Corinthianos acusados de agredir palmeirenses após Dérbi em 2016 são absolvidos

Corinthianos acusados de agredir palmeirenses após Dérbi em 2016 são absolvidos

Por Meu Timão

1.6 mil visualizações 22 comentários Comunicar erro

Briga entre corinthianos e palmeirenses ocorreu perto da estação Clínicas

Briga entre corinthianos e palmeirenses ocorreu perto da estação Clínicas

Foto: Divulgação

Os 26 torcedores do Corinthians acusados de agredir dois torcedores do Palmeiras após o Dérbi realizado no dia 3 de abril de 2016, há quase dois anos, foram inocentados pela Justiça de São Paulo nesta quinta-feira. A informação é do site GloboEsporte.com.

O episódio ocorreu poucas horas depois do clássico disputado no Pacaembu. Segundo a Polícia Militar, os palmeirenses Marcos Antonio Estevam e Elvis Raul Estevam não vestiam uniformes de qualquer organizada do clube e foram espancados nos arredores da estação Clínicas do metrô de São Paulo, que fica próxima ao estádio.

Do lado dos corinthianos, alguns vestiam o uniforme da Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do Timão. Eles estavam em um caminhão que fazia o transporte das faixas e dos instrumentos do grupo do estádio à sede da torcida, situada no bairro Bom Retiro.

De acordo com o juiz Ulisses Augusto Pascolati Junior, responsável pela sentença, as provas apresentadas pelas vítimas não foram suficientes para comprovar a participação dos envolvidos no suposto crime.

“(...) não há dúvida de que algum dos réus agrediu a vítima”, explicou o juiz no parecer. Entretanto, como não seria possível individualizar a conduta dos envolvidos, a Justiça corria o risco de condenar alguém injustamente se optasse pela punição em grupo.

Leia também:
Morre homem espancado em briga entre torcedores de Santos e Corinthians
Inspirada no estádio do Atlético-PR, Arena Corinthians pode adotar sistema de biometria

Chama atenção que tanto Marcos quanto Elvis entraram em contradição nos depoimentos dados à Polícia e à Justiça. Inicialmente, a dupla havia indicado que os corinthianos saíram do caminhão para agredi-la. Já perante o juiz, explicou que provocara os torcedores do Timão e que sequer tinha certeza de quem a havia atacado.

Você se lembra?

O domingo do clássico em questão, que acabou com derrota para o Corinthians, ficou marcado por uma série de conflitos entre torcedores dos dois times. Uma pessoa morreu ao ser atingida por um disparo de arma de fogo durante briga entre torcedores em São Miguel Paulista. Além da confusão que culminou em morte, outros dois confrontos foram registrados: um em Guarulhos, com 25 pessoas detidas, e outro na estação Brás do metrô, que causou a destruição de um vagão e gerou pânico e confusão entre usuários do transporte público.

Mais tarde, naquela mesma semana, a Secretaria de Segurança Pública acataria recomendação do Ministério Público e da Polícia Militar e limitaria torcida única nos clássicos do futebol profissional de São Paulo até o fim do ano. A medida, vale lembrar, foi estendida para as temporadas de 2017 e 2018.

Veja mais em: Violência no futebol, Torcidas organizadas, Torcida do Corinthians e Dérbi.

Veja Mais:

  • Timão pode erguer troféu da Liga Ouro já na sexta-feira, na casa do São José

    Corinthians vence batalha com quatro prorrogações e fica a uma vitória do título da Liga Ouro

    ver detalhes
  • Maioria dos titulares de Loss já completou sétimo jogo no BR; Cássio e Fagner, sequer seis

    Doze corinthianos já completaram sete jogos no Brasileirão; veja quem ainda pode se transferir

    ver detalhes
  • Caetano tem 18 anos e estava no Botafogo

    Corinthians acerta contratação de zagueiro indicado por Barroca, técnico do Sub-20

    ver detalhes
  • Léo Jabá tem contrato de cinco temporadas com o FC Akhmat Grozny

    Jabá encaminha transferência à Grécia, e Corinthians pode ganhar mais de R$ 4 milhões

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes