Com exclusividade ao Meu Timão, deputado corinthiano fala sobre projetos para o futebol

Com exclusividade ao Meu Timão, deputado corinthiano fala sobre projetos para o futebol

3.2 mil visualizações 26 comentários Comunicar erro

Deputado corinthiano luta por benefícios ao futebol brasileiro e, principalmente, pelo Timão

Deputado corinthiano luta por benefícios ao futebol brasileiro e, principalmente, pelo Timão

Foto: Divulgação

Além de Andrés Sanchez, o Corinthians tem outro deputado federal que briga em Brasília pelos direitos alvinegros. Conselheiro vitalício do clube, Antônio Goulart (PSD-SP) está tentando fazer grandes modificações no Estatuto do Torcedor.

Apaixonado pelo Timão, Goulart é um frequentador assíduo da Arena Corinthians. "Eu vou em todos os jogos. Só não posso ir nos de quarta-feira, pois estou aqui em Brasília", contou o deputado, em entrevista exclusiva ao MEU TIMÃO.

Com 51 anos, Goulart é responsável por três projetos voltados para o futebol e que interferem diretamente na vida do Timão. O deputado quer uma maior punição nos casos de violências entre torcedores, briga pela volta de fogos de artifícios e bandeirões e também da bebida alcoólica nos estádios de São Paulo.

Além disso, o deputado Antônio Goulart também teve participação na aprovação do Projeto de Lei 288/2011, que autorizou a concessão das CIDs (Certidão de Incentivo ao Desenvolvimento) à Arena Corinthians. Para finalizar, provando mais uma vez seu amor pelo Timão, o deputado foi responsável, ao lado de Andrés, pelo projeto de lei que pedia a criação do Dia do Corinthians.

O deputado Antônio Goulart contou ao MEU TIMÃO o que pensa sobre cada um de seus projetos e como foi participar de fato tão importantes na história alvinegra. Confira:

Retorno de fogos de artifícios e bandeirões nos estádios

"Os shows pirotécnicos são utilizados até hoje por torcedores em todo o mundo e fazem parte da alegria e da beleza do futebol. Nós temos que fazer voltar essa alegria para a arquibancada. Todo esse contexto de que bandeiras trazem violência para as arquibancadas, não concordo. Eu frequento estádios e arquibancadas desde criança e acho que as bandeiras e os fogos ajudariam a trazer essa alegria de volta. Além de um torcedor, nós temos um representante aqui (em Brasília) e eu espero trazer isso de volta para todos"

Violência nos estádio de futebol

"A mudança que estou propondo é penalização ao cidadão e não a instituição. Via de regra, quando acontece um problema em qualquer bairro da cidade que morre ou deixa um torcedor seriamente machucado, o prometo de plantão fala: ‘Ah, vou entrar com uma ação para fechar para extinguir a torcida'. Instituição não se extingue. Se for atrás do canalha que provoca a algazarra, que comete um crime, isso muda. A violência ela acaba punindo o ser violento. A instituição não prepara, a torcida não prepara para briga, para guerra, mas o ser humano sim. No momento em que essas pessoas começarem a serem punidas, elas se afastam do futebol"

Bebidas alcoólicas nos estádios de futebol

"Faz parte da cultura. Futebol, pagode e samba, sanduíche de linguiça e pernil fazem parte da cultura do futebol brasileiro. E é proibido porque? No mundo inteiro sempre teve cerveja e não é sinônimo de violência. O torcedor fica na porta do estádio tomando cerveja e depois sai e vai tomar cerveja novamente. Os clubes poderão ter um ganho financeiro com isso, eles estão caindo pelas tabelas financeiramente, tanto é que nós aprovamos o parcelamento das dívidas dos clubes. Então é uma coisa moderna que tem que voltar a estar presente no estádio"

CIDs da Arena Corinthians

"Eu era vereador de São Paulo (Goulart teve cinco mandatos como vereador da cidade de São Paulo). Como representante da população e como corinthiano gritante, trabalhei muito por isso. Graças a Deus, essa parte da história (a criação da Arena Corinthians) do clube ninguém apaga. Criaram muitos problemas, precisei me reunir várias vezes com o Andrés lá na Câmara, o Kassab, que era prefeito na época, ajudou muito. Mas, deu certo. Então, o meu papel como representante, como conselheiro vitalício do clube e como parlamentar, foi feito. Me sinto honrado"

Dia do Corinthians

"Na verdade, eu vou voltar a apresentar o projeto de lei. O que aconteceu foi que, como o Andrés também seria deputado e eu não queria fazer nada do Corinthians sem a participação dele, eu elaborei o dia do Corinthians e perguntei se ele queria assinar junto. Ele topou e disse que tudo bem. Aí assinou junto. Aí a imprensa, ao invés de vir em cima de mim, para me criticar, foi em cima dele. Na realidade, eu queria receber todas essas críticas, mas eu acabei retirando o projeto momentaneamente para preservar o Andrés. O dia do Corinthians tem que ser comemorado todos os dias. Eu aprovei lei em São Paulo, do dia do torcedor corinthiano, que é o dia de São Jorge, nosso padroeiro. É lei de minha autoria. Dia da independência corinthiana, dia 4 de julho, que nós ganhamos a Libertadores, lei de minha autoria. Fiz tudo isso em São Paulo e vou fazer aqui (Brasília), vou apresentar aqui, para o futebol e em particular para o Corinthians"

Veja Mais:

  • Jogadores comemoraram o gol de Vital; o camisa 22 foi discreto, em respeito ao ex-clube

    Vital cumpre lei do ex, Corinthians vence Vasco e respira no Brasileirão

    ver detalhes
  • Gol de Mateus Vital garantiu vitória do Corinthians sobre o Vasco

    Rivais diretos perdem, e Corinthians começa 35ª rodada com pé direito; veja classificação

    ver detalhes
  • Roger foi criticado pela torcida após passar em branco no jogo deste sábado

    Torcida elege Vital craque de vitória do Corinthians, mas não perdoa dupla; veja as notas

    ver detalhes
  • Jair Ventura, Alessandro Nunes (gerente de futebol) e Duilio Monteiro Alves (diretor de futebol)

    Diretoria do Corinthians sobre Jair Ventura em 2019: 'Não temos intenção nenhuma de mudar'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes