Falta repetição: é hora de parar de mudar

Andrew Sousa

23 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

ver detalhes

Falta repetição: é hora de parar de mudar

Coluna do Andrew Sousa

Opinião de Andrew Sousa

14 mil visualizações 88 comentários Comunicar erro

Falta repetição: é hora de parar de mudar

Tiago Nunes tem mês essencial para dar sua cara ao Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Já cansamos de dizer e ler por aí que Tiago Nunes precisa de tempo para trabalhar. Com apenas 12 jogos, o treinador segue em busca de sua escalação ideal e já encara grande pressão pelos resultados ruins: caiu na Libertadores e é lanterna do Paulistão.

Por pior que o cenário possa parecer, a queda precoce no torneio continental deu ao comandante uma segunda "pré-temporada". Serão apenas três jogos em todo o mês de março e muito tempo para trabalhar.

A situação no Paulista, porém, muda um pouco o caráter desse período. Se em condições normais esses poucos jogos poderiam servir para testes de nomes e escalações distintas, Tiago Nunes não tem mais opção: é hora de insistência.

Como vários técnicos e jogadores gostam de ressaltar, o futebol profissional de alto nível se baseia em repetição. Um fundamento técnico tem que ser treinado a exaustão. A parte física ganha atenção todo dia. Falta isso para a parte coletiva do atual Corinthians.

Até aqui, Tiago não conseguiu manter o mesmo time por três partidas - seja por escolha ou por desfalques, como nos casos de Ramiro ou nas suspensões recentes de Cássio e Camacho. Mais do que os nomes, porém, o treinador já experimentou pequenos recomeços na concepção tática da equipe.

São ao menos quatro etapas:

  • Nas seis primeiras partidas, o time teve Ramiro pela direita, centralizando jogadas e associando demais com Luan;
  • Com a lesão do volante, Tiago apostou em pontas de mais velocidade, com Everaldo e Janderson. A opção rendeu bons frutos contra o Santos, mas acabou derrotada pelo Guaraní e descartada já no jogo de volta.
  • Precisando do resultado, o treinador mudou toda a estrutura de seu ataque, apostando em dupla formada por Boselli e Love, com Luan caindo pelos lados;
  • Nas duas partidas seguintes ao embate da Libertadores, o treinador manteve a ideia, mas na última partida, diante do Santo André, voltou a apostar em outro esquema: somente Love no comando de ataque, com Pedrinho como meia pela direita e Yony na esquerda, voltando Luan para o meio.

Com tantas mudanças, fica difícil afinar o entrosamento e ganhar solidez, tanto no ataque quando na defesa. Mais do que os jogadores, é hora de definir a proposta definitiva para a equipe.

O desejo é jogar com um centroavante veloz, como diante do Santo André, ou com um finalizador, fazendo pivô e aparecendo para marcar os gols?

Luan vai ser mesmo meia central?

Os pontas vão ser mais velocistas ou o esquema com Ramiro voltará a ser o foco?

Tiago tem tempo para definir tudo isso e precisa confiar em uma ideia para repetir e aperfeiçoar. São dias disponíveis para recomeçar a temporada. Nos primeiros jogos do ano, era nítida a proposta e, mesmo trocando as peças, não se alterava. Depois, começou a se perder e o nível caiu.

Restam ao menos quatro jogos de Campeonato Paulista para preparar uma equipe e dar rosto para ela antes do início do Brasileirão. A repetição é o caminho.

As escalações do Corinthians e o número de mudanças de um jogo para o outro

Corinthians x New York City: Cássio; Fagner, Gil, Pedro Henrique e Lucas Piton; Camacho, Cantillo, Ramiro, Luan e Janderson; Mauro Boselli.

Corinthians x Atlético Nacional: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Lucas Piton; Camacho e Cantillo; Ramiro, Luan e Janderson; Boselli (Nenhuma mudança).

Corinthians x Botafogo-SP: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Lucas Piton; Richard, Camacho, Ramiro, Luan e Janderson; Mauro Boselli (Uma mudança).

Corinthians x Mirassol: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Lucas Piton; Richard e Camacho; Ramiro, Luan e Janderson; Boselli (Nenhuma mudança).

Corinthians x Ponte Preta: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley; Camacho e Richard; Ramiro, Luan e Janderson; Boselli (Uma mudança).

Corinthians x Santos: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley; Camacho, Cantillo, Janderson, Luan e Everaldo; Mauro Boselli (Duas mudanças).

Corinthians x Guaraní: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley; Camacho, Cantillo, Janderson, Luan e Everaldo; Mauro Boselli (Nenhuma mudança).

Corinthians x Inter de Limeira: Cássio; Michel Macedo, Pedro Henrique, Bruno Méndez e Lucas Piton; Gabriel e Cantillo; Madson, Mateus Vital e Everaldo; Gustavo (Sete mudanças).

Corinthians x Guaraní: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley; Camacho, Cantillo, Pedrinho, Luan e Vagner Love; Mauro Boselli (Sete mudanças).

Corinthians x São Paulo: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil, Lucas Piton; Camacho, Cantillo, Vagner Love, Luan e Yony González; Mauro Boselli (Duas mudanças).

Corinthians x Água Santa: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil, Lucas Piton; Camacho, Cantillo, Vagner Love, Luan e Yony González; Mauro Boselli (Sem mudanças).

Corinthians x Santo André: Walter; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Lucas Piton; Gabriel, Cantillo, Pedrinho, Luan e Yony González; Vagner Love (Quatro mudanças).

Veja mais em: Tiago Nunes e Elenco do Corinthians.

Coluna do Andrew Sousa

Por Andrew Sousa

23 anos, formado em Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

O que você achou do post do Andrew Sousa?