Rival obtém autorização para suspender taxa à PM; Corinthians já gastou R$ 1,5 milhão

Rival obtém autorização para suspender taxa à PM; Corinthians já gastou R$ 1,5 milhão

Por Mayara Munhoz, Lucas Faraldo e Vinícius Souza

Se seguir 'exemplo' de rival, Timão pode economizar grana com bilheteria

Se seguir 'exemplo' de rival, Timão pode economizar grana com bilheteria

Foto: Divulgação/Arena Corinthians

Uma vitória conquistada pelo arquirrival no âmbito jurídico pode servir de exemplo ao Corinthians. Segundo decisão divulgada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) nesta semana, o Palmeiras obteve uma liminar que o assegura a suspender o pagamento de taxas de policiamento por suas partidas no Allianz Parque. Em outras palavras, o clube alviverde não será mais obrigado a repassar valores à PM.

O portal Espn.com.br revelou que as quantias depositadas pelo Palmeiras não são destinadas aos salários dos policiais, mas ao Tesouro estadual. Os advogados da equipe argumentaram, entre outras alegações, que a imposição das taxas de policiamento é inconstitucional. Ao menos R$ 600 mil foram diluídos das bilheterias do time da Barra Funda com embates da Série A para cobrir o tributo.

A decisão favorável ao Palmeiras abre caminho às demais agremiações da Série A, entre elas o Corinthians. De acordo com levantamento do Meu Timão, a diretoria alvinegra já gastou, apenas em 2017, R$ 1,5 milhão em impostos à Polícia Militar de São Paulo, que, por sua vez, é ressarcida pelo governo do estado.

O montante representa 3,8% da renda bruta da Arena Corinthians com bilheteria na temporada. Considerando os compromissos do Paulistão, da Copa do Brasil e do Brasileirão, o fundo que administra o estádio embolsou cerca de R$ 39 milhões (ingressos, alimentos, etc.). Somente os números de três confrontos não estão no balanço: 1 x 0 contra a Ferroviária (amistoso); 2 x 0 sobre Universidad de Chile e Patriotas, da Colômbia, cujos borderôs não foram disponibilizados pela Conmebol.

O Meu Timão procurou o diretor jurídico do Corinthians, Luiz Alberto Bussab, para comentar o assunto, mas não houve resposta.

A reportagem também consultou um especialista na área de justiça esportiva e ouviu que, assim como o Palmeiras, há possibilidade de o Corinthians solicitar ao TJ-SP a interrupção dos pagamentos à PM.

Veja mais em: Arena Corinthians, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Campeonato Paulista e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Zé Rafael, de 24 anos, tem contrato com o Bahia até 2020

    Corinthians reforça interesse em Zé Rafael, mas tem de esperar até 9 de dezembro; entenda

    ver detalhes
  • Carille quer contar com seu reserva imediato em 2018

    Permanência de Walter é desejo de Carille, mas técnico já tem plano B em caso de saída

    ver detalhes
  • Na Série B do Brasileirão pelo Internacional, Leandro Damião entrou na mira do Timão

    Corinthians inicia sondagem sobre centroavante do Internacional

    ver detalhes
  • Timão monitorava situação de Roger, em fim de contrato no Botafogo

    Alvo do Corinthians, centroavante Roger fecha com clube gaúcho

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes