Ovacionado, Marlone se diz surpreso com apoio e quebra silêncio sobre especulações

Ovacionado, Marlone se diz surpreso com apoio e quebra silêncio sobre especulações

Marlone foi utilizado no segundo tempo do empate com o Cruzeiro

Marlone foi utilizado no segundo tempo do empate com o Cruzeiro

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O meia Marlone admitiu estar impressionado com o apoio da torcida do Corinthians para que ele ganhe “vida nova” sob o comando de Cristóvão Borges. Contratado no início da temporada, o camisa 8 explicou que o fato de ainda não ter conquistado um título com a camisa alvinegra o faz enxergar como surpreendente o suporte da maioria da Fiel em torno de seu futebol.

“Não ganhei nenhum título. Geralmente a torcida grita o nome de quem ganhou títulos, quem fez história, deixou sua marca... E eu que não sou nada, estou chegando agora e ver a torcida gritar seu nome é algo muito impactante pra mim. Fiquei impressionado, já venho ficando impressionado há alguns dias. Realmente não tenho nem palavras, cara. Eu falei, não fui campeão aqui, ainda não fiz minha história no clube. A potência que é o Corinthians, a maior torcida do Brasil. Estou sem palavras”, disse Marlone.

O ex-jogador do Sport foi utilizado no segundo tempo do empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, na noite deste domingo, no Pacaembu. Embora tenha a aprovação da torcida corinthiana, o meio-campista pouco atuou no ano e ainda não recebeu sequência de jogos como titular no clube.

“É opção do treinador, todo treinador tem uma visão. Respeito. Mas em nenhum desses momentos, estou há oito meses no clube, deixei de ser profissional, deixei de trabalhar, estou todos os dias no clube, vocês acompanham os treinos. Pelo contrário. Sempre fui feliz no Corinthians, esses rumores de negociação, em nenhum momento fui eu que bati o pé no Corinthians para sair, porque estava insatisfeito em ficar na reserva”, esclareceu Marlone, admitindo ainda que o interesse em retornar a Recife existiria somente se a diretoria do Corinthians optasse por seu empréstimo.

“Surgiu o interesse de alguns clubes e eu simplesmente passei pra diretoria que, caso eles fossem me emprestar, eu gostaria de voltar pro Sport, porque foi onde minha filha nasceu, onde marquei um grande campeonato pelo Sport. Já conheço o clube, os amigos, a cidade. Mas em nenhum momento fiquei insatisfeito no clube”.

“Acho que todos que trabalham no Corinthians chegam alegre, cumprimentam todo mundo, acho que tudo tem um tempo. Aqui na terra há dias bons e há dias maus em todas as áreas, em todas as profissões. Com tudo isso, só estou crescendo, estou evoluindo como homem, como profissional, como aleta, como amigo. Trabalhando pela oportunidade pra, quando chegar, poder corresponder”, finalizou.

Veja Mais:

  • Thiago Duarte chegou a chorar após a partida por conta do erro

    Árbitro retifica súmula do clássico entre Corinthians e Palmeiras

    ver detalhes
  • Rodriguinho segue no aguardo da renovação de seu contrato

    Reunião não define renovação de Rodriguinho com Corinthians; novo encontro é a esperança

    ver detalhes
  • Tchê Tchê afirmou que teria dado tapa na cara de Gabriel em confusão

    Volante do Palmeiras comemora expulsão de Gabriel: 'Eu já ia ter dado um tapa'

    ver detalhes
  • Kazim aplicou um belo chapéu em Felipe Melo no clássico

    Corinthians divulga vídeo com belos chapéus de Romero e Kazim no Dérbi; confira

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes