José

de SAO PAULO

José Claudinê Plaza

Torcedor do site número: 187.198, cadastrado desde 30/09/2012

Brasileiro, advogado, pai de família e corintiano.

male

Estatísticas no Meu Timão

Última atividade no site em 25/05/2018 às 08h45

Ranking do Fórum

8.624º lugar

Ver Ranking

Ranking de comentários

9.508º lugar

Ver Ranking

55 Comentários

95% de aprovação

60 Posts

83% de aprovação

11 Tópicos

1.455 Visualizações

Atividades do José no Meu Timão

Última interação no site em 16/05/2018 às 10h56

  • José

    José postou em Análise dos jogos, no tópico "Ousadia e alegria"

    há 1 semana

    Texto impecável.

    detalhes do post
  • José

    José postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Fui na Areba domingo com meu filho e neto!"

    há 3 semanas

    Parabéns, na minha família também é assim.

    detalhes do post
  • José

    José comentou na notícia: "Comentário de Maykel no Meu Timão"

    há 1 mês

    Anotada a correção. Abraços.

    detalhes do comentário
  • José

    José comentou na notícia: "Comentário de Ediélson no Meu Timão"

    há 1 mês

    Paulinho e Ralf também, quando chegaram, também já eram profissionais, acima de 21 anos.

    detalhes do comentário
  • José

    José comentou na notícia: "Comentário de Maykel no Meu Timão"

    há 1 mês

    Paulinho e Ralf, quando chegaram, também eram profissionais e tinham mais de 21 anos. Então, qual a diferença?

    detalhes do comentário
  • José

    José comentou na notícia: "Torcida do Corinthians repercute contratação de jovens jogadores pelo clube; veja tuítes"

    há 1 mês

    Marcelinho veio jovem do Rio, base do Fla, e deu certo, sendo um dos maiores ídolos do Timão.

    detalhes do comentário
  • José

    José postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Pela primeira vez meu pai me abraçou e olhou nos meus olhos"

    há 1 mês

    Sua história lembra meu velho pai, cuja única concordância comigo era ser corinthiano. No entanto, acabamos nos entendendo e eu pude cuidar dele.É uma pena que ele se foi tão cedo.

    Deus abençoe você e sua família.

    detalhes do post
  • José

    José postou em Bate-Papo da Torcida, no tópico "Os dias mais felizes da minha vida"

    há 2 meses

    Bela história!

    detalhes do post
  • José

    José postou em Notícias, no tópico "Adjunto, uma simples palavra pode mudar tudo"

    há 4 meses

    Pelas respostas que obtive, concluo que ninguém entendeu bulhufas. É bom, assim paro de pregar no ermo para a obscuridade!

    Vai Corinthians.

    detalhes do post
  • José

    José postou em Notícias, no tópico "Adjunto, uma simples palavra pode mudar tudo"

    há 4 meses

    Não pretendo fazer previsões alarmistas, e não tenho nada de pessoal, com referência às pessoas, eventualmente mencionadas neste texto. Estou, contudo, preocupado com o único senão que percebi na investidura do novo presidente, Sanchez. É que Duílio Monteiro Alves está sendo chamado na mídia de diretor de futebol “adjunto”, quando todos o julgavam o próprio diretor.

    A palavra “adjunto”, no dicionário, significa auxiliar, ajudante, assistente, assessor, substituto, suplente. Quer isto dizer que ele não é o “chefe” e, certamente, alguém será nomeado como seu superior.

    Tal constatação nos leva a duas possíveis frustrações. A primeira é que esse “diretor efetivo”, que será chefe do adjunto Duílio, pode ser um dos companheiros mais próximos de Andrés Sanchez, como, por exemplo, Eduardo Ferreira, aquele que permite a integrantes de torcida organizada entrar no CT, para admoestar os jogadores, como se fossem donos do nosso time (quando digo “nosso time”, estou me lembrando de 30 milhões de pessoas). Absurdo. Aparenta ser bem diferente dos profissionais, economistas e advogados, que felizmente integram a nova diretoria.

    O outro candidato ao cargo de Diretor de Futebol, presumo, seria André Luiz Oliveira, o “André Negão”, acusado pela Operação Lava Jato. Por que, justamente, o cargo mais importante para o torcedor, que é a diretoria de futebol, tem que ser exercido pelos amigos do rei?

    O Corinthians não pode ser tratado como uma ação entre amigos. Trata-se de uma instituição que pode ser tombada como patrimônio nacional.

    Eles podem alegar que foram eleitos por associados, o que não significa a vontade do torcedor comum. Repito afirmação anterior: grande parte dos sócios votantes são usuários da piscina e da lanchonete do clube, mas torcem por outros times.

    A segunda frustração é que o “adjunto”, no final, é aquele que sabe e faz o trabalho executivo de gerente de futebol e, assim, Duílio vai por a mão na massa. Está cheirando a fritura e pé na bunda do Alessandro, que salvou a administração do inapto Andrade.

    Uma simples palavra pode mudar toda uma feliz expectativa, principalmente quando é emitida pela boca de um cara simpático, mas tosco e imprevisível, como o novo presidente.

    detalhes do post
`