Foi mais na técnica e na tática que na raça

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Foi mais na técnica e na tática que na raça

Foi mais na técnica e na tática que na raça

Romero e Rodriguinho na comemoração do gol do Timão

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

A vitória do Corinthians sobre o Palmeiras, como bem lembrou o técnico Fabio Carille após o jogo, foi decidida basicamente na parte técnica.

O treinador do Timão, tinha falado na entrevista da sexta-feira que não “espelhava” o time.

Ou seja, não escalava de acordo com o adversário. Explico: o Palmeiras tem dois laterais com habilidade, e que sobem bastante ao ataque.

Os adversários do Palmeiras normalmente escalam jogadores mais defensivos pelos lados para neutralizar as subidas desses laterais.

Carille fez o oposto. Escalou Pedrinho de um lado e Romero do outro. Provocou o Palmeiras o tempo todo.

Marcos Rocha e Diogo Barbosa, em vez de serem destaques ofensivos, foram sufocados na parte defensiva.

Jadson foi um monstro em campo. Nunca correu tanto pelo time. Aliás, para ser justo, não fazia isso desde 2015.

Rodriguinho é hoje o homem-gol, o homem-surpresa, o cara que aparece em todos os lances dentro da área para concluir. Deu certo no lance do gol.

Os laterais do Corinthians não são um primor de técnica, mas não comprometeram. Sidcley ainda tem um problema defensivo que precisa ser corrigido. Levou algumas bolas nas costas. Mantuan foi seguro, tanto na defesas quanto no ataque.

Assim o Corinthians venceu o clássico.

Em uma segunda análise, óbvio que existe a parte emocional. O Palmeiras tem uma pedra no sapato. Perde todas as partidas decisivas para o Corinthians há alguns anos já. Virou freguês.

E isso pesa bastante na confiança dos atletas em campo.

Quando levou o gol de Rodriguinho, o Palmeiras acabou. Ficou devastado psicologicamente.

Aí foi só administrar, com direito a shows individuais de Pedrinho e Romero.

Contando Libertadores e Copa do Brasil, poderemos ter mais cinco Dérbis até o final de 2018.

Que a história continue.

Veja mais em: Dérbi.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?

  • 1000 caracteres restantes