Corinthians: time bom, mas elenco fraco

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Corinthians: time bom, mas elenco fraco

Coluna do Marco Bello

Informação de Marco Bello

4.5 mil visualizações 83 comentários Comunicar erro

Corinthians: time bom, mas elenco fraco

Elenco do Corinthians ainda apresenta carências para o restante da temporada

Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Após o fim do Campeonato Paulista, a avaliação de membros da diretoria do Corinthians em relação ao grupo de jogadores é que o time titular é bom, tanto que chegou a uma final de campeonato, mas que o elenco possui muitas carências.

O técnico Tiago Nunes teve muita dificuldade na partida final ao precisar acelerar a equipe. Havia dois jogadores com essa característica no banco, mas um entrou muito mal e outro foi preterido mesmo com a necessidade do time reverter o placar negativo.

O jogador que entrou foi Everaldo, que chegou com muita moral do Fluminense, teve uma série de lesões, tem potencial, mas até agora não mostrou a que veio no Corinthians.

O outro é o garoto Janderson, que recebeu diversas oportunidades desde o começo deste ano, mas está em baixa com o treinador. O fato do técnico Tiago Nunes não ter colocado Janderson mesmo com a possibilidade de fazer cinco alterações diz muito sobre a fase do atacante.

A defesa é considerada sólida. Além dos agora titulares Danilo Avelar e Carlos, ainda há os jovens Bruno Méndez e Lucas Piton, com potencial de crescimento. Gil e Fagner são incontestáveis.

Sidcley tem empréstimo terminando em dezembro e pertence ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia. O empréstimo pode até ser prorrogado até o final do Campeonato Brasileiro, mas dificilmente o Corinthians exercerá o poder de compra do atleta.

Na lateral direita, apesar do pênalti perdido, Michel Macedo continua com crédito como reserva de Fagner. Mas há diversos laterais da base corinthiana que estão emprestados a outros clubes, como Mantuan, Igor e Daniel Marcos.

No meio de campo não faltam opções defensivas ao treinador. Além dos titulares da final, Gabriel e Éderson, ainda há opções como Cantillo, Camacho, além dos jovens Xavier e Roni.

Para a função de meia central, um problema: o único jogador que hoje cumpre a função é Luan, que não vive boa fase. Outras opções seriam Mateus Vital, o próprio Cantillo, ou até Sidcley, que foi utilizado na função em alguns jogos pelo treinador.

Não é preciso dizer que Cantillo e Sidcley são improvisações. Vital está preenchendo outra lacuna, no ataque pela esquerda, por situações citadas anteriormente nesta coluna.

Ramiro é um jogador em alta, pela versatilidade e por cumprir muito bem qualquer função tática solicitada. Na fase final do Paulista o jogador atuou no ataque pela direita, na armação, na função de segundo volante e até como lateral-direito.

Para o ataque, como centroavante, Jô e Boselli são e serão os jogadores da posição até o final do ano. O problema é que o contrato de Boselli acaba em dezembro e precisaria ser renovado por pelo menos mais dois meses para que o jogador possa atuar até o final do Brasileiro.

Sem dinheiro para contratações, a diretoria não fala em reforçar o elenco por enquanto.

Tiago Nunes fica, mas será cobrado para fazer o time jogar, apesar das carências. É considerado um treinador versátil, que se adapta aos jogadores que tem em mãos.

Mas como tudo no futebol, o futuro depende de resultados. Se o time estiver bem no Brasileiro, fica tudo como está. Se não engrenar na competição nacional, todos serão cobrados. Inclusive, a diretoria.

Veja mais em: Elenco do Corinthians, Tiago Nunes, Diretoria do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?