Um bom coadjuvante

Andrew Sousa

22 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

ver detalhes

Um bom coadjuvante

Coluna do Andrew Sousa

Opinião de Andrew Sousa

6.9 mil visualizações 117 comentários Comunicar erro

Um bom coadjuvante

Pedrinho ainda não é protagonista, mas pode ser essencial nesse Corinthians de 2019

Foto: Danilo Fernandes/Meu Timão

Desde que surgiu, o meia Pedrinho desperta enorme expectativa da Fiel. Por todo o talento demonstrado na base e em suas primeiras partidas, esperava-se que o meia rapidamente assumisse para o si protagonismo, com dribles, finalizações e assistências. Até aqui, porém, isso passa longe de acontecer.

Sem conseguir se firmar, o camisa 38 segue alternando boas partidas e atuações bem discretas. Os mais esperançosos, então, buscam justificativas para isso. A maioria sobra para Carille. "Ele é meia, não ponta!", bradam os mais esperançosos - e seu empresário, que o enxerga como uma espécie de Zico.

Por mais dolorido que seja, é hora de aceitar que nossa promessa não está pronta para o protagonismo - e nem sei se um dia estará. Isso, porém, não impede que ele seja um bom coadjuvante.

Nesta quarta-feira, por exemplo, o meia foi um dos titulares na vitória por 2 a 0 contra a Chapecoense, em uma das melhores atuações do Corinthians na temporada. Pelo lado direito, não foi decisivo em um dos gols ou participou de grandes jogadas. Sua atuação, ainda assim, merece destaque, sobretudo pelo poder associativo com Fagner.

Com qualidade de passe, Pedrinho fez o lateral jogar, usando mais as triangulações - o camisa 23, cabe ressaltar, também teve muita liberdade pela segurança dada por Ramiro.

De acordo com o Footstats, a dupla Pedrinho-Fagner foi a que mais interagiu na partida, com 25 passes trocados entre si. Com Vagner Love, por característica, a média costuma ser bem menor. Além dessa qualidade que o jogador tem, de bom passe, ele naturalmente puxa marcadores para o meio e abre o corredor para o companheiro.

No atual cenário, então, é difícil montar um time titular sem contar com o Cria do Terrão aberto pelo lado direito - até porque não há tanta concorrência. Embora ainda não acerte o último passe, muito menos as finalizações, Pedrinho pode ser importante de outras formas para o funcionamento desse novo Corinthians.

Para facilitar esse processo, porém, é importante que a torcida entenda o papel do garoto. Não temos um protagonista, mas podemos ter um excelente e essencial coadjuvante. Que siga jogando e fazendo jogar. Precisamos bastante.

Confira vídeo que mostra um pouco da influência do garoto contra a Chapecoense

Um apanhado de lances feito pelo excelente Corinthians Scouts dá noção do que fez Pedrinho, mesmo sem fazer uma partida de protagonismo.

Veja mais em: Pedrinho.

Coluna do Andrew Sousa

Por Andrew Sousa

21 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

O que você achou do post do Andrew Sousa?