Choro em derrotas e lanche de pernil no estádio: histórias de Gabriel como torcedor do Corinthians

7.8 mil visualizações 50 comentários

Por Meu Timão

Gabriel 'passou' no teste ao mostrar conhecimento sobre a história do Timão

Gabriel 'passou' no teste ao mostrar conhecimento sobre a história do Timão

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Gabriel não se cansa de declarar seu amor e fanatismo ao Corinthians. Grata surpresa do ano 2017, colaborando expressivamente para as conquistas dos Campeonatos Paulista e Brasileiro, o volante falou sobre sua identificação com o Timão e mostrou estar por dentro da história do clube em quiz proposto pelo site Globoesporte.com.

"Eu era o cara que se o Corinthians perdesse eu chorava; e, se ganhasse, eu zoava todo mundo. Eu era chato para [email protected]%*^", introduziu o jogador.

"Na minha carreira como profissional eu defendi outros clubes como Botafogo e Palmeiras e procurei respeitar muito. Além do meu passado eu sou profissional. Hoje eu posso defender a camisa do Corinthians, presente que ganhei do meu pai quando nasci. Aprendi a ser corinthiano e estou muito feliz por esse sonho realizado", contou.

Antes de responder ao teste, Gabriel relembrou seus tempos de arquibancada, trazendo à tona caso curioso: "Em 99 eu fui na final do Brasileiro. Nesse dia, o jogo estava marcado para as 16h. Chegamos em São Paulo às 09h, e o jogo passou para 21h45. Eu e meu pai viemos de Campinas, ficamos na frente do estádio o dia inteiro, comemos aqueles lanches de pernil... Foi uma noite especial onde o Corinthians foi campeão brasileiro".

Leia também: Mais legal, violento, chato e bom de bola: jogadores do Corinthians são citados por boleiros

Logo no início do quiz, ponto para o defensor! Questionado sobre a frase que estampou a camiseta lançada em 2008, o volante disparou: "Eu nunca vou te abandonar. Em 2008 eu virei mais corinthiano. Eu também não abandonei, e a torcida não vai abandonar nunca, tenho certeza".

Completando corretamente músicas cantadas pela torcida, pergunta acerca do único jogador tricampeão brasileiro além de Danilo - que é Dinei -, e o ano da invasão corinthiana - 1976 -, o camisa 5 pontuou ao acertar como Marcelinho Carioca e Sócrates, ídolos do clube, comemoravam seus gols.

Sobre o Doutor, Gabriel comentou: "Infelizmente eu não vi jogar, mas hoje lá de cima, com certeza, ele está vendo a gente e muito feliz com o Corinthians".

Aprovado no teste de torcedor, o heptacampeão nacional encerrou: "Eu não preciso esconder de ninguém, os meus tios, pais, são todos corintianos. A minha infância foi vivendo o Corinthians. Quando eu vim para cá, foi bem legal".

Veja mais em: Gabriel.

Veja Mais:

  • Fábio Santos, Gabriel e Jô comemorando o gol do lateral contra o Coritiba, pelo Brasileirão

    Fábio Santos marca, Corinthians vence Coritiba e respira no Campeonato Brasileiro

    ver detalhes
  • Fábio Santos no duelo com o Coritiba, pelo Brasileirão, no Couto Pereira

    Fiel elege Fábio Santos como melhor em campo na vitória do Corinthians; reserva é o pior

    ver detalhes
  • Walter no duelo contra o Coritiba, pelo Brasileirão, no Couto Pereira

    Vagner Mancini diz que Cássio não está lesionado e que fez 'opção segura' por Walter

    ver detalhes
  • Jogadores comemoram gol de Fábio Santos, contra o Coritiba, no Couto Pereira

    Torcida do Corinthians se anima com primeiro tempo e exalta Mancini; veja repercussão após vitória

    ver detalhes
  • Lucas Piton no duelo contra o Coritiba, pelo Brasileirão, no Couto Pereira

    Análise: Corinthians descobre um ponta canhoto e joga para ganhar; time mostra que pode mais

    ver detalhes
  • Arqueiro Cássio na derrota para o Atlético Mineiro, na Neo Química Arena, pelo Brasileirão

    Cássio e Bruno Méndez são denunciados no STJD e vão a julgamento na segunda-feira

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: