Tite relembra espetáculo corinthiano e coloca time de 2015 entre as grandes equipes do futebol

Tite relembra espetáculo corinthiano e coloca time de 2015 entre as grandes equipes do futebol

Por Meu Timão

175 mil visualizações 93 comentários Comunicar erro

Em entrevista, Tite relembrou os bons tempos no Corinthians

Em entrevista, Tite relembrou os bons tempos no Corinthians

Divulgação/CBF

Eternizado na história corinthiana como o treinador mais vitorioso do clube, Tite, hoje responsável pelo comando técnico da Seleção Brasileira, segue utilizando o método de trabalho que fez efeito no Timão na temporada anterior.

Em meio às três passagens pelo Corinthians, sendo que, a última delas, onde apresentou maior capacidade no sistema tático 4-1-4-1, Tite acredita que o planejamento que rendeu o hexacampeonato brasileiro, também tem grandes chances de dar certo no atual desafio de sua carreira.

"A escolha foi o legado do Dunga. A melhor produção da seleção foi neste esquema: o 3 a 0 contra o Peru foi emblemático. Claro que meu conhecimento do sistema contribui. O 3-4-3 eu não tenho domínio, se você me pedir para colocar no papel as funções, é difícil. Foi vendo as seleções alemã e francesa que me chamou atenção o 4-1-4-1. Como geravam superioridade no meio-campo. E esta é a marca das grandes equipes: Flamengo de 1981, Corinthians de 2015, Brasil em 70 e 82”, disse em entrevista ao Jornal O Globo.

O trabalho exercido no Corinthians, por enquanto, vem surtindo efeito na Seleção Brasileira – em dois jogos, diante de Equador e Colômbia, Tite conquistou duas vitórias e sustenta os 100% de aproveitamento. Ainda sem encontrar a equipe ideal, o treinador comentou sobre a evolução no planejamento e viu o Timão de 2015 como uma inspiração de bom futebol.

"Ele (Neymar) ali (jogando pela esquerda), é mortal, sem ter que buscar muito atrás, é decisivo. Em algum momento, com a equipe ajustada, abrir possibilidade de transitar em área maior, inclusive pela direita. É um plano para o futuro. Precisa de um time mais organizado, entrosado. Foi o estágio que o Corinthians chegou, quando venceu e deu espetáculo”, acrescentou.

Encerrando as ligações entre a experiência adquirida em sua passagem no Corinthians, Tite falou também da presença de seu filho, Matheus Bacchi, na comissão técnica da Seleção Brasileira. O jovem foi responsável por contratações do Corinthians na temporada anterior, entre elas, a do atacante Lucca, que ganhou o apelido de Talismã da Fiel ao longo da campanha vitoriosa.

"Já tinha vivido isso dentro do próprio Corinthians. Eu pedi, desde o tempo de Corinthians, que o Matheus participasse, passando por etapas, começando junto com o terceiro auxiliar de campo. Passei esse dilema. Houve momentos, até no Corinthians, que segurei, falei para não vir agora. Mas disse que buscasse formação científica e o conhecimento de campo, que fosse a clubes europeus, ficasse um tempo no Flamengo. O estigma é inevitável. Mas é um preço que a gente tem que pagar”, finalizou.

Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, gaúcho de 55 anos, carrega em seu currículo seis títulos pelo Corinthians – Campeonato Brasileiro (2011 e 2015), Libertadores (2012), Mundial Interclubes da FIFA (2012), Recopa Sul-Americana (2013) e Campeonato Paulista (2013) -, em sete temporadas no clube.

Veja Mais:

  • Corinthians estreia no Brasileirão de 2019 contra o Bahia

    CBF divulga tabela, e Corinthians já sabe contra quem estreia no Brasileirão-2019

    ver detalhes
  • Léo Santos está perdendo espaço no elenco do Corinthians

    Corinthians pode emprestar Léo Santos ao Fluminense; clubes discutem pagamento de salário

    ver detalhes
  • Rosenberg é diretor de marketing do Corinthians desde fevereiro de 2018

    Rosenberg tenta explicar comentário sobre mulher com HIV; Corinthians divulga nota oficial

    ver detalhes
  • Corinthians de Cássio tentará octacampeonato brasileiro em 2019

    VAR, limite de inscritos e Supercopa do Brasil: mudanças confirmadas para o Brasileirão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes