Cássio: 'Respeito, mas não temo Chelsea e nem Messi'

Cássio: 'Respeito, mas não temo Chelsea e nem Messi'

Cássio não teme o Chelsea

Cássio não teme o Chelsea

Até abril, Cássio Roberto Ramos era apenas um goleiro alto correndo atrás de seu futuro. Com 1,95m e cabelos compridos, chamou a atenção mais pela aparência do que pelo currículo ao chegar no Corinthians no início do ano após quatro anos sem sucesso no PSV e Sparta, ambos da Holanda. Até que, depois de falhas sucessivas, tomou o lugar de Julio César e se transformou em uma das armas do clube na conquista da Libertadores.

Agora, tem o direito de sonhar com tudo. Mundial de Clubes, Copa das Confederações, Copa do Mundo… Sonha, com os pés no chão e sem medo. A seguir, a entrevista ao blog.

Você consegue se imaginar defendendo o gol do Brasil no Maracanã, na final da Copa, contra a Argentina de Messi?
Seria espetacular. O cara é muito bom, muito diferenciado e não é de agora, não. Seria algo espetacular, mas nem precisa ser o Messi, não. Jogar pelo Brasil é um sonho e uma grande responsabilidade. Pode ser contra qualquer time.

O Brasil tem chances de ganhar a Copa?
Teria, sim. O Brasil sempre é um grande time?

Tem uma final mais perto aí. Quem pode ser campeão do mundo, Corinthians ou Chelsea?
50% para cada lado. Chelsea e Messi são a mesma coisa. Eu respeito os dois, mas confio muito em mim e no meu time. O Corinthians é muito forte, não teme ninguém.

Quem assusta mais, Fernando Torres ou Oscar?
Você esqueceu do Ramires. O time deles é bom, mas o nosso também é.

Quando o Corinthians vai voltar a jogar no nível da Libertadores?
Falta pouco, um passo de cada vez. Reparou como deixamos de tomar gol em bola parada. Era um por jogo, estava todo mundo insatisfeito. Agora, parou.

Por que o time caiu de rendimento?
Olha, eu acho que é uma coisa normal. Não lembro de nenhum time que ganhou os dois no mesmo ano. Tem um relaxamento natural. Depois, teve contusões, ficou difícil escalar o mesmo time várias vezes seguidas. Perdemos pontos bobos e ficamos fora da disputa. Mas, agora, estamos retomando a luta.

Desses quatro jogos que faltam, quais você gostaria de vencer?
São Paulo e Santos, porque tem mais rivalidade. Contra o Santos, houve aquela discussão com o Neymar no primeiro turno, mas ja passou. Mas vamos tentar ganhar os quatro.
Você tem visto jogos do Chelsea?
Ah, não. Vejo os gols, é um time forte, mas quando chegar mais perto, vamos ver os vídeos que temos e as orientações do Tite. Não pode ficar pensando no Chelsea e ser eliminado pelo Mazembe, como o Inter fez.

Mas vocês só vão pensar no Chelsea depois de passarem pela semifinal do Mundial?
Não é isso. A gente já estuda, já conversa mas não vamos pensar só nisso. Tudo tem hora certa.

Seria mais difícil enfrentar o Barcelona ou Real Madrid?
Será? Todo tim campeão tem seus méritos. Se a gente for campeão em cima deles, teremos nosso mérito, será justo. Ninguém pode ficar falando que não era o Barcelona….

Qual foi o melhor momento da Libertadores?
O gol do Paulinho contra o Vasco. Ali, nós motramos que podíamos ser campeões.

Pensei que você fosse falar da sua defesa no chute do Diego Souza.
Foi a melhor defesa da minha vida, mas o gol do Paulinho foi mais emocionante. Foi muito bonito.

Dizem que goleiro alto tem dificuldade em bola baixa. É verdade?
Eu não tenho. É só treinar bastante.

Como você se sente nesse momento na vida, lembrando que está perto de conquistas e que há pouco tempo estava na Europa, sem jogar?
Eu me sinto bem, me sinto vitorioso. Lutei para isso. Saí do Brasil com 19 anos e fui para o PSV, o técnico era o Ronald O goleiro era o Gomes. Então, o Koeman saiu e veio outro técnico, que não dava chance. Fiquei sem jogar, fui emprestado e quase acertei com o Vasco, quando eles caíram. O PSV não deixou. Aí, me dei conta que estava sem jogar e que precisava pensar na minha carreira. Falei para o Carlos Leite, meu empresário, que queria voltar. Ele falou com o Andrés e a chance veio. Aceitei na hora, ninguém pode recusar um time com a força do Corinthians. E valeu a pena. Estou muito feliz.”

Fonte: Trivela

Veja Mais:

  • Romero será um dos titulares na última partida do ano

    Libertadores, vingança e tributo: Corinthians encara Cruzeiro neste domingo

    ver detalhes
  • Patch de homenagem a Chapecoense na camisa do Corinthians

    Veja imagens da camisa do Corinthians com o patch da homenagem a Chapecoense

    ver detalhes
  • Marinho vem sendo pedido por torcedores do Corinthians para 2017

    Pedido pela torcida do Corinthians, Marinho admite deixar Vitória em 2017

    ver detalhes
  • Simi passou sete anos no Corinthians

    Simi reclama de saída do Corinthians e projeta 'final às avessas' da LNF no Parque São Jorge

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes