Presidente do rival é menino mimado

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Presidente do rival é menino mimado

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

9.1 mil visualizações 148 comentários Comunicar erro

Presidente do rival é menino mimado

Maurício Galiotte chamou campeonato de 'Paulistinha'

Foto: Agência Palmeiras

A entrevista do presidente do Palmeiras após o título do Corinthians no Allianz Parque foi patética.

Em vários níveis.

Ao chamar o campeonato de “Paulistinha”, Maurício Galiotte desmereceu seus jogadores, que fizeram grande campanha na competição.

Desmereceu seus torcedores, que gastaram dinheiro para assistirem a dezoito jogos do campeonato.

O ingresso mais barato da final custava cento e vinte reais. Cobrar isso para um “Paulistinha”?

Chamou a todos também de imbecis, pois o treinador poupou vários jogadores na semana que antecedeu o clássico em um importante jogo da Libertadores, que ele disse ser muito maior. Para que? Para tentar ganhar o “Paulistinha”.

Ao pedir para seu torcedor esquecer o campeonato, que estaria manchado, o presidente do rival quer na verdade esquecer seus erros, esquecer que não ganha um Paulista desde 2008, que perde seguidamente do maior rival há vários anos, que perdeu o campeonato em casa, com torcida única.

Minha opinião sobre o lance polêmico é que houve interferência externa. Antes que perguntem, não posso provar. Ninguém pode.

Mas isso não quer dizer que o campeonato foi uma vergonha, manchado, muito menos que o perdedor tenha que diminuir a competição.

A ausência dos jogadores e comissão técnica na festa do título foi mais patética ainda. Coisa que nem clube pequeno costuma fazer.

Coisa de menino mimado que perdeu o brinquedo preferido e não quer admitir que gostava dele. Galiotte devia jogar bolinha de gude no tapete do apartamento.

Veja mais em: Dérbi e Campeonato Paulista.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?