Adaptado ao Timão, Love elogia Tite: 'Melhor treinador do Brasil'

Adaptado ao Timão, Love elogia Tite: 'Melhor treinador do Brasil'

Por Meu Timão

Love elogiou o técnico Tite e a liberdade dado pelo técnico ao atacante

Love elogiou o técnico Tite e a liberdade dado pelo técnico ao atacante

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Quando chegou ao Corinthians, em fevereiro, Vagner Love declarou que estava ansioso para trabalhar com o técnico Tite. 17 jogos depois, o atacante é só elogios ao treinador e garante que a paciência e dedicação de Tite é fundamental para que ele retome a boa forma de artilheiro.

"Sem dúvida, é o melhor. Já era fã do trabalho dele sem ter trabalhado junto. Hoje posso ver. A forma como ele conduz o grupo é maravilhosa. Ele incentiva, nos deixa sempre concentrados. Cobra muito de todos. Para mim, é o melhor treinador do Brasil. Esse ano que ele ficou fora serviu para aprender ainda mais do que ele já sabia", disse, em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com.

O Timão ganhou duas semanas para treinar antes das oitavas da Copa Libertadores. Até o momento, Love só marcou dois gols com a camisa alvinegra e ainda não apresentou 100% do seu futebol. O atacante explica que esse período tem sido muito útil para ele trabalhar melhor com a bola e com o comandante alvinegro.

"Com esse período de treinamentos, vejo que estou melhorando. O Tite deu liberdade para eu sair um pouco mais da área, coisa que eu sempre fiz. Eu achava que tinha de ser mais referência, jogar como pivô, mas conversei com o Tite e ele deu liberdade para me movimentar e buscar mais jogo. Você fica um pouco ansioso quando fica esperando a bola, então é melhor estar sempre no jogo, pegando na bola. Essa liberdade eu pedi a ele, que me deu total apoio", explicou.

O atacante passou anos fora do Brasil e seu último clube foi o Shandong Luneng, da China. Há quase três meses no Timão, Love diz que já se adaptou ao grupo, mas ainda não ao futebol, que é tão diferente do apresentado pelo orientais.

"Ao clube estou, sim. É difícil não se adaptar a um grupo tão bom quanto o do Corinthians, que se relaciona bem dentro e fora de campo. O que falta um pouquinho é a readaptação ao futebol, é bem mais difícil, ainda mais depois de um ano e meio na China, um futebol bem mais parado, sem tanto contato, onde você domina a bola e consegue raciocinar, até tomar um café. Aqui é contato o tempo todo, jogos mais disputados. Essa coisa do raciocínio rápido é que pega. Agora está saindo do jeito que eu quero", finalizou.

Veja Mais:

  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes