Grupo de árbitros da Conmebol assina carta em defesa de Amarilla

Grupo de árbitros da Conmebol assina carta em defesa de Amarilla

Por Meu Timão

Amarilla recebe apoio de grupo de árbitros da Conmebol

Amarilla recebe apoio de grupo de árbitros da Conmebol

Foto: Divulgação

Ainda que o árbitro Carlos Amarilla e seus assistentes, Carlos Cáceres e Rodney Aquino, estejam envolvidos em um suposto caso de manipulação de resultado, um grupo de 30 juízes da Conmebol decidiu apoiar o trio de suspeitos por meio de uma nota de respaldo.

Juízes renomados como o colombiano Wilmar Roldán, o paraguaio Enrique Cáceres, o chileno Enrique Osses, o argentino Néstor Pitana, o equatoriano Carlos Vera e o mexicano Roberto García assinaram a nota. No texto, além de prestar apoio e defender que uma investigação seja feita para o esclarecimento do caso, os árbitros asseguram que os colegas são "pessoas dignas e íntegras".

O paraguaio e seus assistentes apitaram a polêmica partida entre Corinthians e Boca Juniors na Libertadores de 2013. Atualmente, estão sob suspeita após a divulgação de escutas entre o então presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA), Julio Grondona, e o presidente da Comissão de Árbitros da AFA, Abnel Gnecco.

Enquanto o caso é apurado, Amarilla e seus assistentes, que garantem inocência, seguem afastados por tempo indeterminado pela Associação Paraguaia de Futebol (APF).

Veja Mais:

  • Tite concedeu entrevista na Arena nesta segunda-feira

    Tite explica comemoração na Arena Corinthians; Fagner será titular

    ver detalhes
  • Marcelinho Paulista pode voltar ao Timão para comandar cargo na base

    Ex-volante é cotado para assumir gerência da base do Corinthians

    ver detalhes
  • Carlinhos está recuperado de cirurgia no púbis

    Artilheiro da Copinha faz primeiro treino no Corinthians após cirurgia

    ver detalhes
  • Arana tem sido um dos principais destaques do Corinthians no Paulistão

    Arana passa por tratamento após pancada e pode desfalcar Corinthians na quarta

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes