O maior mercado entre os clubes brasileiros

O maior mercado entre os clubes brasileiros

Poucos assuntos renderam - e ainda rendem - tanta polêmica e discussão quanto o tamanho das torcidas dos clubes de futebol. Ter uma "nação" maior do que a do rival massageia o orgulho e a autoestima dos apaixonados torcedores. No entanto, um novo conceito, que deixa o lado emotivo de lado e ganha força entre dirigentes e profissionais de marketing esportivo, promete relegar o velho debate às conversas informais entre torcedores. De acordo com a ideia, o importante para o mercado não é o tamanho da torcida, mas a quantidade de consumidores da marca. Em outras palavras: mais relevante do que ter torcedores é ter clientes.

E como tem ocorrido nas mais recentes projeções de mercado do futebol brasileiro, o Corinthians aparece em destaque dentro deste novo conceito. Segundo levantamento realizado pela Pluri Consultoria, o potencial de consumo de artigos relacionados a esporte da Fiel ultrapassa os R$ 450 milhões/mês, cifra que a coloca na liderança absoluta das torcidas mais "endinheiradas" do Brasil.

Só para se ter ideia do destaque alvinegro neste ranking, a segunda posição é do São Paulo, com R$ 289 milhões, seguido por Flamengo (R$ 287 milhões), Palmeiras (R$ 202 milhões) e Vasco (R$ 110 milhões). "Lembrando que esse potencial está disponível para ser explorado não apenas pelos clubes, mas também por empresas patrocinadoras, fornecedoras de material esportivo, redes de comunicação, varejo esportivo, empresas de produtos licenciados", explicou o diretor da consultoria e responsável pelo levantamento, Fernando Pinto Ferreira.

Para chegar a estes números, os responsáveis pelo estudo definiram dois critérios objetivos: socioeconômico e geográfico. "A torcida do Flamengo, em números absolutos, é maior do que a do Corinthians. Só que boa parte dos rubro-negros está localizada nas regiões Norte e Nordeste, onde o poder aquisitivo e, consequentemente, o potencial de consumo são menores. Já os corintianos estão em menor número, mas concentrados em regiões mais ricas", observou o especialista.

Geografia da receita. Consta do levantamento que o Flamengo ainda possui a maior torcida do País, com 15,2% da população, o que representa pouco mais de 29 milhões de torcedores. Na sequência aparecem Corinthians, com 13,1% (25 milhões), São Paulo, 8,4% (16 milhões), Palmeiras, 6,4% (12 milhões) e Vasco, 4,6% (8,7 milhões).

O que chama atenção, porém, são os números que revelam a concentração destes torcedores. No caso do Flamengo, a fama de ter torcida espalhada por todo o País é confirmada, uma vez que apenas 26% dos rubro-negros estão concentrados no Estado do Rio. "Mas esta conclusão não representa um bom indicador, pois o torcedor que mais consome é aquele que está no mesmo centro do clube, pois ele vive o clima de rivalidade com outros torcedores, o que impulsiona o consumo de artigos relacionados ao clube", explicou Ferreira. "Torcedores de outros Estados apenas se declaram torcedores, mas não transformam essa preferência em consumo. O desafio, nesse caso, é desenvolver estratégias para alcançar este público."

É neste ponto que o Corinthians consegue se destacar. Além de ter sua base no Estado mais rico da federação, onde o poder aquisitivo e potencial de consumo é mais elevado, o clube do Parque São Jorge conta com 56% de sua torcida dentro do Estado de São Paulo. De acordo com o estudo, pouco mais de 14 milhões de paulistas declaram-se corintianos, contra 11 milhões de outros Estados (44%).

"Nunca nos interessou ter a maior torcida. Queremos apenas tratar bem a Fiel, dar a ela o que ela quer. Deveria ser objetivo de qualquer clube transformar o torcedor em cliente, consumidor e sua paixão em receita", afirmou o ex-diretor de marketing e atual vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg.

Força santista. Quando o assunto é capacidade de gasto per capto, quem dá bola é o Santos. A divisão do potencial de consumo da torcida santista (R$ 103,4 milhões) pelo número estimado de torcedores (5,2 milhões) chega-se a R$ 19,6 por torcedor. Logo atrás aparece o Corinthians (R$ 17,9), seguido de perto pelo São Paulo (R$ 17,8) e Palmeiras (R$ 16,5). O Flamengo, dono da maior torcida, fica lá embaixo, com apenas R$ 9,8.

Fonte: Estadão

Enviado por: Carlos Amaral

Veja Mais:

  • Fagner em partida contra o São Paulo, pelo Paulistão

    TJD-SP volta atrás sobre julgamento de Fagner, que pode desfalcar Corinthians em decisão

    ver detalhes
  • Cássio foi presenteado por Dona Lina no encontro dos dois no CT Joaquim Grava

    Com presente guardado há cinco anos, corinthiana de 87 anos realiza sonho de conhecer Cássio

    ver detalhes
  • Felipe, Malcom e Gil foram vendidos pelo Corinthians em 2016

    Venda de atletas e luvas da TV fazem Corinthians ter maior arrecadação da história em 2016

    ver detalhes
  • Diga xis! Confira o novo álbum 3x4 do elenco do Corinthians

    Diga xis! Confira o novo álbum 3x4 do elenco do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes