

Júnior Urso poderia ter acionado Vagner Love, que ficaria cara a cara com o goleiro

Reprodução/TV

Fagner cruza, Manoel resvala e a bola sobra no segundo pau. Gil, Love, Jadson e Pedrinho estão sem marcação, para escolher quem fará o gol. O prata da casa resolve dar uma bicicleta, ao invés de dominar. Bola na linha de fundo e desespero do trio.

Quatro (!) jogadores ficariam livres para fazer o gol, mas Pedrinho optou pela bicicleta

Quatro (!) jogadores ficariam livres para fazer o gol, mas Pedrinho optou pela bicicleta

Reprodução/TV

Contra-ataque do Corinthians no último lance do jogo. Junior Urso acha Love na direita. Mesmo com Boselli entrando do outro lado em boas condições de marcar, o camisa 9 resolve encarar o goleiro, chuta em cima do mesmo e perde a chance.

Se Love rolasse para o meio, entre o zagueiro e o goleiro, Boselli faria o gol sem obstáculo

Se Love rolasse para o meio, entre o zagueiro e o goleiro, Boselli faria o gol sem obstáculo

Reprodução/TV

Três chances claras de gol. Três chances claras de fazer o bom 2 a 0 se transformar num ótimo 3 a 0, num maravilhoso 4 a 0 e, por que não, num espetacular/épico 5 a 0 na Arena.

Três lances que, se tivesse mais capricho, simplicidade e parceria, CERTAMENTE deixaria o êxito na conclusão muito mais próximo, quase uma questão burocrática de tão mais fácil do que acabou sendo na prática.

Que fique a lição! Mata-mata é traiçoeiro. O 2 a 0 é bom? Claro, ainda mais pelo fato de não ter tomado gol em casa. Mas a vaga nas quartas e a premiação da fase (R$ 2.4 milhões) já poderiam estar confirmadas.

Isso sem falar na chance de mandar uma equipe reserva para o Uruguai, deixando os principais jogadores 1000% para o Dérbi do domingo.

Foi bom. Mas poderia ser melhor.

Concordam?

Veja mais em: Copa Sul-Americana.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?