Corinthians reforça marca no exterior com Mundial de Clubes

Corinthians reforça marca no exterior com Mundial de Clubes

O Corinthians iniciou 2012 apresentando como reforço um desconhecido jogador chinês para reforçar o time mais no campo dos negócios do que dentro das quatro linhas. Na apresentação do atacante Chen Zhi-Zhao, a iniciativa foi descrita pelo vice-presidente Luis Paulo Rosenberg como “fundamental para internacionalizar a marca Corinthians”. Mas à época, o dirigente não imaginava que o clube terminaria a temporada disputando o torneio de maior visibilidade para um clube fora da Europa, o Mundial de Clubes da Fifa.

Na madrugada desta terça-feira, 4, o Corinthians embarca rumo ao Japão não só com um time entrosado e experiente para disputar o título mundial mas também com diversas ações de marketing na bagagem que serão realizadas tanto no país sede do torneio mas também em outros locais estratégicos para reforçar a marca do clube no mercado externo.

A principal iniciativa será a abertura de três lojas temporárias do time em Nagoya, Yokohama e Tóquio para vender produtos do clube durante este mês de dezembro. Além dessa iniciativa, a Nike, parceira do Corinthians no fornecimento de material esportivo, aumentará o volume e dará maior exposição aos produtos do clube em suas lojas situadas não só no Japão, como também na China, Estados Unidos e Inglaterra. “Como a Nike está presente em diversos países, é ela quem está coordenando essas ações fora do Japão”, diz Rosenberg.

O território inglês, inclusive, tem destaque no plano do clube. A intenção é arrecadar com a venda de produtos por conta da grande rivalidade que há entre os clubes ingleses, já que o principal adversário do Corinthians no Mundial é o Chelsea, de Londres. Além disso, o próprio clube tem sua história ligada à cidade londrina, já que o nome do clube tem origem no Corinthian-Casuals Football CLub, que hoje disputa apenas a 8ª divisão do Campeonato Inglês mas que fez uma excursão ao Brasil em 1910, ano de fundação do clube de Parque São Jorge. “Talvez façamos algum evento na Inglaterra também pois o nascimento do Corinthians vem de lá”, comenta Ivan Marques, diretor de marketing do clube.

Mobilização
A história do clube e um relatório sobre as ações realizadas nos últimos anos estarão em um material distribuído em inglês e japonês para profissionais da imprensa e autoridades no Japão. Além disso, o Corinthians realizará eventos de relacionamento no Japão tendo como foco os empresários locais. “Queremos mobilizar a população japonesa e temos contado com o apoio do consulado e da embaixada brasileira no Japão”, diz o vice-presidente do Corinthians.

A iniciativa do clube junto aos japoneses visa reforçar ainda mais o apoio que o time terá durante os jogos, já que a estimativa é que 20 mil corintianos viajem do Brasil para acompanhar os jogos do Mundial no Japão. Desse total, seis mil pessoas viajarão através da parceria que o Corinthians fechou com a agência de viagens CVC.

A compra dos pacotes de viagem para o torneio deve movimentar mais de R$ 200 milhões no segmento de turismo no país, já que o valor médio para assistir as duas partidas do Corinthians no Mundial é de R$ 10 mil.

Força no mercado
“Temos usado a participação no Mundial para conseguir parceiros”, aponta Marques. Segundo ele, o recente patrocínio fechado com a Caixa Econômica Federal por R$ 30 milhões por ano até 2014, além de mais R$ 1 milhão para expor a marca no Japão, é resultado da maior visibilidade que o time alcançou no mercado por conta da conquista da Copa Libertadores e, consequentemente, da participação no Mundial.

“Vamos usar o torneio para consagrar a marca internacionalmente e a escolha de atletas internacionais, como o Zizao, auxilia a nossa estratégia”, diz Marques, ao comentar a intenção do clube de conquistar “novos admiradores” fora do país.

Rede Poderoso Timão planeja abrir lojas em outros países
O projeto do Corinthians de internacionalizar sua marca deve ser acompanhada também com a abertura de unidades da rede Poderoso Timão em outros países. Segundo André Giglio, sócio-diretor da consultoria Francap, que administra a rede de franquias, já houve interesse vindo de países da América do Sul e Europa, além de Estados Unidos e Japão.

“Temos feito estudos para isso acontecer, mas antes precisamos definir um modelo operacional para comercializar os produtos exterior”, afirma Giglio. Para a iniciativa, o executivo cita entre os obstáculos a logística para abastecer as unidades com itens recém-lançados e a legislação diferente da brasileira para a comercialização de produtos no mercado externo. “A forma de atuar é bem mais complexa”, define ele.

Enquanto a expansão para outros países não ocorre, a rede se concentra na estratégia de expansão no mercado brasileiro. Atualmente, são 115 lojas Poderoso Timão espalhadas por todo o país e a expectativa é encerrar este ano com pelo menos 120 unidades.

“Até o ano passado, a rede já vinha obtendo um bom ritmo de expansão. Mas com os títulos conquistados, o número de interessados em abrir uma franquia aumentou muito”

Fonte: ig

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes