A Utopia de Cittadini

Fórum do Corinthians
Tópico popular Entenda as regras

Raphael #1.451 @nemesis em 28/01/2016 às 10:46

Bom dia galera, ontem repercutiu muito aqui um texto do Cittadini, cheio de belos ideais, ideias revolucionárias etc. O que este senhor escreveu é sim muito bonito pra se ler mas na prática não acontece, temos que entender a Lei Pelé para dar opiniões.

Um menino chega no clube aos 10 anos de idade por exemplo, ele se destaca no mirim no infantil e vai fazer o primeiro contrato aos 15 anos idade mínima que a lei permite. Quando ele vai assinar o contrato, o empresário chega e fala: 'Se não me der 30% eu levo o jogador embora pra outro clube'. O clube negocia com o empresário e faz um contrato de 3 anos que é o máximo permitido por lei. Quando ele faz 18 anos tem que se fazer outro contrato, o empresário chega novamente com outra exigência, ameaçando levar o jogador embora para um rival a diretoria negocia um novo contrato.

Isso explica, porque o jogador chega com 60%, 70%, 50% pertencentes ao clube no profissional. A lei permite a atuação destes empresários sem exigir nenhuma compensação ao clube formador. As diretorias dos clubes já perceberam que é melhor ter 50% do Jemerson do que 100% do Edcarlos. 100% de ZERO é ZERO.

Cittadini na minha opinião não pode ser presidente do Timão, quando foi dirigente era mais fanfarrão do que profissional.

667 visualizações e 46 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Edgard Alan Souza #36 @edgard.alan.souza em 28/01/2016 às 10:53

Qual interesse para o clube de ter 5%, 20%, 30% de um jogador da base?

Se não quer renovar para o clube ter 80% tchau e benção.

O clube vai numa periferia qualquer, manda olheiro pra campeonatos de varzea em qualquer cidade do Brasil que eu garanto que vai encontrar moleque tão bom ou melhores do que esses e dispostos a ser 100% do Corinthians.

Wiliam Silva #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 11:11

Acho que você não entendeu, mas vamos lá.

O que acontece hoje é que o Corinthians terceirizou aos empresários a prerrogativa de trazer novos jogadores. O que Citadini defende é que o clube volte a fazer esse trabalho, captando diretamente os jogadores com 10,11,12 anos como sempre o fez, na periferia das grandes cidades, em centros mais distantes de SP. Se o Corinthians faz isso, começa a trazer o jogador desde cedo, isso vai impedir o jogador, o jovem de ter empresário obviamente que não, mas esse se dedicará somente a função de agenciar o jogador e não deterá mais participação no jogador, porque ele já estaria por aqui.

Nem vou mencionar o resto, quanto a sua análise enviesada da Lei Pelé porque é facilmente desmentida. Todo clube formador detém participação em transferências futuras, a lei é boa, obviamente que não, precisa de sérios ajustes em relação principalmente a essa farra dos empresários, mas ela concede ao jogador a liberdade de escolher o local em que quer trabalhar.

Quanto a sua opinião sobre Citadini, não há como responder, porque dizer que ele não pode ser presidente porque em sua opinião você acredita que ele era fanfarrão não é um argumento em si, para isso acontecer você teria que expor os motivos pelos quais você acredita que Citadini seria pior do que uma quadrilha que tem no meio, bicheiros e ex torcedores organizados preso por briga de torcida.

Últimas respostas

Baltazar Oswaldo Silva #14 @baltazar.1954 em 28/01/2016 às 20:52

O ideal era ter o Rosemberg junto, um cara ousado com outro mais pé no chão.

E ter um diretor que fosse do ramo do futebol, como o Antonio Carlos Zago, ou outro (acho que o Mano seria muito melhor nessa função do que como técnico).

Heraclito #2168 @carajas em 28/01/2016 às 20:33

" "

Na minha modesta opinião precisamos de um cara com a seriedade, bom caráter, do Citadini e com a esperteza do Andres(lógico que usada em favor do Timão e não ao seu favor e dos empresários).O Citadini quer trabalhar a moda antiga e isso não dá mais, apesar do mesmo ser honesto.Precisamos de alguém que não nos roube e tenha visão.

Publicidade

Heraclito Rosa Faustino Dos Santos #2.168 @carajas em 28/01/2016 às 20:33

Na minha modesta opinião precisamos de um cara com a seriedade, bom caráter, do Citadini e com a esperteza do Andres(lógico que usada em favor do Timão e não ao seu favor e dos empresários).O Citadini quer trabalhar a moda antiga e isso não dá mais, apesar do mesmo ser honesto.Precisamos de alguém que não nos roube e tenha visão.

Marcelo Fernando Magalhaes #111 @magalhaes44 em 28/01/2016 às 20:05

Então mas como todo mundo só sabe. Xingar a diretoria de bandidos, fica essa merda ai.

Fácil e fazer politica como omCitadini, e na época dele era essa mesma bagunça.

João Moraes #1.617 @badwolf em 28/01/2016 às 20:00

A lei deveria ser adequada com a realidade do futebol brasileiro, ou muda lei ou acaba com o celeiro de jogadores que são os times pequenos, mas não há interesse de mudar a lei, td presidente de clube critica a lei, mas não fazem nada jogam para torcida, um ex é andres sanches que é deputado federal, uma pergunta que projeto do mesmo em relação a lei pelé?

Wiliam #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 11:11

" "

Acho que você não entendeu, mas vamos lá.

O que acontece hoje é que o Corinthians terceirizou aos empresários a prerrogativa de trazer novos jogadores. O que Citadini defende é que o clube volte a fazer esse trabalho, captando diretamente os jogadores com 10,11,12 anos como sempre o fez, na periferia das grandes cidades, em centros mais distantes de SP. Se o Corinthians faz isso, começa a trazer o jogador desde cedo, isso vai impedir o jogador, o jovem de ter empresário obviamente que não, mas esse se dedicará somente a função de agenciar o jogador e não deterá mais participação no jogador, porque ele já estaria por aqui.

Nem vou mencionar o resto, quanto a sua análise enviesada da Lei Pelé porque é facilmente desmentida. Todo clube formador detém participação em transferências futuras, a lei é boa, obviamente que não, precisa de sérios ajustes em relação principalmente a essa farra dos empresários, mas ela concede ao jogador a liberdade de escolher o local em que quer trabalhar.

Quanto a sua opinião sobre Citadini, não há como responder, porque dizer que ele não pode ser presidente porque em sua opinião você acredita que ele era fanfarrão não é um argumento em si, para isso acontecer você teria que expor os motivos pelos quais você acredita que Citadini seria pior do que uma quadrilha que tem no meio, bicheiros e ex torcedores organizados preso por briga de torcida.

Paulo Paulo Paulo #43 @paulo.52 em 28/01/2016 às 19:51

Papo furado. Isso é pretexto de dirigente corrupto para negociar com o empresário um ''por fora''. Desses 20 ou 30% que o garoto negocia, uma fração considerável vai para o dirigente. E ai do empresário se não pagar, quando o garoto for vendido: não negocia mais com o Clube.

Wellington Moura De Oliveira #4.061 @crack05 em 28/01/2016 às 19:39

Amigo o Citadini já foi vice presidente por anos do Corinthians, fez o que mesmo?

Fazer discurso é fácil

Quero ver fazer diferente!

Era da direita do dualib, e sabemos bem como era não esqueço

All Colatra #74 @all.colatra em 28/01/2016 às 19:30

Li sim tudo que você escreveu, fato é que os empresários estão aí livres para trabalhar e fazer suas negociações, na maioria dos casos eles não apenas agenciam jogadores, eles tem participação direta nos direitos econômicos dos jogadores, e a atuação desses caras vai existir com ou sem o Corinthians, por isso o autor do tópico falou em utopia do Citadini e eu concordo com ele, o clube infelizmente tem que se adaptar a forma de trabalhar de hoje, caso contrário terá dificuldades em alguns sentidos.

A partir do momento em que a lei te limita a fazer um contrato de no máximo 3 anos com um garoto, isso tem força a ficar bastante tempo com o contrato dos jogadores perto de vencer, e são nessas situações que os jogadores e seus empresários fazem suas exigências. O clube pode se negar a aceitar o que foi proposto? Claro, mas vai perder muito jogador bom de bola por isso, é o preço que se paga, do mesmo jeito que pode se negar a contratar um jogador mais velho chegando com 50% para o clube apenas, dessa forma não teríamos tido o Paulinho que ajudou o clube dentro de campo e financeiramente por exemplo, tem que pensar se compensa ou não, eu acredito que dependendo da situação pode-se utilizar desse artifício mesmo que não seja o cenário ideal.

Falar da politica do Corinthians é complicado, quem ali dentro chegou onde chegou sem se apoiar em pessoas não confiáveis? Se o Sanchez é ligado ao Fernando Garcia com o Citadini não é diferente, ou ambos por muito tempo não apoiam o Paulo Garcia? Não são da mesma chapa política? E Sanchez e Citadini também já foram ligados ao Dualib que fez tudo que fez, então infelizmente é isso, ou se apoia em pessoas politicamente fortes mas de caráter duvidoso, ou sequer vai crescer dentro do clube para chegar um dia ao nível de disputar uma eleição.

Wiliam #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 14:10

" "

Meu caro All,

Peço que leia a minha nova resposta ao autor do tópico, penso ter ficado claro. De qualquer maneira, é preciso estabelecer uma coisa primeiro, sou totalmente contrário a participação de empresários tal como se estabelece atualmente, isso não quer dizer que obrigatoriamente passe a achar os clubes vítimas.

Ao contrário, os clubes e seus dirigentes são os maiores responsáveis pela situação e por essa relação promíscua que vem se estabelecendo entre clube e empresário. Ou, para citar o exemplo do Corinthians, poderíamos defendê-lo de alguma coisa quando seu principal líder político Andrés Sanchez mantém relações comerciais com Fernando Garcia, principal empresário atuante no clube atualmente?

Que os clubes vem sendo lesados é óbvio, mas fica sempre a dúvida se por incompetência ou por cumplicidade de quem os dirige.

Wiliam Silva #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 14:44

Exato Douglas, que os clubes são vítimas é um fato, mas não podemos declará-los inocentes quando seus próprios dirigentes são quem disseminam essa prática.

Douglas #95 @duguinha2shae em 28/01/2016 às 14:22

" "

Muito mais fácil e conveniente receber ' indicacoes ' de empresários ou pior quando já tem parcerias com o ' olheiro ' do cllube

Douglas Shimada #95 @duguinha2shae em 28/01/2016 às 14:22

Muito mais fácil e conveniente receber ' indicacoes ' de empresários ou pior quando já tem parcerias com o ' olheiro ' do cllube

Wiliam #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 11:11

" "

Acho que você não entendeu, mas vamos lá.

O que acontece hoje é que o Corinthians terceirizou aos empresários a prerrogativa de trazer novos jogadores. O que Citadini defende é que o clube volte a fazer esse trabalho, captando diretamente os jogadores com 10,11,12 anos como sempre o fez, na periferia das grandes cidades, em centros mais distantes de SP. Se o Corinthians faz isso, começa a trazer o jogador desde cedo, isso vai impedir o jogador, o jovem de ter empresário obviamente que não, mas esse se dedicará somente a função de agenciar o jogador e não deterá mais participação no jogador, porque ele já estaria por aqui.

Nem vou mencionar o resto, quanto a sua análise enviesada da Lei Pelé porque é facilmente desmentida. Todo clube formador detém participação em transferências futuras, a lei é boa, obviamente que não, precisa de sérios ajustes em relação principalmente a essa farra dos empresários, mas ela concede ao jogador a liberdade de escolher o local em que quer trabalhar.

Quanto a sua opinião sobre Citadini, não há como responder, porque dizer que ele não pode ser presidente porque em sua opinião você acredita que ele era fanfarrão não é um argumento em si, para isso acontecer você teria que expor os motivos pelos quais você acredita que Citadini seria pior do que uma quadrilha que tem no meio, bicheiros e ex torcedores organizados preso por briga de torcida.

Wiliam Silva #363 @wiliamsilva em 28/01/2016 às 14:10

Meu caro All,

Peço que leia a minha nova resposta ao autor do tópico, penso ter ficado claro. De qualquer maneira, é preciso estabelecer uma coisa primeiro, sou totalmente contrário a participação de empresários tal como se estabelece atualmente, isso não quer dizer que obrigatoriamente passe a achar os clubes vítimas.

Ao contrário, os clubes e seus dirigentes são os maiores responsáveis pela situação e por essa relação promíscua que vem se estabelecendo entre clube e empresário. Ou, para citar o exemplo do Corinthians, poderíamos defendê-lo de alguma coisa quando seu principal líder político Andrés Sanchez mantém relações comerciais com Fernando Garcia, principal empresário atuante no clube atualmente?

Que os clubes vem sendo lesados é óbvio, mas fica sempre a dúvida se por incompetência ou por cumplicidade de quem os dirige.

All #74 @all.colatra em 28/01/2016 às 12:46

" "

Penso que você que não entendeu ao menos uma parte do que o autor do tópico quis dizer, a cada renovação de contrato o jogador e seu empresário exigem situações, pedem percentual de direitos econômicos, pedem luvas, exigem multa baixa, e nesse caso pouco importa se ele chegou ao clube com 10 ou 30 anos, quem se ferrou recentemente com isso foi o Palmeiras com o Gabriel Jesus, como ele já era reconhecido e tinha mercado pôde fazer exigências, ou o Palmeiras aceitava ou o Gabriel sairia do clube, o resultado disso foi o clube ter apenas 30% dos direitos econômicos do jogador, as regras do jogo são essas.