Por que o time feminino do Corinthians jogava sem escudo? Resposta está no Pacaembu (e aqui)

Por que o time feminino do Corinthians jogava sem escudo? Resposta está no Pacaembu (e aqui)

3.8 mil visualizações 28 comentários Comunicar erro

Corinthiano Sócrates teve participação na luta pela legitimação do futebol de mulheres no Brasil

Corinthiano Sócrates teve participação na luta pela legitimação do futebol de mulheres no Brasil

Acervo Rose do Rio / Museu do Futebol

A reativação da equipe feminina de futebol do Corinthians, no recente ano de 2016, pode ser apontada como um dos marcos da revolução contemporânea pela qual o Brasil vive no que diz respeito à modalidade. Muito antes, porém, outras mulheres carregavam o escudo alvinegro no peito (não literalmente) para lutar pelos direitos delas de praticar o esporte.

Leia também:
Agenda do Corinthians tem volta do Brasileirão Feminino e estreia de categoria
Corinthianas cobram visibilidade e planejamento para o futebol feminino durante final da Copa

O Museu do Futebol, tanto no estádio do Pacaembu quanto em sua versão online, tem uma exposição dedicada exclusivamente à história da categoria feminina no Brasil. Se hoje o Corinthians ostenta os recentes títulos de Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e até Libertadores da América, muita história precisou ser escrita por uma outra geração de jogadoras que não eram nem mesmo reconhecidas pela legislação. Isso e muito mais pode ser encontrado na tal exposição. Você sem fazer nada aí no feriado: que tal dar uma olhada?

Do S.C. Corinthians Paulista e Flamengo da Vila Buarque disputada no campo da Associação Recreativa da Polícia Militar. São Paulo, Brasil. 1980

Relato de jogo entre S.C. Corinthians Paulista e Flamengo da Vila Buarque disputado na Associação Recreativa da Polícia Militar, em 1980

Jornal da Tarde| Coleção Karen Zolko

Diversas curiosidades não apenas sobre o Corinthians mas também outras equipes e a própria Seleção Brasileira hoje protagonizada por Marta, Formiga e Cristiane são relatadas. O Timão, por exemplo, inaugurou sua primeira formação feminina em 1977. Enquanto Basílio & cia. quebravam o jejum de títulos do time masculino naquela emblemática temporada, a mulherada alvinegra tinha de entrar em campo sem o uniforme oficial do clube.

O motivo para a "discrição" nas vestimentas estava na proibição por força de lei da realização de futebol feminino. De 1941 a 1979, as mulheres eram proibidas de jogar bola. Se o Corinthians se associasse em questão de nome e imagem, oficialmente, à equipe de moças, poderiam sofrer sanções tanto o clube quanto o próprio time delas.

Formação da equipe feminina do S.C. Corinthians Paulista

Formação da equipe feminina do S.C. Corinthians Paulista, em 1977

Coleção Karen Zolko | Acervo Museu do Futebol

Em 1982, um histórico clássico entre seleções femininas de São Paulo e Rio de Janeiro marcou aquele que talvez tenha sido o maior ato de visibilidade da categoria feminina de futebol no Brasil até então. As equipes se organizaram para disputar, numa preliminar de um Majestoso masculino, no Morumbi, um clássico das mulheres. A Federação Paulista proibiu a realização de tal partida, mas foi peitada pelas moças com ajuda dos jogadores dos times masculinos - o corinthiano Sócrates, por exemplo, afirmou na ocasião que "o público está aqui para ver o futebol feminino. Não está para ver Corinthians e São Paulo não. Então se elas não entrarem, nós também não vamos entrar", numa ameaça de boicote.

Carta de proibição da Federação Paulista de Futebol para a realização da partida preliminar de futebol feminino do jogo São Paulo F. C. e Corinthians no estádio do Morumbi.

Carta de proibição da Federação Paulista de Futebol para a realização da partida preliminar de futebol feminino do jogo São Pulo F. C. e Corinthians no estádio do Morumbi

Acervo Rose do Rio 1982

Somente em abril de 1983 a Confederação Brasileira de Desportos regulamentou o futebol de mulheres no país, através da Deliberação 01/83. Entre as regras estavam: o tempo da partida em 70 minutos com intervalos de 15 a 20 minutos e a proibição da troca de camisas entre as jogadoras ao término das partidas - prática comum na modalidade masculina.

Serviço

Link para exposição online: https://artsandculture.google.com/exhibit/AwKyL29yfLwzIQ

Link com todas as informações sobre a exposição no Museu do Futebol: http://futebolfeminino.museudofutebol.org.br/

Veja mais em: Corinthians feminino e História do Corinthians.

Veja Mais:

  • Estádio ganhou novos espaços destinados ao público VIP

    Com novos camarotes, Arena Corinthians inicia concorrência interna por público VIP

    ver detalhes
  • Corinthians jogou bem, mas ficou no empate com o Flamengo em Itaquera

    Corinthians perde uma posição e termina rodada do Brasileirão no meio da tabela

    ver detalhes
  • Jogador assinou contrato nesta segunda

    Corinthians 'vence' River Plate e fecha com meia colombiano comparado a James Rodríguez

    ver detalhes
  • [Marco Bello] Corinthians deve vender jogadores para fechar orçamento de 2019; diretor revela atraso

    ver detalhes

Comente a notícia: