Alessandro
Alessandro

Alessandro Anderson


29 anos, de São José do Rio Preto

Torcedor do site número: 501.190

cadastrado desde 18/09/2015

Maior das Américas

male

Acessos no Meu Timão

Último acesso em 29/06/2022

Atividade de Alessandro Anderson no Meu Timão

Ranking do Fórum

829º lugar

Ver Ranking

Ranking de comentários

3.267º lugar

Ver Ranking

545 Comentários

94% de aprovação

2.960 Posts

47% de aprovação

390 Tópicos

213.459 Visualizações

2.809 Views por tópico

Última atividade no site em 29/06/2022 às 11h40

Alessandro Anderson avalia 88.04% como positivo

Jogos do Corinthians com Alessandro Anderson na torcida do Timão

1 jogo

0% de aproveitamento

1 Gol comemorado

1.00 Por partida

2 Gols não comemorados

2.00 Por partida

0 Vitórias

0% saiu
comemorando

0 Empates

0% sem sorrir e
sem chorar

1 Outros

100% Nem venceu e
nem empatou

Posts e comentários do Alessandro

Última interação no site em 19/11/2021 às 23h36

  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Sobre a boa temporada de Gabriel em 2017...é de doer...vejam:"

    há 7 meses

    Ok, não está jogando NADA atualmente. FATO!

    Mas em 2017 ele jogou MUITO, foi Cão de Guarda realmente!

    Lógico, nada que o compare a ídolos como Ralf e Rincón, mas jogou muito e incorporou a alma corinthiana, aquela expulsão injusta, o famoso gol contra a Porcada da Selfie, a campanha do título brasileiro e paulista todos DESACREDITADOS, etc.

    Atualmente, não tá jogando nada. Fato.

    Mas NÃO DESMEREÇA O QUE ELE FEZ EM 2017.

    Você não precisa apagar um fato para comprovar outro.

    Abraços!

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Notícias, no tópico "Corinthians recusa 4.5M de Dólares por 70% de Adson"

    há 8 meses

    Águas de Lindoia!

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "AGORA é a HORA de mostrar pra eles..."

    há 8 meses

    Hoje, dia 06/11/21, um sábado a tarde, vai ser o dia que os jogadores e essa comissão técnica tão questionada vão ter a chance de mostrar não só pra esse timeco (com todo o respeito) mas para o Brasil todo que não adianta a fase, seja boa ou PÉSSIMA, que a NOSSA CAMISA é a única capaz de 'ENTORTAR QUALQUER VARAL!'

    Uma dica: essa camisa não é qualquer uma. Ela tem 2 estrelas de campeão mundial, uma Liberta invicta e 7 Brasileiros! Essa camisa, que é amada por 30 milhões de loucos e que é capaz de botar medo em qualquer adversário (seja ele lá do Paquistão!), ela não é azul e vermelha (obs: Fortaleza)! ELA É PRETA E BRANCA! É o Time do Povo! É o CORINGÃO!

    VAMOS PRA CIMA, CORINTHIANS! HOJE É UM DAQUELES DIAS DECISIVOS, AQUELES DIAS CLÁSSICOS EM QUE O Timão MOSTRA A SUA FORÇA!

    VAI, CORINTHIANS! HONRE A SUA NAÇÃO DE LOUCOS!

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "O que vocês acham dessa escalação pro jogo de amanhã?"

    há 8 meses

    Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Piton; Xavier; Cantillo, Guedes (ponta), Giuliano, Renato Augusto e GP (ponta); Mosquito.

    Calma! Eu sei que vocês vão reclamar (e com razão e meu APOIO) de certos jogadores como Cássio, Piton e Mosquito na referência mas deixe-me explicar essas 'escolhas' minhas.

    Cássio - Sylvio não vai arriscar o seu cargo pra bancar o Donelli. Ponto.

    Piton - Os alas do Fortaleza atacam DEMAIS, o tempo TODO, imagina o Fábio correndo atrás deles? Não vai aguentar! Piton tem erros na marcação? Sim, é frágil lá atrás! Mas com o Xavier tendo como função única e exclusivamente a marcação (e cobrindo as costas do Piton), o Piton poderia subir ao ataque (junto com o Fagner) pra OBRIGAR os pontas do Fortaleza a voltarem e marcarem ele e o Fagner (ou seja: com os nossos laterais subindo, os laterais adversários são OBRIGADOS a voltar pra marcar, deixando de atacar e marcando, correndo pra trás).

    Mosquito - Mosquito? Na referência? Sendo que o forte dele é a correria, o 'um contra um? '. Mas ele não tem físico pra 'trombar' com os 2 zagueiros. Concordo! Mas os zagueiros do Fortaleza sobem MUITO (como o resto do time). Quem assiste os jogos deles já sabem que há momentos (e não são poucos!) que os zagueiros do Fortaleza ficam quase no MEIO-CAMPO! Ou seja: com o Xavier em campo, o Cantillo teria mais liberdade pra ter espaço pra lançar aquelas bolas longas pros pontas (e para o Mosquito!). Imagina a seguinte situação: o Fortaleza nos primeiros 15 minutos COM TODA CERTEZA vai tentar jogar o nosso time pra trás, como consequência a defesa dos caras vão se adiantar! (leia-se: os zagueiros). Com os zagueiros lá no meio-campo, o Mosquito não precisaria brigar tanto com os zagueiros. Ele só precisaria se posicionar direito (junto com os pontas), esperar a 'fatiada clássica' do Cantillo e correr no contrapé da defesa dos caras, fazendo um contra-ataque MORTAL com os nossos pontas rápidos (GP e Roger). E outra: o Éderson, o MOTORZINHO do time dos caras, não vai estar em campo. Assim, eles perdem uma peça fundamental de TRANSIÇÃO (seja defensiva ou ofensiva). Éderson corre demais, com ele em campo seria difícil o Mosquito desempenhar dentro de campo já que o Éderson (com TODA CERTEZA) ficaria na espreita mas sem ele... E também o zagueiro titular deles, o Titi, não vai estar em campo. Eles irão com um zagueiro reserva (qualidade abaixo do Titi e, como é reserva, forma física e entrosamento abaixos).

    Temos que largar mão da SOBERBA, reconhecer que a FASE (física e técnica, já que estão mais entrosados e confiantes) deles é melhor que a nossa e sermos INTELIGENTES pra explorar o PONTO FRACO deles! Coloca o Xavier pra contenção e cobrir a defesa (com o Gil e JV) e o lado do Piton, libera os pontas pra jogarem lá no alto (e, assim, bloquear os avanços dos alas deles), libera o Cantillo pra lançar as bolas longas pros nossos atacantes (rápidos, técnicos e velozes) e posiciona o Mosquito entre os zagueiros que estarão lá no meio-campo (e, assim, dando um campo INTEIRO para o Mosquito correr em direção ao gol) e espera ele aproveitar uma bobeada dos caras (que estarão desfalcados do zagueiro titular deles) e ficar no cara a cara com o goleiro deles.

    Quer jogar de igual pra igual com eles? ÓTIMO! Pode jogar! Mas não reclama se o time (digo: reforços!) pedirem arrego pelo CANSAÇO no 2 tempo. Não reclame se o nosso time morrer no segundo tempo e tomar vareio de bola do Fortaleza.

    'Ah, mas vai ficar com medo desse timeco? ' Não é medo, é inteligência! Pode ser um timeco, regional, mas eles foram semifinalistas da Copa do Brasil e está no G4 desde o início do Brasileiro. O time deles estão no AUGE FÍSICO, acostumados a jogarem com marcação alta o jogo todo praticamente, com jogadores (alas, principalmente) jovens e velozes! Nosso time é melhor, mas não estamos tão entrosados, confiantes e no auge físico igual o time dos caras. Abaixa as linhas nos primeiros 20 mins, espera eles cansarem e joga no contra-ataque, posiciona o Mosquito com os pontas esperando um erro da defesa adiantada deles e aproveita as CHANCES! Pronto! Sem soberba, com inteligência, a VITÓRIA CHEGA!

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Eu aceitaria os 300 mil pelo GP."

    há 8 meses

    300k para um jogador jovem e jogando bem não é gasto, é investimento.

    Mas os 14k de luvas para um jogador na idade dele e com histórico de indisciplina pode ser um mal negócio, tanto esportivamente (psicológico, já pode achar que tá 'GRANDÃO') quanto financeiramente (se ele não desempenhar mais e sentar em cima do contrato, proposta nenhuma financeiramente boa vai vir).

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Em relação ao GP, na SUA opinião o que deve ser feito:"

    há 8 meses

    KKKKKKKKKKKKK se rir, já sabe né... Vai desce direto pelo tobogã.

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Em relação ao GP, na SUA opinião o que deve ser feito:"

    há 8 meses

    Na minha visão, eu vejo dois cenários possíveis para resolver essa situação:

    Uma maneira mais radical - afastar o jogador o mais rápido possível para minimizar os danos (já que quanto mais ele joga, mais ele se valoriza, e mais dinheiro é perdido) e sacrificar um pouco o desempenho esportivo do time para o restante da temporada (já que ele é titular jogando bem, mas também há outras opções para substituí-lo como Adson e Mosquito).

    Uma maneira mais branda - Ok, ele vai sair e vai nos dar um grande prejuízo financeiro (já que jogador jovem e jogador bem, se valoriza bem rápido, que é o caso do GP), PONTO. Mas com o final da temporada batendo à porta e com o nosso grande objetivo do ano (vaga direta para Libertadores) ainda não foi alcançado, não podemos 'poupar forças' para buscar esse objetivo. Ou seja: poderíamos usar o GP nesse fim de temporada, mesmo com prejuízo financeiro, mas com ganho esportivo para alcançar a vaga direta pra Libertadores (já que ele está numa boa fase, enquanto os reforços de ponta ainda estão oscilando por conta da parte física).

    Qual opção você escolheria?

    Ver resultado
    Participar
    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Pai do Corintiano Ayrton Senna faleceu hj"

    há 8 meses

    Que Deus o tenha e que ele possa estar junto do seu GRANDE filho neste exato momento.

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico ""O que é ser CORINTHIANS?" Esse cara aqui te responde!"

    há 10 meses

    Pelé, em talento, não.

    Mas em idolatria, sim.

    Senna não parou só o país quando morreu, mas o mundo.

    detalhes do post
  • Alessandro

    Alessandro postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico ""O que é ser CORINTHIANS?" Esse cara aqui te responde!"

    há 10 meses

    Ayrton Senna da Silva. O maior ídolo que esse país já teve. Nada de Pelé, Neymar ou qualquer outra personalidade esportiva. Somente Senna foi capaz de levar milhões de brasileiros as ruas como forma de luto à sua morte. Tiros de canhão, salvas de tiros, condecoração como herói nacional e por aí vai. Mas não só na morte que Senna foi lembrado. Em vida também. Basta perguntar para algum familiar seu que viveu na época dele. Pergunte: 'Como era o Senna? Quem foi ele?' E, com toda certeza, seus familiares irão responder com os olhos brilhando. Brilhando, pois, era assim que Ayrton fazia cada brasileiro se sentir a cada corrida dele.

    Quantos brasileiros não acordavam cedinho só para verem mais uma corrida do Senna? Ou, quando era marcada uma corrida pra essa hora, quantos brasileiros não deixavam de sair para uma balada só para ficarem acordados nas madrugadas esperando o seu ídolo vencer uma corrida e levantar a nossa bandeira nacional? Ele era o único que fazia florescer esse sentimento de patriotismo e amor ao nosso país em cada um de nós. Mesmo sabendo que ele ganhava sempre, a gente assistia mesmo assim. Assistíamos pois nos sentíamos bem vendo um brasileiro, bem-sucedido, não tendo vergonha do nosso país (pois, na época, era uma bagunça pior que agora). Pelo contrário: ele fazia questão de enaltecer o nosso povo, a nossa cultura, A NOSSA BANDEIRA.

    Ayrton Senna incorporava o 'CORINTHIANISMO'. O espírito sofredor, batalhador, VENCEDOR!

    O maior exemplo disso é a famosa corrida do GP DO Brasil de 1991, no qual Senna ganhava pela primeira vez aqui. Ele já era bicampeão mundial (e no mesmo ano faturaria o tricampeonato) e reconhecido mundialmente. Mas ainda tinha um SONHO que não havia sido cumprido. O sonho de GANHAR NO SEU PAÍS. Ele dizia que queria mais isso do que o tricampeonato. Queria recompensar a todos os brasileiros que vibravam junto com ele todo final de semana, com uma vitória no nosso país. Pois bem, lá foi ele lutar pelo seu sonho. Como sempre, ficou na liderança a corrida toda. Mas como nada para nós, corinthianos, é fácil, nada seria fácil para Ayrton também. Primeiro, uma forte chuva começou a cair no circuito de Interlagos. Mas que mal uma chuva faria para o 'Rei da Chuva', como era chamado Ayrton Senna? Dito e feito. Mesmo com a chuva forte, ele seguiu na liderança. Mas faltando 7 voltas para o fim, o câmbio de sua McLaren quebrou, lhe restando apenas a sexta marcha. Teve que seguir assim, com apenas 1 marcha funcionando e tendo que guiar o carro com apenas uma mão (já que a outra mão ele tinha que fazer um esforço tremendo para manter o câmbio engatado) até o fim da corrida. O carro escorregava, mas Senna corrigia. O carro morria nas curvas, mas Senna estava lá para forçar a máquina até o limite. A cada volta que passava, a sua distância diminuía consideravelmente para o segundo colocado na corrida. Mas acha que todas essas adversidades parariam Senna? JAMAIS!

    Mesmo com o seu adversário chegando perto a cada volta, Senna conseguiu retirar forças do seu espírito CORINTHIANO para vencer a corrida. Lutando contra tudo e contra todos. Contra a chuva. Contra o próprio carro. Contra os adversários. Após chegar na linha de chegada em 1 lugar, ele quase desmaiou no carro de tanta dor que sentiu após levar seu corpo ao extremo para realizar o seu sonho. Mal tinha forças para levantar o troféu de vencedor... MAS LEVANTOU!

    Quando você é Corinthiano, tudo é mais difícil. Pois sendo Corinthiano, você luta contra TUDO e contra TODOS. Luta contra as adversidades. Contra os adversários. Contra VOCÊ MESMO. Mas, assim como Ayrton, no FIM você consegue superar tudo pois você carrega dentro de si mesmo, o espiríto VENCEDOR do nosso time. É por essas e outra que eu sempre grito 'VAI, CORINTHIANS!' nos momentos difíceis.

    Hoje, com a nossa paixão completando mais 1 ano de vida, trouxe esse exemplo de força para mostrar a todos nós que, mesmo com todas essas adversidades atualmente (pandemia, COVID-19, desemprego), NÓS SOMOS CORINTHIANOS E NADA PODE NOS PARAR!

    VAI, CORINTHIANS!

    detalhes do post
`
x