Mano Menezes acredita que Petros não agrediu, mas deve ser julgado

Mano Menezes acredita que Petros não agrediu, mas deve ser julgado

Por Larissa Emanuelle

Mano acredita que o jogador não agrediu o árbitro

Mano acredita que o jogador não agrediu o árbitro

O técnico do Timão, em participação no programa 'Bem, Amigos', do Sportv, afirmou que o meia Petros não teve a intenção de agredir o árbitro, Raphael Claus, contra o Santos. Mesmo assim, Mano comentou que é justo a denúncia ao atleta.

"É claro que é justo que ele seja julgado. Eu só acho que temos de separar bem as coisas. O que é um empurrão, uma trombada e uma agressão. Jamais um jogador teria a intenção de agredir o árbitro naquele momento. Houve um excesso, é por isso que ele vai ser julgado. Deve acontecer mesmo. É para isso que existe a justiça".

O meia, que hoje é titular do time alvinegro, será denunciado pelo STJD e pode receber uma punição severa, pelo lance inusitado com o juiz da partida. O mesmo demonstrou irritação com as insinuações feitas e afirmou que não teve a intenção de atingir Raphael Claus.

Mesmo com a polêmica envolvendo Petros, o Timão enfrenta o Bahia neste fim de semana, em busca de mais três pontos no Campeonato Brasileiro. A equipe se encontra na terceira colocação da competição.

Veja Mais:

  • Corinthians/Americana pode não voltar a quadra no segundo semestre

    Campeão nacional, Corinthians/Americana chega ao fim, diz jornal

    ver detalhes
  • De promessa a dispensado: ex-Corinthians, Cassini comunica saída da Ponte Preta

    De promessa a dispensado: ex-Corinthians, Cassini comunica saída da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Cicinho, hoje no futebol búlgaro, deve pintar como reforço do Corinthians

    Final da Copa da Bulgária separa Corinthians de segunda contratação para o Brasileirão-2017

    ver detalhes
  • Pequeno torcedor conheceu também o xeque Al-Khelaifi, dono do clube francês

    Em Paris, torcedor-mirim surpreende xeique do PSG e pede contratação de atacante do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes