Fiel rendeu um naming rights ao Corinthians em apenas 1/4 do tempo que renderá a Neo Química

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Fiel rendeu um naming rights ao Corinthians em apenas 1/4 do tempo que renderá a Neo Química

Coluna do Rodrigo Vessoni

Análise de Rodrigo Vessoni

7.6 mil visualizações 40 comentários Comunicar erro

Fiel rendeu um naming rights ao Corinthians em apenas 1/4 do tempo que renderá a Neo Química

Quase 6,5 milhões de torcedores já foram aos jogos do Corinthians desde a inauguração do estádio, em maio de 2014 (199 jogos disputados com público)

Foto: Meu Timão

Um esclarecimento antes de mais nada: essa coluna não é uma crítica ao valor do naming rights do estádio do Corinthians. Até porque eu já disse em lives no canal do Meu Timão no Youtube que, pra quem fez R$ 0 com essa receita nos dez primeiros anos, fazer R$ 300 milhões nos vinte anos subsequentes é motivo para comemorar. E muito. Essa coluna, sim, exaltará o poder e a força da maior torcida da cidade e do estado mais rico do país.

Dito isso, vamos lá:

A empresa Neo Química será a dona do nome do estádio do Corinthians em Itaquera por 20 anos. Para isso, a gigante farmacêutica desembolsará R$ 300 milhões, que serão pagos anualmente (vinte parcelas de R$ 15 mi).

O valor foi considerado bom por todos os especialistas que se analisaram o acordo, levando em consideração o cenário mundial após a pandemia, entre outros fatores.

Veio na minha cabeça a seguinte pergunta: quanto tempo a bilheteria da Arena rendeu esses mesmos R$ 300 milhões desde a inauguração do estádio, em maio de 2014?

Recorri, então, ao meu controle que faço de jogo a jogo da Arena Corinthians (hoje Neo Química Arena). Tenho dados de jogadores, adversários, competições, datas e, claro, financeiros. E a resposta, com ajuda do meu Excel, foi até fácil conseguir.

A Fiel alcançou a marca de R$ 300 milhões em ingressos comprados no 116º jogo do estádio, que foi o duelo com a Ferroviária, pelas quartas de final do Paulistão de 2019. Naquela noite de quarta-feira, a bilheteria da Arena chegou a R$ 300.736..619,64.

Aquele duelo estadual, que terminou 1 a 1 - Corinthians se classificou nos pênaltis -, foi disputado no dia 27 de março de 2019. Ou seja, pouco antes do quinto aniversário da inauguração.

Isso quer dizer que a Fiel precisou de apenas 1/4 do tempo do acordo com a Neo Química para alcançar os mesmos R$ 300 milhões. Algo notável!

Agora essas duas receitas (bilheteria e naming rights) estarão juntas. Bom para o Corinthians, que poderá quitar o estádio ainda mais rápido.

Em tempo: neste momento, o estádio alvinegro está com 206 jogos - sete deles sem público. A bilheteria total nesses 199 jogos com público é de R$ 357,7 milhões.

Veja mais em: Neo Química Arena, Torcida do Corinthians e Ações de marketing.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?