Estrangeiros a caminho

Teleco

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

ver detalhes

Olha o Rapa: Estrangeiros a Caminho

Coluna do Teleco 1910

Opinião de Teleco

25 mil visualizações 51 comentários Comunicar erro

Olha o Rapa: Estrangeiros a Caminho

Salve-se quem puder

Foto: Google Street View

Antigamente os grandes jogadores brasileiros jogavam aqui sua vida inteira, com poucas exceções. Um pequeno movimento começou a tomar força com a ida de Falcão e Dirceu para a Europa, seguindo com Zico, Sócrates, Júnior e Cerezo indo para times médios da Itália de 82 a 85. Em 1990, predominavam os 'estrangeiros' na seleção, fato que persiste até hoje.

As janelas de transferência foram oficializadas em 2002, para tentar organizar a transferência de jogadores. Para o Brasil, não faz muita diferença, já que as janelas de transferência tanto de saída como entrada de jogadores ficam no meio do campeonato. Com esta JENIAL™ ideia, grandes favoritos ao campeonato brasileiro viram pó no meio do campeonato e futuros rebaixados ganham uma sobrevida.

Sem mais delongas, vamos falar um pouco dos principais mercados para brasileiros e as características de jogadores que procuram.

Inglaterra

A Inglaterra está com o mercado aberto de 10 de junho a primeiro de setembro. Os principais clubes costumam levar a nata do nosso futebol, com times mais modestos pegando destaques do Campeonato Brasileiro. A regra para estrangeiros jogarem em times ingleses é que tenham jogado 75% dos últimos jogos oficiais de sua seleção, além de sua seleção estar entre as setenta melhores do mundo. Há exceções, como o nosso ex-JÓIA DA BASE Willian, hoje no Chelsea.

Quem eles levaram diretamente do Brasil ultimamente: Lucas Piazón (SPFC/Chelsea), Oscar (Inter/Chelsea) e Paulinho (Tottenham). Do Corinthians, potenciais candidatos com o perfil inglês seriam Matheus Pereira e Malcon.

França

Na França os jogadores podem chegar de 9 de junho até o final de agosto. Normalmente os clubes tem orçamentos limitados e não trazem grandes nomes, com a notória exceção do Paris Saint-Germain, que tem por hobby rasgar dinheiro. Alguns bons jogadores sem espaço nas principais ligas acabam na França, muitas vezes saindo de times menores daqui.

Os últimos jogadores de nota que saíram do Brasil para lá foram Lucas Marcelinho (SPFC/PSG) e Gil (Cruzeiro/Valenciennes). Do Corinthians, um alvo seria o próprio Gil ou Felipe.

Itália

As ligas italianas já foram muito poderosas, mas hoje em dia tem dificuldades para levar os melhores jogadores. Os italianos tem se concentrado em jogadores com nível e carreira medianos, com poucas ou nenhuma passagem pela seleção. Do Corinthians, levaram recentemente Castán (Roma), Dodô (Roma, hoje na Inter), Cassini (Palermo), Edenílson (Genoa) e Guilherme (Udinese). No time hoje, jogadores com perfil 'italiano' seriam Gil, Felipe, Bruno Henrique, Petros, Renato Augusto e Malcom. Italianos podem fazer a feira até 31 de agosto.

Portugal

Os times portugueses podem importar jogadores do início de julho até 22 de setembro. Porto, Benfica e Sporting tem boa capacidade de investimento e levam um bom número de promessas daqui para um 'estágio' antes de revenderem com grandes lucros para as ligas maiores. Um outro mercado é para times como Braga e Belenenses, que trabalham com jogadores de times pequenos e médios do Brasil. Dos nossos jogadores, não acho que jogadores do elenco principal iriam neste momento.

Alemanha

O futebol alemão está na moda. Times como Bayern e Borussia tem condições de levar grandes jogadores mas dificilmente levam jogadores diretamente do Brasil, preferindo comprá-los depois de testados na Europa. Times médios como Wolfsburg, Bayer Leverkusen ou Schalke 04 procuram jogadores brasileiros que componham o elenco, com alguns obtendo grande sucesso. Recentemente levaram Cléber (Hamburgo) e Gil está cotado para ir para o Wolfsburg. A janela alemã é de julho a agosto.

Espanha

Fora Barcelona, Real Madrid e Atlético, os times não fazem enormes investimentos. Estão levando o Petros para o Betis, que também gostaria de contar com o Malcom.

Turquia

As equipes turcas levam de destaques aqui (como Cristian, Alex, Edu Dracena, André Santos, Alex Telles) a jogadores pouco conhecidos como Fábio Bilica. O scouting de lá é um mistério para mim, mas os turcos pagam bastante por jogadores de bom nível que estão ou estavam com pouco espaço nas grandes ligas, como Diego Ribas, Roberto Carlos, Sneijder e Kuyt. Jogadores do Corinthians que poderiam parar na Turquia são Vágner Love ou Pato. Estrangeiros podem ser inscritos de junho a agosto.

Ucrânia e Rússia

Times russos e ucranianos se acostumaram a levar times inteiros de promessas daqui por valores irrecusáveis. Um exemplo é o Shakhtar Donetsk, que tem Bernard, Wellington Nem, Douglas Costa, Dentinho Taison, Alex Teixeira... 14 brasileiros no total. O objetivo é aproveitar os melhores para depois vendê-los a ligas maiores, com os que não vingam frequentando listas de especulações aqui o ano inteiro. Do nosso time atual, quem poderia entrar na mira seria o Malcom. Russos compram de junho a agosto e ucranianos de julho a agosto.

México

O México leva alguns jogadores meio aleatórios. De bons valores como Sóbis a semi-aposentados como Ronaldinho Dentucho passando pelo Pelédno, não dá para dizer que tem um padrão. O Cruz Azul levou o Fábio Santos. A janela mexicana vai de 14 de junho a 5 de setembro.

Países do Pé-de-Meia: China, Oriente Médio, Índia

Jogadores sem muitas aspirações de glória mas com vontade de encher o bolso gostam de ir para o Oriente Médio, como Jucilei, Nilmar, Thiago Neves ou Romarinho. O poder do dinheiro já levou grandes jogadores em fim de carreira como Rivellino a encerrarem a carreira lá. Jogadores do Corinthians que poderiam se encaixar seriam Jádson, Ralf, Cristian ou Edu Dracena.

Com jogadores sendo levados ainda no berço e jogadores de 23 a 30 anos surrupiados por várias ligas européias, os times brasileiros começaram a comprar jogadores de bom nível mas mais velhos, tentando manter um bom plantel. Com a chegada da ONDA CHINESA ao mercado, essa estratégia foi por terra: só este ano foram Conca, Marcelo Moreno, Barcos, Tardelli, Ricardo Goulart, tentaram levar Jadson... Por melhor que seja o dinheiro oferecido aos jogadores, parece não ser o bastante: na primeira oportunidade começam a implorar para voltar ao Brasil. Jogadores que seriam alvos potenciais seriam Elias, Love, Jadson e Danilo. Os chineses preferem meio campistas ofensivos e atacantes e farão o rapa de 22 de junho a 16 de julho.

Um outro destino que é uma tábua de salvação para jogadores querendo dar uma enganadinha e faturar um último trocado é a Índia. Elano, Materazzi, Ljungberg e Trezeguet andaram por lá. Bolt Mendoza também, apesar de ser outra situação.

O Sonho Americano

Hoje os Estados Unidos levam poucos jogadores nossos devido às limitações salariais, mas pode escrever: em cinco anos serão mais um grande destino para brasileiros.

Ficamos por aqui. Apelem ao seu santo de preferência para levarem poucos jogadores e torçam para a economia brasileira se recuperar e podermos ver os grandes jogadores no país novamente. Independente de quem jogue, meu grito é sempre o mesmo: Vai Corinthians!

Coluna do Teleco 1910

Por Teleco 1910

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

O que você achou do post do Teleco?