Ex-Corinthians lembra de relação com Mascherano e diz que elenco de 2006 não era bomba relógio

36 mil visualizações 84 comentários Comunicar erro

Por Meu Timão

Mascherano atuou com Paulo Almeida no Corinthians no início de 2006

Mascherano atuou com Paulo Almeida no Corinthians no início de 2006

Gazeta Press

Paulo Almeida chegou ao Corinthians no início de 2006, após uma passagem vitoriosa pelo Benfica. O volante chegou para integrar um elenco já cheio de estrelas, formado pelas contratações milionárias do MSI e que havia sido campeão do Brasileiro no ano anterior. Anos depois, o jogador relembrou a relação com Mascherano e falou sobre atuar em um time tão estrelado.

Para o volante, que já havia sido bicampeão brasileiro pelo Santos em 2002 e 2004, Mascherano ainda era uma incógnita, após ter tido apenas uma boa passagem no River Plate e ser contratado pelo Corinthians como promessa. Ele veio a viver a sua grande fase de fato no futebol apenas no futuro, principalmente com a camisa do Barcelona.

“Acho que ele quem aprendeu comigo. Eu era um pouco mais velho, já vinha de um bicampeonato brasileiro, campeão português, Seleção Brasileira, então acho que ele aprendeu um pouquinho comigo. Mas é claro, a gente sempre aprende um pouco um com o outro, a gente troca experiências, e é importante, é normal. Você aprende um pouquinho com cada um”, comentou Paulo Almeida à FOX Sports.

Leia também:
Tite, Fagner, Cássio, Allison e Guerrero: os números de brasileiros e peruanos na Arena Corinthians
Por que Romero (do Corinthians) bombou nas redes sociais nessa quarta-feira?

Com relação ao elenco de 2006, ainda formado por nomes como Tévez, Mascherano e Carlos Alberto, todos jovens, mas como contratações de peso, Paulo acredita que o time não era uma bomba relógio. Para ele desentendimentos são normais de acontecer, mas o objetivo de todos era sempre fazer o Corinthians mais vitorioso.

“De forma alguma (era uma bomba relógio). Todo mundo se respeitava, todo mundo sempre fazia o melhor pelo Corinthians. É claro que muitas vezes tinha discussão nos treinamentos, isso é normal, se em casa, com a sua família, você discute, imagina num ambiente de um de um lado, um do outro vindo de ambientes, é normal ter discussão, mas o importante é que quando a gente entrava em campo isso ficava de lado e a gente fazia o melhor pelo clube, pelo Corinthians, naquela época”, finalizou o ex-jogador.

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians.

Veja Mais:

  • Ralf volta ao plantel do Timão para o jogo desta quarta-feira

    Com três retornos, Corinthians confirma lista de relacionados contra o Goiás; veja provável time

    ver detalhes
  • Corinthians não tomou conhecimento do adversário e garantiu mais um título estadual

    Corinthians goleia Magnus fora de casa e garante título do Campeonato Paulista de Futsal

    ver detalhes
  • Treinador português corre risco de demissão no Monaco

    Possível interesse do Corinthians em técnico do Monaco repercute na Europa

    ver detalhes
  • Arena compete com outros sete estádios pela honraria de sediar a final continental

    Conmebol confirma Arena Corinthians como candidata para sediar final da Libertadores de 2020

    ver detalhes
  • Timão perdeu a primeira pelo NBB

    Corinthians perde para São Paulo em noite de atuação apática na estreia do NBB

    ver detalhes
  • Casagrande rebateu as entrevistas concedidas pelo treinador

    Casagrande culpa Carille por deficiências do elenco citadas pelo técnico: 'Má escolha dele'

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: