Atacante do Corinthians fala de boa fase e conta como é jogar no seu time do coração

Atacante do Corinthians fala de boa fase e conta como é jogar no seu time do coração

8.0 mil visualizações 43 comentários Comunicar erro

Adriana bateu um papo exclusivo com o Meu Timão sobre seu momento

Adriana bateu um papo exclusivo com o Meu Timão sobre seu momento

Foto: Divulgação / Corinthians

Atacante, 14 gols, artilharia do Campeonato Paulista e do Corinthians. Você, torcedor, deve estar se perguntando de quem o Meu Timão está falando, já que as peças ofensivas do atual elenco alvinegro não andam produzindo tão bem assim. O dono, ou melhor, a dona desses números é a atacante Adriana, da equipe feminina do Timão, que vive grande temporada em 2018.

A jovem de 21 anos é uma das responsáveis pelo aproveitamento de mais de 90% do Corinthians nas duas competições que disputa no ano - foi dela, aliás, o gol da vitória no clássico contra o Santos no último domingo. E, apesar da invencibilidade, a atacante sabe que é preciso manter o foco e os pés no chão.

"A gente, graças a Deus, vem numa boa fase. Geralmente o difícil não é ter uma fase boa, difícil é manter. Quem trabalha aqui com a gente, sabe que treinamos bastante, e vamos tentar manter essa pegada, manter essa fase, porque vão ter jogos difíceis, mas vamos trabalhar para isso", explicou a jogadora, em bate-papo exclusivo com o Meu Timão.

Leia também: Corinthians tem três jogadoras convocadas para treinos com a Seleção Brasileira

Ser artilheira e destaque da equipe não é novidade para Adriana Leal, que nasceu na pequena União, no Piauí - cidade tem pouco mais de 40 mil habitantes. Antes de defender o Timão, a atacante passou pelo Rio Preto e lá também foi artilheira e ganhou prêmios por suas atuações.

"Sempre fui de fazer vários gols no Rio Preto, nos dois anos que estive lá, consegui ser artilheira do Paulista nas duas vezes, e em 2016 e 2017 fiquei na seleção do campeonato. Então sempre fui de fazer gols, tanto no Brasileiro quanto no Paulista", afirmou.

Além da boa fase, Adriana também contou sobre a aposta que fez ao aceitar a proposta do Corinthians no começo do ano, mesmo com ofertas de time do exterior, e da emoção de vestir a camisa do seu time do coração.

Adriana já marcou 14 gols na temporada com a camisa do Corinthians

Adriana já marcou 14 gols na temporada com a camisa do Corinthians

Divulgação / Corinthians

Confira a entrevista exclusiva com Adriana

Meu Timão: O Corinthians é o primeiro grande clube que você defende na carreira. Sentiu muita diferença desde que chegou?

Adriana: "Senti sim, uma diferença enorme. Eu estava no Rio Preto, que é uma equipe forte do futebol feminino, mas outra dimensão do que é aqui o Corinthians. Não foi fácil vir para cá, tive muitas propostas de outros times, de fora também, graças a Deus estava tendo boas atuações no Rio Preto. Depois de várias conversas acabei chegando a um acordo com o Arthur (Elias, treinador), e com a direção do Corinthians, acabei vindo pra cá e estou muito feliz aqui no clube"

Você tinha propostas até do exterior. Não teve receio de optar por um projeto novo? (O Corinthians vive seu primeiro ano no futebol feminino sem parceria)

"O que me incentivou mais foi que eu não pretendia sair ainda do país. O Corinthians é o meu time do coração, um time que gosto muito, e a proposta mexeu muito comigo, a proposta do Arthur, e de imediato foi uma repercussão enorme, conversei bastante com minha família. Me identifico com o Corinthians. Também já conhecia algumas meninas que estavam aqui, e pela grandeza do clube, pra mim foi mais fácil de tomar essa decisão"

Como é defender o clube do seu coração?

"É maravilhoso, desde quando saí da Seleção, vim pra cá fazer meu primeiro jogo e marquei um dos gols na minha estreia e fiquei muito feliz. A Cacau até veio falar comigo, me disse: 'Você é foda, aqui é Corinthians, porra' (risos). Desculpa o palavrão. Mas é uma emoção única, nossa, jogar no time que você torce é demais, maravilhoso"

Você conseguia ir aos jogos do Corinthians antes no estádio?

"Ir no estádio era bem difícil. Eu morava no Piauí, então dificilmente a gente tinha oportunidade. E no Rio Preto também era complicado. Então só quando vim pra cá mesmo que comecei a ir em alguns jogos na Arena, e é emocionante"

Você considera essa a sua melhor temporada?

"Eu consegui me adaptar muito bem ao time. O estilo do Arthur eu já conhecia um pouco, então facilitou para mim, e a adaptação aqui no clube com as meninas também foi muito importante. Eu consegui me destacar bem nos treinos, dou meu máximo tanto nos treinos, quanto nos jogos, e graças a Deus estou marcando muitos gols aqui. Tive uma baixa, fui cortada da Copa América, isso foi triste para mim, achei que ia dar um baque, mas logo quando vim para o Corinthians, já vi a dimensão que era aqui, e isso me levantou de uma forma que não esperava. Tanto as meninas quanto a comissão me deram muito apoio, e isso foi muito importante para eu poder dar uma arrancada e ajudar o time"

Você é artilheira do Corinthians, foi no Rio Preto. Isso é algo que o torcedor pode ficar tranquilo em relação ao seu trabalho? Sempre teremos gols?

"Pode ficar tranquilo (risos). Sempre fui de fazer vários gols no Rio Preto, nos dois anos que estive lá, consegui ser artilheira do Paulista nas duas vezes, em 2016 e 2017 fiquei na Seleção do campeonato. Então sempre fui de fazer gols, tanto no Brasileiro quanto no Paulista"

Elenco feminino do Corinthians tem mais de 90% de aproveitamento em 2018

Elenco feminino do Corinthians tem mais de 90% de aproveitamento em 2018

Divulgação / Corinthians

A equipe está invicta na temporada e já aplicou diversas goleadas. Como vocês têm feito para administrar esses resultados dentro e fora de campo?

"A gente, graças a Deus, vem numa boa fase. Geralmente o difícil não é ter uma fase boa, difícil é manter. A gente recentemente teve dois jogos que acabamos sendo surpreendidas pelos adversários, tivemos uma desorganização nossa no jogo contra o São José. Estávamos ganhando de 3 a 0, e levamos o empate, fomos um pouco prejudicados pela arbitragem... depois, logo em seguida, jogamos contra o Kindermann lá, vindo de dois resultados que não eram o que a gente queria. Mas o foco era entrar concentrado contra o Santos para voltar a vencer. É difícil, quem trabalha aqui com a gente, sabe que treinamos bastante, e vamos tentar manter essa pegada, manter essa fase, porque vão ter jogos difíceis, mas vamos trabalhar para isso"

O que você acha que falta para o torcedor se aproximar mais do futebol feminino?

"A divulgação acho que agora a gente tá tendo um pouco mais aqui no Corinthians, no Rio Preto não tinha tanto. Aqui no Corinthians a gente tá tendo um pouco mais. Claro que é uma diferença enorme do masculino para o feminino, mas, aos poucos, a gente vai tendo um pouco mais, o time está ganhando seu espaço, e acho que em alguns anos, estará entre os melhores da categoria, de igual para igual com o masculino"

Para fechar, manda um recado para a Fiel

"Pode esperar o meu máximo, darei sempre o melhor de mim em todos os jogos, vou buscar sempre balançar às redes para fazer a torcida do Corinthians feliz"

Veja mais em: Corinthians feminino e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Fagner deve ganhar nova oportunidade em embate contra a Sérvia

    Ausência de Danilo é confirmada por médico e Fagner deve seguir com titularidade da Seleção

    ver detalhes
  • Cria do Corinthians, Malcom desperta interesse do futebol italiano

    Malcom se aproxima de acerto com Inter de Milão e Corinthians pode lucrar boa quantia

    ver detalhes
  • Com grande atuação de Pastor & cia., Corinthians conquistou Liga Ouro e estará no NBB

    Corinthians sobra no último quarto, bate São José e é campeão da Liga Ouro; time vai ao NBB

    ver detalhes
  • Com Oya, Timão tenta terceira vitória consecutiva no Paulista Sub-20

    Embalado, Corinthians vai a Guaratinguetá e encara lanterna do Paulista Sub-20

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes