Zagueiro Felipe elogia Tite e detona Mano Menezes

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Zagueiro Felipe elogia Tite e detona Mano Menezes

Zagueiro Felipe elogia Tite e detona Mano Menezes

'O Tite quer o seu bem o tempo todo. Já o Mano gosta de cobrar, não importa o que você tá pensando. Cobra e pronto.'

Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians

O zagueiro Felipe foi um dos destaques da conquista do título brasileiro do Corinthians em 2015. O jogador de 26 anos de idade foi titular em toda a campanha vitoriosa do Timão e contribuiu com muitos desarmes e quatro gols.

Felipe chegou ao clube em 2012, vindo do Bragantino, e estava no grupo campeão da Libertadores e do Mundial, mas sempre na reserva. No início deste ano a diretoria chegou a contratar Edu Dracena para fazer dupla com Gil, mas Felipe ganhou a vaga no campo e fez parte da defesa menos vazada do nacional.

Apesar disso, o zagueiro não figurou na seleção do campeonato escolhida pela CBF. E em entrevista ao jornalista Felippe Facincani da Rádio Bradesco Esportes FM de São Paulo, o jogador abriu o coração:

“Torci para estar entre os onze, mas Deus sabe o que faz. Passei por um período bem difícil quando eu cheguei aqui em 2012 e, pela evolução que tive, seria muito bem vindo ter um prêmio individual. Meu pai estava torcendo muito pra eu estar entre os onze. A gente fica um pouco chateado, mas vou trabalhar forte pra ter outra oportunidade.”

Sobre esta melhora em campo, Felipe elegeu um integrante da comissão técnica do Timão como um dos responsáveis: o auxiliar técnico Fabio Carille:

“São grandes profissionais que trabalham no Corinthians. O Fabio procura corrigir todos os detalhes, com vídeos pós-jogo, mostra pra nós tudo o que aconteceu e depois trabalha dentro de campo. Sempre com atenção no limite, exige tudo no limite. O trabalho da equipe, do Fabio Carille, da comissão inteira é o que faz a gente melhorar depois dentro de campo.”

E, perguntado sobre a diferença do atual treinador Tite para seu antecessor Mano Menezes, Felipe não mediu as palavras:

“O Tite é um cara bem mais aceitável, ele consegue enxergar suas qualidades lá na frente. O que você pode dar. Ele consegue enxergar até onde você chega. Quando eu cheguei aqui em 2012, ele mesmo chegou em mim e foi sincero: 'você não está pronto, mas você tem potencial. Você vai chegar lá, fica tranquilo'. E ele foi trabalhando.”

Mas no final de 2013 Tite saiu, e chegou Mano Menezes:

“O Mano Menezes gosta dos caras prontos, e eu não tava pronto ainda. Mas eu sou funcionário do clube e tenho que aceitar o que ele fala. Naquele momento ele me colocou ali e eu acabei deslizando. Não tava pronto. Mas procurei força na família. Foi bem difícil. Mas com a volta do Tite eu procurei absorver pra não errar mais. Creio que foi uma lição dolorosa, mas eu procurei corrigir tudo e deu tudo certo. E quando o Tite voltou ele falou que eu já estava pronto.”

E como é a forma de trabalho do técnico Mano Menezes em comparação com Tite?

“São dois caras bem diferentes. O Mano Menezes vem, chega, dá o trabalho dele e vai embora. Conversa pouco com os jogadores. O Tite cobra, mas a forma de cobrar dele e aceitável por todos. Até quem não está jogando gosta dele. É como um pai, porque ele é um cara que corrige no treino, no jogo, em tudo. Gosta de ver o atleta em alto nível, no máximo. E ele chama individualmente, fala o que você fez errado, o que você tá certo. Já o Mano é um cara que acabou o jogo, acabou o jogo. Chega depois, é outro treino e acabou. O Tite quer o seu bem o tempo todo. Já o Mano gosta de cobrar, mas não importa o que você tá pensando. Cobra e pronto.”

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?

  • 1000 caracteres restantes