Lucca converte irmão são-paulino, que revela sonho do atacante de conhecer ídolo do Corinthians

Lucca converte irmão são-paulino, que revela sonho do atacante de conhecer ídolo do Corinthians

Por Meu Timão

7.1 mil visualizações 60 comentários Comunicar erro

Lucca é corinthiano desde a infância

Lucca é corinthiano desde a infância

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians entra em campo na noite desta quarta-feira, em Montevidéu, no Uruguai, contra o Nacional, pelas oitavas de final da Libertadores. Em campo, Lucca realizará uma espécie de sonho do pai, Luis Luna, que batizou o irmão mais velho do atacante corinthiano com o nome do ex-zagueiro uruguaio e ídolo do Peñarol Pablo Forlán.

"Ele (Forlán) jogava no São Paulo na época, e eu era fã dele pelo jeito de jogar, durão, na época grandão, todo estiloso. Falei que o primeiro filho homem que tivesse teria o nome dele. Nome e sobrenome, né? Queria até o Justo, mas minha mulher pediu para que fosse apenas Pablo Forlán. Acho um nome forte, pesado, gostou muito", revelou Luna em entrevista concedida ao jornal Lance!.

O primeiro filho de Luna, contudo, não mostrou aptidão para jogar futebol. O sonho do pai em ver um descendente no mundo da bola se concretizou com Lucca. Corinthiano desde a infância, o hoje atacante do Timão já até converteu o irmão são-paulino.

"Eu fiz de tudo para o Pablo jogar, levei na escolinha, tentei, mas não teve jeito. Ele até gosta de futebol, é são-paulino. Ou melhor, era. Agora todos aqui em casa somos corinthianos", declarou o pai do camisa 30 alvinegro.

Meio são-paulino e meio corinthiano, o brasileiro Pablo Forlán também falou à reportagem. Ele lembrou os tempos de infância do alvinegro "roxo" Lucca e revelou um sonho do irmão: conhecer Carlitos Tevez. Se o Corinthians passar pelo Nacional nas oitavas, pode enfrentar o Boca Juniors, clube atual do ex-camisa 10 do Timão, na próxima fase da Libertadores.

"Quando garoto, tudo na vida do meu irmão era Corinthians. Os presentes dele tinham que ser do clube. Era caneleira, boné, até chuteira com o símbolo teve. Ele era muito fã do Tevez, gostava dele demais e vibrou muito com o título de 2005. Quem sabe eles não se enfrentam...", contou Forlán.

Veja Mais:

  • Corinthians foi da água ao vinho: campeão em 2017 e candidato ao rebaixamento em 2018

    Corinthians luta contra reviravolta jamais vista no Brasil e raríssima no futebol mundial

    ver detalhes
  • Jadson é o artilheiro do elenco em 2018, com 15 gols; é o que mais fez com Jair Ventura

    Jadson se torna artilheiro da era Jair Ventura; meia participou de 12 dos últimos 20 gols do Timão

    ver detalhes
  • Roger entrou aos 13 minutos do segundo tempo e conseguiu fazer um dos gols do Timão em Salvador

    Roger é o atacante do Corinthians que precisa de menos tempo em campo para fazer um gol

    ver detalhes
  • Duelo ganhou ares dramáticos com prorrogação, mas terminou em alívio e comemoração dos corinthianos

    Em jogo dramático, pivô faz três, Corinthians segura empate na prorrogação e vai às quartas da LNF

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes