Eliminado, Boca usou Corinthians em defesa na Libertadores

Eliminado, Boca usou Corinthians em defesa na Libertadores

Por Meu Timão

Boca usou caso do Timão em Oruro em sua defesa na Conmebol

Boca usou caso do Timão em Oruro em sua defesa na Conmebol

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

O Corinthians foi usado como exemplo pelo Boca Juniors para a defesa do clube na Conmebol. O advogado Eduardo Carlezzo, brasileiro, contratado pela equipe argentina para brigar por mais 45 minutos entre Boca e River Plate na Libertadores, comparou a situação dos argentinos à vivida pelo Timão em Oruro, em 2013.

"Vimos que o ambiente era muito pesado e caminhava para uma exclusão. Argumentamos que a exclusão não era cabível. E nos baseamos em precedentes da própria Conmebol. Tem casos parecidos como o do Corinthians e o do Alianza Lima, que teve uma grande confusão generalizada, e mesmo assim a Conmebol não aplicou a exclusão", disse Carlezzo, em entrevista ao SporTV.

"Fez-se um apanhado e demonstrou-se que o clube tomou todas as medidas. Tinham 1.040 policiais no estádio e nas redondezas. Como nós sabemos, sempre há irresponsáveis, não só no Brasil. Os torcedores tomaram uma atitude unilateral", completou.

O caso do Corinthians, citado pelo advogado, aconteceu durante a Copa Libertadores de 2013. Um torcedor, Kevin Spada, foi morto por um sinalizador de navio disparado pela torcida do Timão, em Oruro, na Bolívia, durante partida contra o San Jose. Na época, o alvinegro foi punido com portões fechados na sequência da Libertadores e sem torcida visitante nas partidas fora de casa. A decisão foi revertida posteriormente. É válido lembrar que, na ocasião, o Corinthians não era mandante do jogo e, por isso, não tinha responsabilidade sobre a segurança do estádio - como aconteceu no caso do Boca Juniors.

O outro incidente citado por Eduardo, aconteceu no ano passado, quando o Alianza Lima foi julgado por sinalizadores em campo durante um jogo da Copa Sul-Americana.

Porém, mesmo com a defesa acima, o time argentino não convenceu o Tribunal da Conmebol. O Boca Juniors foi eliminado da Copa Libertadores da América e ainda ficará quatro partidas das competições da Conmebol sem público e pagará uma multa de US$ 200 mil. O River Plate avança para as quartas de final e enfrenta o Cruzeiro, na próxima quinta-feira, às 22h, no Monumental de Nuñez.

A punição é referente ao ocorrido na última quinta-feira, quando os jogadores do River Plate foram atacados por componentes químicos oriundos da torcida do time mandante. O caso deixou, pelo menos, um jogador do River seriamente feriado. O jovem atacante, de 19 anos, Sebástian Driussi, foi dignosticado com encefalite, que é inflamação no cérebro. O jogador se afastou dos treinos do time argentino.

Confira a decisão oficial da Conmebol no caso Boca Juniors

Veja Mais:

  • Dupla Jô-Rodriguinho já não se mostra mais tão efetiva quanto em outros tempos

    Corinthians leva dois gols de bola área, perde do Botafogo e fica pressionado no Brasileirão

    ver detalhes
  • Clayson falou com a imprensa brevemente: 'Não foi nada demais'

    Atacante do Corinthians é conduzido por policiais a prestar esclarecimentos no Rio

    ver detalhes
  • Corinthians de Carille perdeu do Botafogo na noite dessa quarta-feira

    Torcida 'perdoa' cinco jogadores e dá pior nota a Carille após derrota do Corinthians no Rio

    ver detalhes
  • Acorda, presidente!

    [Walter Falceta] Acorda, presidente!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes