A linha tênue entre 'saber sofrer' e ser refém do sofrimento

Andrew Sousa

21 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

ver detalhes

A linha tênue entre 'saber sofrer' e ser refém do sofrimento

A linha tênue entre 'saber sofrer' e ser refém do sofrimento

Com companheiros sufocados, Rodriguinho foi encaixotado pela marcação adversária

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Há alguns anos, a solidez defensiva do Corinthians chama atenção. Com um sistema bem definido, virou rotina ouvirmos que a equipe alvinegra "sabe sofrer" durante as partidas. A afirmação de fato faz sentido, mas não pode virar regra. Há uma linha muito tênue entre usar dessa qualidade para o bem e para o mal.

Neste domingo, na Arena Independência, o que vimos foi um Corinthians praticamente estéril no setor ofensivo. Novamente sem centroavante, o Timão teve seus dez jogadores atrás da linha da bola em grande parte da partida vencida pelo Atlético Mineiro, por 1 a 0. O desgaste físico era visível, mas aqui não vamos entrar no fator "devia ter poupado ou não?".

Certo é que Carille parecia satisfeito com a postura de seus comandados. Em poucos momentos, segundo a equipe de transmissão, passou alguma instrução diferente. Não pediu para avançar a marcação ou povoar melhor o meio de campo.

Sem um atacante de área, a zaga do Atlético Mineiro aproveitou da liberdade para avançar e auxiliar na saída, sufocando o Corinthians. O resultado foram 45 minutos sem finalizações por parte do Timão.

Na volta do intervalo, a torcida já esperava mudanças. Com a entrada de Sheik, o treinador até tentou enfiar o camisa 47 para incomodar a defesa, abrindo Vital pelo lado esquerdo. A entrada de Emerson, no entanto, deu ainda mais liberdade para outro setor do adversário: o meio campo. Trocou uma peça, mas não a estratégia. E aí a pressão se manteve.

Enquanto os donos da casa aceleravam o ritmo, o Corinthians se mantinha atrás, "sofrendo" e esperando um contra-ataque - que raramente apareceu. A última substituição de Carille parecia mesmo ser a saída do exausto Rodriguinho. Mas colocar Marquinhos Gabriel manteve o time longe do gol e sem criar chances - talvez coubesse a estreia de Roger, para chamar a equipe um pouco mais para cima.

A entrada de um centroavante ajudaria até na parte física da equipe, visivelmente aquém do ideal. Atuando um pouco mais avançado, o time não precisaria percorrer tantos metros quando roubava a bola. Conversando com quem joga bola, é quase unânime que correr atrás do adversário cansa mais do que propor o jogo.

A estratégia não deu certo, o Corinthians pouco criou e saiu de Minas com o revés. É claro que o resultado não é o fim do mundo, não vamos ganhar todas as partidas. O ponto a se observar é que nem sempre podemos nos apoiar única e exclusivamente na capacidade de suportar a pressão adversária e contra-atacar. Neste domingo, não "soubemos sofrer", fomos reféns do sofrimento.

Veja mais em: Campeonato Brasileiro e Elenco do Corinthians.

Coluna do Andrew Sousa

Por Andrew Sousa

21 anos, acadêmico de Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

O que você achou do post do Andrew Sousa?

  • 1000 caracteres restantes
  • Melhores comentários

    Foto do perfil de Rodrigo

    Ranking: 2860º

    Rodrigo 325 comentários

    por @rizzuti

    Como você mesmo disse o estilo de jogo do Corinthians é se defender e contra atacar, ontem só conseguiram efetuar uma que foi se defender, se conseguíssemos contra atacar com eficiência poderíamos ter feito 2 gols e estar comentando sobre a vitória, mas independente de condição física, os jogadores têm que ter uma postura diferente, ontem faltou disposição e inteligência.
    Mas o time tem crédito demais com a torcida, quarta feira tá aí, Vai Corinthians!

  • Foto do perfil de Jonathan

    Ranking: 531º

    Jonathan 1449 comentários

    por @johnny7

    Não tem desculpa...é irritante ver um clube do tamanho do Corinthians jogando pra não tomar gol, sem nenhuma preocupação em agredir...perdeu, ainda bem, serviu como experiência para entender que, no futebol, atacar também é sinal de defender, afinal de contas, o tempo que você ocupa no campo adversário é o tempo que o adversário não está ocupando o teu campo

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Milene

    Milene 1 comentário

    101º. por @milene.grazielle.bar

    Se o Corinthians ficar jogando assim medrosos como estão vão lutar para não cair quando este esquema começou lá atrás com mano depois o Tite era totalmente diferente o estilo de jogo hoje representa que o time entra no campo com três á menos muito feio

  • Foto do perfil de ALEXANDRE

    Ranking: 111º

    Alexandre 4454 comentários

    100º. por @alexandre.sccp1

    Verdade

  • Foto do perfil de Ramon

    Ranking: 21º

    Ramon 14677 comentários

    99º. por @ramon.felipe1

    Domingo foi demais, da não.

  • Foto do perfil de Andrew

    Ranking: 10422º

    Andrew 53 comentários

    98º. por @andrew.sousa

    Então, o ponto é: não digo começar com Roger, claro que apostaria em Rodrigo, mas a substituição podia ser um 9 na dele. Quanto a "resultado normal, não é tragédia", concordo e até escrevi isso no texto. Gol anulado nosso? Enfim, era bem improvável ganhar o jogo, com a postura que adotamos. Pelo cansaço, talvez fosse melhor "se defender" com a bola no pé. Mas claro, Carille é o melhor pra arrumar isso. Não é corneta.

    Foto do perfil de Diogo

    Diogo 1820 comentários

    01/05/2018 às 15h00 por @curto

    Eu entendo que o time jogou como tem jogado e ganhado.
    Teve um gol anulado.
    O gol dos caras foi irregular.
    Se arbitro não tivesse errado seria 1x 0 pra nos e você não estaria fazendo esta análise.

    Não vou reclamar de arbitragem que isso é coisa de pepinha.
    Mas perder de 1 x 0 do Atlético lá em Atlético não esta bom, mas não é tragédia alguma.

    Talvez o que o Carille tentou não deu certo desta vez.
    Mas aposto que o cara mais qualificado hoje no Brasil para acertar os erros se chama Fabio Carille.

    Concordo em partes com suas argumentações.
    um 9 daria mais profundidade? Talvez.

    O 9 que temos já esta em condições de jogar?
    talvez ele tenha apostado na fase de Rodrigo, e se fosse ele faria o mesmo...

  • Foto do perfil de Marcio

    Marcio 3 comentários

    97º. por @marcio.gal

    Rapaziada, não questiono a eficiência do Carille e seus comandados em ganhar os títulos que gamjaram para nós, mas não dá pra sofrer como Domingo, acho que somos grande demais para esse esquema exagerado defencivamente, sabemos da qualidade de nossos jogadores, mas dá pra sair um pouco para o jogo e melhorar a qualidade ofensiva, merecemos isso, somos o grande Poderoso Timão!

  • Foto do perfil de Jonathan

    Ranking: 531º

    Jonathan 1449 comentários

    96º. por @johnny7

    Então Thiago, mas eu não questiono a defensividade.Jogamos contra o Palmeiras, por exemplo, com a maior parte do tempo na defesa, mas teve o ímpeto de puxar contra ataques rápidos, agredindo...a passividade diante da agressão ofensiva do adversário é que incomoda

  • Foto do perfil de Diogo

    Ranking: 406º

    Diogo 1820 comentários

    95º. por @curto

    Eu entendo que o time jogou como tem jogado e ganhado.
    Teve um gol anulado.
    O gol dos caras foi irregular.
    Se arbitro não tivesse errado seria 1x 0 pra nos e você não estaria fazendo esta análise.

    Não vou reclamar de arbitragem que isso é coisa de pepinha.
    Mas perder de 1 x 0 do Atlético lá em Atlético não esta bom, mas não é tragédia alguma.

    Talvez o que o Carille tentou não deu certo desta vez.
    Mas aposto que o cara mais qualificado hoje no Brasil para acertar os erros se chama Fabio Carille.

    Concordo em partes com suas argumentações.
    um 9 daria mais profundidade? Talvez.

    O 9 que temos já esta em condições de jogar?
    talvez ele tenha apostado na fase de Rodrigo, e se fosse ele faria o mesmo...

    Foto do perfil de Andrew

    Andrew 53 comentários

    30/04/2018 às 14h14 por @andrew.sousa

    É uma defesa boa, não quis dizer que era só falar "ataquem" e ganhar a partida. O ponto é que a estratégia adotada foi esperar. Com o time desgastado, ficou difícil puxar contra-ataques após tomar as poucas bolas ainda no nosso campo de defesa. A estratégia parece equivocada por isso. Dificultou o trabalho do time na condição que ele se encontrava. Talvez um 9 pra empurrar um pouco os defensores do Atlético-MG pra área deles fosse produtivo, até para o restante do time ter um desafogo - alguém que segurasse a bola até que outros se aproximassem.

  • Foto do perfil de Brunoriso

    Ranking: 2175º

    Brunoriso 440 comentários

    94º. por @brunoriso.da.salva

    Cadê. Está lá cuidando da vida do Rival. É sendo zoado, e chamado de Alumínio Incompetente.

    Foto do perfil de Fernando

    Fernando 8776 comentários

    01/05/2018 às 11h41 por @fernando.zemetek

    Maio já chegou Andrés! Cadê BRs, Patrocínio Master, renegociação da Arena, revisão do FT?

  • Foto do perfil de Fernando

    Ranking: 48º

    Fernando 8776 comentários

    93º. por @fernando.zemetek

    Maio já chegou Andrés! Cadê BRs, Patrocínio Master, renegociação da Arena, revisão do FT?

    Foto do perfil de Brunoriso

    Brunoriso 440 comentários

    01/05/2018 às 07h38 por @brunoriso.da.salva

    É isto também faz parte infelizmente do nosso amado Corinthians. Vamos exigir responsabilidade JÁ, daqueles que o Comanda. Pedir e lembrar a eles que o Corinthians é dos Corinthianos e não deles.

  • Foto do perfil de Fernando

    Ranking: 48º

    Fernando 8776 comentários

    92º. por @fernando.zemetek

    Isso ae. Tá na hora d una visitinha no 5o andar do PSJ Fiel...

    Foto do perfil de Brunoriso

    Brunoriso 440 comentários

    01/05/2018 às 07h38 por @brunoriso.da.salva

    É isto também faz parte infelizmente do nosso amado Corinthians. Vamos exigir responsabilidade JÁ, daqueles que o Comanda. Pedir e lembrar a eles que o Corinthians é dos Corinthianos e não deles.