A nota da discórdia

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

A nota da discórdia

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

8.9 mil visualizações 106 comentários Comunicar erro

A nota da discórdia

O caso Drogba passou. O Corinthians continua imenso.

Foto: Bruno Teixeira

A nota oficial do Corinthians agradecendo ao jogador marfinense Didier Drogba pela negociação frustrada não foi bem recebida internamente no clube.

Funcionários e ex-funcionários dos departamentos de futebol e de marketing do Corinthians criticaram, alguns mais, outros menos veementemente o teor do texto.

A nota oficial agradeceu ao jogador pelas conversas com o clube, e afirmou que o atacante a partir de agora “é mais um louco do bando”.

O departamento de marketing do Corinthians, que iniciou a negociação, não teve qualquer participação na elaboração da nota oficial.

Alguns funcionários ouvidos pela coluna disseram que ficaram sabendo da nota apenas através do site oficial.

Disseram que a nota “foi um erro, que terminou de forma melancólica uma negociação mal conduzida.” “Agradeceu ao jogador por ter falado com o clube?” - perguntou outro.

A questão é que a nota é o menor dos problemas no Corinthians. Esta negociação evidenciou um problema latente no Parque São Jorge: a divisão interna que atrapalha o bom andamento das coisas.

Uma boa ideia do marketing, que causou um racha no futebol. Autorizada pelo presidente, mas mal conduzida.

O Corinthians procurou os intermediários errados, teve que recomeçar a negociação duas vezes.

Uma viagem à Londres para encontrar agentes que não estavam em contato direto com o atleta, que por acaso passava férias na África.

Seu agente principal, sem saber de nada, estava em Paris.

Os desmentidos vexatórios do presidente da existência da viagem, para não prejudicar a negociação quando do vazamento da mesma.

As declarações públicas do diretor de futebol que por muito pouco não enterraram o negócio antes mesmo dele começar de fato.

Por fim, após o jogador finalmente conversar com o presidente, o desfecho.

Depois de aceitar a oferta salarial e acenar positivamente, Drogba negou o compromisso.

Algumas pessoas envolvidas escutaram que ele será dirigente do Chelsea, portanto encerrará a carreira.

Outras, que ele voltará a jogar na América do Norte.

Seja qual for o motivo da negativa, foi uma negativa.

Ser educado, sempre. Se apequenar, não. Outro funcionário, este do futebol, ouvido pela coluna, afirmou: “Pareceu que o Drogba era maior que o Corinthians.”

Um erro, sim. Mas, como disse, o menor dos problemas.

Drogba não vem. Mas o Corinthians continua. E continua grande, imenso.

Que seus dirigentes e funcionários (de todas as áreas do clube!) saibam disso. E justifiquem usar todos os dias este escudo no peito.

Veja mais em: Drogba, Diretoria do Corinthians e Ações de marketing.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?