Sexta do Corinthians no Japão tem tietes, terremoto e compras

Sexta do Corinthians no Japão tem tietes, terremoto e compras

A primeira sexta-feira do Corinthians no Japão para a disputa do Mundial de Clubes foi movimentada. Ao longo do dia, a delegação alvinegra enfrentou frio que beirou os 6ºC, treinou pela primeira vez em solo nipônico, foi assediada e tietada por fãs e torcedoras, enfrentou um terremoto que sequer foi sentido e fez compras, muitas compras pela cidade de Nagoya. O dia começou cedo para os jogadores: por volta de 8h locais (21h de quinta-feira no Brasil), os atletas acordaram e tomaram café da manhã no saguão do Hotel Hilton. Saíram da habitação pouco depois com destino a Karyia, onde treinariam no Wave Stadium, especialmente preparado para receber os convidados brasileiros.
Lá, os corintianos chegaram pouco depois das 11h japonesas e foram recepcionados por um grupo de 50 torcedores, que ignoraram o frio, vararam a madrugada à espera da equipe e festejaram com gritos e bandeiras. Mesmo assim, os adeptos foram barrados pela segurança, mas não se abalaram e improvisaram uma arquibancada em uma mureta ao lado do estádio.
O primeiro treino corintiano na terra do sol nascente foi leve. Apenas algumas corridas em volta do gramado, trabalho rápido de fundamentos e um posterior coletivo em campo reduzido para realização de atividade tática. A novidade foi o retorno do atacante peruano Guerrero, que se recuperou rapidamente de lesão no joelho direito e fez atividade com bola pela primeira vez após a lesão.
Depois do treinamento, os corintianos seguiram para o Hotel Hilton para continuar a adaptação ao fuso horário do Japão. Proibidos de tirar uma soneca após o almoço, os jogadores aguardaram a entrevista coletiva concedida pelo técnico Tite e pelo atacante Emerson para poderem, enfim, ser liberados para passear pelos shoppings de Nagoya.
A delegação saiu primeiramente em um grupo grande de jogadores, que aos poucos foram se separando. Guerrero e Martínez seguiram seu caminho para comprarem coisas pessoais, Júlio César, Paulinho e Jorge Henrique foram para outro lado e aos poucos cada corintiano estava indo para um lado, buscando conhecer a cidade e também fazer compras.
A concentração no passeio foi tão grande que os atletas sequer perceberam um terremoto de 7,3 sofrido no leste japonês, que foi sentido até em Tóquio. "Terremoto? Não senti nada", disse Emerson, declaração parecida feita por seus demais companheiros. De todo o elenco, apenas o meia Danilo parece ter notado o tremor de terra, mesmo assim de forma leve.
Por fim, os atletas puderam jantar no Hilton de maneira sossegada, não sem antes sofrerem novo assédio dos torcedores. Diversos corintianos conseguiram entrar no saguão do hotel para tirar fotos com os jogadores e tietar, como algumas belas mulheres que roubaram até abraços e beijos no rosto dos futebolistas. Após a refeição, todos se dirigiram aos seus quartos para descansar para o treino deste sábado, às 10h do Japão (22h de sexta no Brasil).

Fonte: Terra

Veja Mais:

  • Alan Mineiro gostaria de permanecer no Corinthians, mas não está nos planos do clube

    Alan Mineiro deve ser vendido pelo Corinthians e disputar a Série B em 2017

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes
  • Diversos torcedores não conseguiram efetuar a troca de ingressos

    Com fila absurda e nova confusão, torcida do Corinthians esgota ingressos para final da LNF

    ver detalhes
  • Oswaldo negou que seus treinos sejam repetitivos

    Oswaldo volta a sinalizar escalação do Corinthians em coletivo e explica semana de treinos

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes