Discordo de você, Jadson

Thaina Barros

Estudante de Jornalismo da Anhembi Morumbi. Estagiária no Meu Timão. Apaixonada por esportes e pelo Corinthians.

ver detalhes

Discordo de você, Jadson

Discordo de você, Jadson

Jadson acredita que o Corinthians deve esquecer 2018. Eu discordo.

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

10 mil visualizações 83 comentários Comunicar erro

Apita o árbitro, fim de jogo. Grêmio 1 a 0 sobre o Corinthians na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2018...

“Um ano que a gente acabou fazendo até bons jogos, mas os resultados não vieram. Hoje, o nosso primeiro tempo não foi normal[...] Agora é esquecer esse segundo semestre, descansar nas férias, fazer uma boa pré-temporada e consertar os erros para o ano que vem”, disse Jadson enquanto deixava o campo na Arena Grêmio.

Tomo a liberdade de discordar de você, Jadson. O Corinthians não deve esquecer de 2018. O Corinthians deve aprender com ele.

Depois de um início incrível no Paulistão, com título sobre o rival e na casa dele, a expectativa era de um 2018 diferente para o Corinthians. Quando digo diferente, coloco em perspectiva ao menos uma briga por uma vaga na Libertadores de 2019. Não poderíamos estar mais enganados.

O Corinthians brigou contra o rebaixamento, fez um segundo semestre digno de Série B e ainda conseguiu morder uma vaga na Copa Sul-Americana de 2019.

Há muitos fatores que pesam na situação da equipe alvinegra neste final de ano. O repeteco nos desmanches de elencos campeões, a troca de técnicos (e de toda a comissão técnica), a promoção e o rebaixamento de Loss... Os culpados são muitos e é impossível sinalizar apenas um como o principal.

Se a diretoria quer que 2019 seja diferente, é preciso se reestruturar e pensar de maneira diferente. Não basta, por exemplo, acreditar que o retorno de Carille seja a chave para o fim de todos os problemas. É necessário investir em reforços que façam diferença.

A saída de jogadores como o volante Maycon e o meia Rodriguinho, focando na última janela de transferências, talvez não tenha levantado o alarde necessário. A diretoria duvidou do impacto dessas baixas e errou feio nas reposições.

Em 2018, houve sim reforços no Corinthians - 18, para ser mais exata. Porém, praticamente nenhum deles mostrou um desempenho próximo de seus antecessores ou digno de destaque.

O que dizer sobre a lateral esquerda, para a qual o clube busca até hoje um substituto ideal para Guilherme Arana? Carlos Augusto só veio como uma "luz no fim do túnel" na reta final da temporada, após inúmeras atuações abaixo do então titular Danilo Avelar. A decisão de Jair Ventura em manter Avelar no banco de reservas no último jogo da temporada dá um sinal claro sobre a situação.

É preciso mudar e aprender com os erros cometidos. O Ano Novo está logo aí, e é melhor o Corinthians pensar bem em suas resoluções enquanto pula as sete ondinhas.

Veja mais em: Jadson, Diretoria do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Coluna da Thaina Barros

Por Thaina Barros

Estudante de Jornalismo da Anhembi Morumbi. Estagiária no Meu Timão. Apaixonada por esportes e pelo Corinthians, em todas as modalidades.

O que você achou do post da Thaina Barros?

  • 1000 caracteres restantes