Venda irregular de direitos de atleta da base pode estar por trás de saída de diretor corinthiano

Venda irregular de direitos de atleta da base pode estar por trás de saída de diretor corinthiano

Por Meu Timão

Roberto de Andrade afastou Fábio Barrozo assim que soube do caso

Roberto de Andrade afastou Fábio Barrozo assim que soube do caso

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Um caso muito polêmico envolvendo membros da diretoria do Corinthians veio à tona na manhã deste sábado (01). Publicada pelos portais Folha, UOL, Globo e Lance!, a denúncia revela que o antigo funcionário das categorias de base do clube, Fábio Barrozo, adquiriu rendas por fora do Corinthians para a negociação de atletas com agentes.

Fábio, assumiu o cargo de gerente da base em março de 2012 e deixou o clube no dia 13 de abril deste ano, quando pediu demissão após ser afastado pela atual diretoria. Em conversas vazadas, o ex-funcionário do Corinthians menciona a venda dos direitos de Alysson, um atleta de 16 anos da base, a Helmut Niki, um empresário que mora nos Estados Unidos e que investiu seu próprio dinheiro no jogador.

Além de Niki e Barrozo, outro funcionário diretamente envolvido com a atual gestão do clube tem participação no caso. Manoel Ramos Evangelista, o Mané da Carne, assessor do ex-presidente Andrés Sanchez, atuava como parceiro de Barrozo nas negociações.

Ao todo, cerca de 110 mil dólares foram envolvidos nos acordos feitos entre os membros do clube e os agentes. Niki comprou 20% dos direitos econômicos de Alysson e os demais valores foram liberados para a concessão de uma carta de autorização pelo próprio Corinthians.

Apesar da negociação concretizada, a relação entre ambos teve um grande estreitamento. Isso porque, o sigilo, proposto por Fábio Barrozo, foi quebrado por Niki, fazendo com que o assunto chegasse a outras pessoas com forte ligação ao atual presidente, Roberto de Andrade.

“Dá mesma maneira que você confiou em nós, nós confiamos em você. Você falou que nunca falou nada a respeito dos valores do Alyson para o Julio e nós acreditamos em você. Agora o Julio está falando que você disse pra ele que pagou US$ 60 mil pra mim e para o seu Mané. E que, além disso, pagou US$ 50 mil por uma autorização. E que, se não fizermos o que ele quer a respeito do Alyson, ele vai falar com o presidente do clube”, disse Fábio Barrozo, para Niki, na conversa por whatsapp vazada.

Julio, mencionado no diálogo, é o antigo empresário do jovem de 16 anos, e apontado como o principal responsável pelo rompimento da parceria entre Niki e Barrozo. A diretoria corinthiana confirmou o caso, porém ainda não se posicionou oficialmente.

Veja Mais:

  • Artilheiro do Brasileirão, Jô pode levar novo gancho do STJD

    Jô e Clayson, do Corinthians, voltam a ser julgados no STJD

    ver detalhes
  • Antonio Roque Citadini é candidato da oposição à presidência do Timão

    Em defesa à Arena, Citadini lembra crime fiscal de Andrés: 'Arrebentou com as finanças'

    ver detalhes
  • Pablo foi campeão paulista e brasileiro pelo Corinthians em 2017

    Corinthians volta a negociar com Pablo e pode contratá-lo para 2018, diz portal

    ver detalhes
  • Vasconcelos deve ter contrato estendido com o Timão até o fim de 2019

    Corinthians prepara extensão de contrato a artilheiro da Copinha

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes