Polícia Militar descarta hipótese de rixa de torcidas em chacina

Polícia Militar descarta hipótese de rixa de torcidas em chacina

Por Meu Timão

Delegado responsável descartou rixa de torcidas

Delegado responsável descartou rixa de torcidas

A execução que tirou a vida de oito corinthianos na noite desse sábado, ainda não foi explicada. Apesar da chacina acontecer às vésperas de um clássico contra o Palmeiras, o delegado que cuida do caso, José Mário Lara, descartou a hipótese das mortes terem sido causadas por rixa de futebol.

- Já levantamos algumas informações e mais umas testemunhas foram ouvidas e o que posso adiantar é que não tem a ver com briga de torcida. Hoje nós vamos ter um clássico, Corinthians e Palmeiras, então estamos aqui para falar isso. Até o presente momento não há o que se falar em briga de torcida - afirmou o delegado, em entrevista publicada na rádio Jovem Pan.

O crime aconteceu na sede da torcida organizada C.D. Pavilhão Nove, no bairro dos Remédios, zona oeste de São Paulo, por volta das 23 horas.

Se a hipótese for confirmada, a data da execução pode ter sido planejada justamente para que se parecesse com uma briga de torcida organizadas. Segundo relatos, o que se falam é de um "acerto de contas".

O caso foi encaminhado e será investigado pela equipe especializada em chacinas do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa).

Veja Mais:

  • Dupla Jô-Rodriguinho já não se mostra mais tão efetiva quanto em outros tempos

    Corinthians leva dois gols de bola área, perde do Botafogo e fica pressionado no Brasileirão

    ver detalhes
  • Clayson falou com a imprensa brevemente: 'Não foi nada demais'

    Atacante do Corinthians é conduzido por policiais a prestar esclarecimentos no Rio

    ver detalhes
  • Corinthians de Carille perdeu do Botafogo na noite dessa quarta-feira

    Torcida 'perdoa' cinco jogadores e dá pior nota a Carille após derrota do Corinthians no Rio

    ver detalhes
  • Acorda, presidente!

    [Walter Falceta] Acorda, presidente!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes